NOVO RENAULT CAPTUR 1.5 DCI 110: AUMENTA O RITMO DA VIDA…

Não vamos desafiá-lo para o jogo de descobrir as diferenças… Afinal, porque é que havia de mudar ou de ser submetido a uma operação de cosmética um produto que está tão actual e ainda mais na moda do que quando foi lançado há cerca de dois anos? Um modelo que é “só” o líder incontestado do segmento em Portugal, mas também na Europa! O Renault Captur continua igual a ele mesmo: irresistível, apaixonante, sedutor, moderno, e, agora, ainda com mais “alma”. Ou seja, mais potência, para uma condução (ainda mais) entusiasmante. O Renault Captur passa (também) a estar disponível com o conhecido e comprovado motor diesel 1.5 dCi 110, por um preço a partir dos 21.790 euros.

 
UM CAPTUR COM MAIS “ALMA”
Muito provavelmente, nem depois de abrir o capot vai conseguir descobrir as diferenças entre o Renault Captur 1.5 dCi com 90 cavalos e o de 110 cavalos que agora chega ao mercado. Afinal, o bloco é exactamente o mesmo. À vista, talvez seja no habitáculo, curiosamente, que vai encontrar o maior detalhe diferenciador. Mas trata-se de um simples pormenor: a manete da caixa de velocidades, com a inscrição, no topo, do escalonamento das seis velocidades!
E se, exteriormente, o novo Captur 1.5 dCi 110 é em tudo idêntico às restantes versões, conservando a imagem jovem, moderna, atlética e de aventura que também a si não o deixa indiferente, no habitáculo a situação não é diferente, escusando de procurar outras diferenças, para além da que encontrou na manete da caixa de velocidades.
Mas como é em andamento que o novo Captur 1.5 dCi 110 revela a sua identidade, é chegada a hora de sentir o “pulso” ao motor 1.5 dCi 110. Antes de partir, ou já em andamento, pode optar por premir o botão “Eco” que lhe pode permitir uma redução nos consumos até 10 por cento. De uma forma ou de outra, a realidade é que não há que temer a comparação com a versão 1.5 dCi 90 (uma referência do segmento – também! – nos consumos).
R-LINK, UM EQUIPAMENTO ÚNICO NO SEGMENTO
Por isso, ligue o sistema R-Link no ecrã táctil de 7 polegadas (18 centímetros) colocado ao centro. Um tablet multimédia integrado e conectado, que é um equipamento único no segmento. É que, para além da navegação, o sistema permite ver fotos e vídeos, ouvir música, consultar o email, navegar nas redes sociais, dotar o modelo de um ruído de motor específico e muitas outras funções, como fazer estudos comparativos de consumos. E, imagine, que até pode responder aos comandos da sua voz…
Agora vamos selecionar o ambiente “Relatório de Viagem” no R-Link e vamos iniciar a viagem. O seu sorriso não consegue disfarçar a surpresa pela forma expedita como este Captur reage à pressão que exerce no pedal do acelerador. É que para além dos 110 cavalos (mais 20 em relação à versão até agora comercializada), este motor reivindica 260 Nm de binário (mais 40 Nm que o 1.5 dCi 90).
CONSUMOS E PERFORMANCES DE REFERÊNCIA
E se estes números se traduzem em ganhos bastante significativos em termos de performances – 11,03 segundos dos 0 aos 100 km/h e 175 km/h de velocidade máxima; em vez dos 13,01s e 171 km/h do 1.5 dCi 90 – a verdade é que, em relação aos consumos, a diferença é apenas residual, como pode comprovar através da informação que lhe é dada pelo R-Link. Sim, em condições excepcionais é possível fazer um consumo combinado de 3,7 l/100 km, apenas mais uma décima que com o motor 1.5 dCi 90. Já no que toca a emissões de CO², este bloco de 110 cavalos emite mais 3g/km, mais concretamente 98g/km.
Ou seja, se privilegia uma condução mais dinâmica, então o Renault Captur equipado com o motor 1.5 dCi 110 é a opção certa. Até porque, em relação à versão 1.5 dCi 90, só representa um esforço adicional, no preço, inferior a 850 euros.
UM PREÇO SEDUTOR PARA UM CAPTUR À SUA IMAGEM
Disponível a partir de uns competitivos 21.790 euros, só tem agora de desenhar o seu Renault Captur 1.5 dCi 110 à sua imagem. Sim, a personalização em fábrica é um dos grandes trunfos deste crossover compacto e, desde logo, nos contrastes de cores entre a carroçaria e o tejadilho.
Depois, a personalização da carroçaria em que pode optar por três temas distintos (“Captur”, “Map” e “Losange”) para strippings de decorativos do capô e do tejadilho, e por três packs (“Laranja”, “marfim” e “Preto”) para as cores das molduras dos faróis, friso da grelha dianteira, frisos laterais, portão da bagageira e, até mesmo…as jantes.
Mas como a personalização estende-se ao habitáculo, escolha entre um ambiente claro ou escuro e as cores laranja, azul ou verde para zonas como a consola central, arejadores, altifalantes e a inovadora e prática gaveta “Easy Life”, que substitui o vulgar porta-luvas.
Um vasto leque de opções que permitem que o seu Renault Captur seja o reflexo da sua própria personalidade. O direito à diferença no sentido estrito da expressão…
Uma referência, ainda, para o facto do novo Renault Captur 1.5 dCi 110, a exemplo da restante gama, beneficiar da garantia de 5 anos Renault.
 

Tags:

Sobre nós

Comércio automóvel.

Subscrever

Media

Media