O GRUPO RENAULT OBTÉM A MELHOR QUOTA DE MERCADO DA ÚLTIMA DÉCADA

  • Com uma quota de mercado de 12,8% (Veículos de Passageiros + Comerciais Ligeiros), a que correspondem 21.670 automóveis vendidos a Renault liderou, em 2014 e, pelo 17º ano consecutivo, o mercado automóvel em Portugal.
  • A Dacia foi a marca, do TOP 20, com maior crescimento das vendas (+96% face a 2013) e ocupa agora o 14º lugar entre todas as marcas presentes no mercado Português.
  • A quota de mercado do Grupo (Renault + Dacia) foi de 15,1%, a melhor da última década. 
  • A Renault liderou o mercado de Veículos de Passageiros com 11,4% de quota de mercado e um crescimento das vendas de 32,9%. A Dacia obtém, no mercado de VP, uma quota de 2,4% e praticamente duplicou as vendas face a 2013.
  • No mercado de Comerciais Ligeiros a Renault não só liderou de forma destacada como obteve, em 2014, pela segunda vez consecutiva uma quota de mercado acima dos 20%. A quota de 22,2% obtida pelo Grupo no mercado de VCL é o melhor resultado da história.
  • Pelo segundo ano consecutivo o Clio foi o modelo mais vendido em Portugal. Para além do Clio também a gama Mégane obteve um lugar no Top 5 dos modelos mais vendidos no mercado Português.
  • Para 2015, num contexto de mercado de Veículos Novos que antevemos em ligeira progressão, a Renault anuncia, desde já, a ambição de continuar a liderar o mercado automóvel em Portugal pelo 18º ano consecutivo.  
 
Com um crescimento de 36,2% (34,8% no mercado de Passageiros e 43,9% nos Comerciais Ligeiros) o mercado automóvel Português em 2014 registou uma maior dinâmica do que aquela que era esperada no início do ano. No entanto os pouco mais de 169.000 unidades transaccionadas colocam o mercado de 2014 a um nível apenas ligeiramente superior ao de 1987.
 
A Renault assegurou, em 2014, o seu 17º ano consecutivo de liderança com 21.670 unidades vendidas (incluindo passageiros e comerciais ligeiros) e um crescimento das vendas de 35,3% praticamente ao mesmo nível do mercado.
A Renault liderou de forma confortável no mercado de Veículos de Passageiros com 11,4% de quota de mercado (16.319 automóveis vendidos) e nos Comerciais Ligeiros (5.351 unidades vendidas) com uma quota de 20,4% perto do record histórico obtido em 2013.
 
“No que diz respeito ao mercado, o ano de 2014 acabou por ser mais positivo do que antevíamos no início mas continua a um nível extremamente baixo.  
No início do ano tornámos públicas as nossas ambições: manter, com a marca Renault, a liderança em todos os mercados onde estamos presentes, e aumentar o volume de vendas e a quota de mercado da Dacia independentemente da evolução do mercado. E ambos os objectivos foram plenamente cumpridos e ultrapassados. A Renault é ainda mais líder do mercado e a Dacia foi a marca do Top 20 que mais cresceu no mercado Português. O Grupo Renault obteve, em 2014, a melhor quota de mercado da última década com 15,1%.
Este conjunto de resultados espelha o reconhecimento dos Portugueses pelas marcas do Grupo, a adequação das gamas ao mercado Português em termos de prestações, qualidade, preço e, claro o poder de atracção dos novos modelos como o Clio ou o Captur que foram um sucesso imediato no nosso País. Mas tudo isto não seria possível sem uma forte presença da Renault, em todo o País, através da sua Rede de Concessionários e do empenho e profissionalismo de todos os colaboradores, da Renault e da Rede, em prestar os melhores serviços aos clientes” , afirma Xavier Martinet, Administrador-Delegado da Renault Portugal.
 
Mercado Português em 2014: sinais positivos
Com um crescimento de 36,2% (Passageiros + Comerciais Ligeiros) o mercado automóvel em 2014 superou, pela positiva, as expectativas da generalidade dos intervenientes do sector. Apesar de os 169.000 automóveis vendidos (142.800 automóveis de passageiros e 26.200 comerciais ligeiros) continuarem a reflectir uma mercado muito baixo, a recuperação de 2014 é um sinal francamente positivo.
A dinâmica de alguns segmentos de mercado, nomeadamente das empresas, e a retoma do mercado de clientes particulares no 2º semestre pode augurar que a tendência positiva se deverá manter em 2015.
 
Para o Grupo Renault o ano de 2014 cotou-se como o melhor da última década. Em conjunto, a Renault e a Dacia obtiveram 15,1% de quota de mercado.
 
Veículos de Passageiros: confirmação da liderança Renault
Num ano marcado pela consolidação da sua gama (o lançamento do Twingo apenas interveio no final do ano), a Renault apoiou-se nos pilares da sua gama (Mégane e Clio) ao qual se adicionou o Captur, para manter a sua liderança com uma quota de mercado de 11,4%.
 
O Clio voltou a ser o modelo líder em Portugal com 7.702 unidades vendidas. Com 2 anos de presença no mercado, e 2 anos de liderança, a 4ª geração do Clio é um sucesso comercial. O seu design apaixonante, que marca também um ponto de viragem para a Renault, teve continuidade com o Captur que se impôs como líder incontestado do seu segmento e que com 3.118 unidades vendidas ficou à beira do Top 10 dos modelos mais vendidos em Portugal.
 
A gama Mégane mantém-se como um dos pilares da gama de Veículos de Passageiros da Renault, e conserva o seu lugar no Top 5 dos modelos mais vendidos em Portugal. No total a família Mégane vendeu 4.427 unidades em 2014 com particular destaque para a break Mégane Sport Tourer que mantém o estatuto de carrinha mais vendida em Portugal. Um lugar que detém, consecutivamente, desde 2004.
 
A forte presença da Renault na quase totalidade dos segmentos é uma das principais razões do sucesso da marca no nosso mercado: a adequação da gama às expectativas e necessidades do cliente Português, quer em termos de equipamentos, quer na relação produto/qualidade/preço.
 
Comerciais Ligeiros: o Grupo obtém um resultado histórico
Com um total de vendas de 26.199 unidades o mercado de Comerciais ligeiros teve um dos níveis mais baixos dos últimos 30 anos (apenas 1985, 2012 e 2013 registaram números de vendas inferiores).
 
A Renault obteve no mercado de Comerciais Ligeiros uma quota de mercado de 20,4%, quase igual ao melhor resultado da história da presença da marca em Portugal obtido em 2013 (20,5%).
 
Este resultado alicerçou-se nos desempenhos da totalidade da gama, que se posicionou, em todos os segmentos no Top 2 dos modelos mais vendidos.
 
Se a marca Renault ficou muito perto do melhor resultado da sua história neste mercado o resultado do Grupo Renault no mercado de VCL foi mesmo o melhor da história com 22,2% (20,4% Renault e 1,8% Dacia)
 
Dacia: 2014 o ano da afirmação
Beneficiando de uma cada vez maior notoriedade junto dos Portugueses e de uma gama de 6 modelos inteiramente renovada a Dacia teve em 2014 o seu ano de afirmação no mercado Português.
Com um crescimento das vendas de 91,4% no mercado de veículos de passageiros e tendo multiplicado por 2,5 as vendas nos Comerciais Ligeiros (mesmo unicamente com o modelo Dokker Van) a Dacia foi de forma evidente a marca do Top 20 que mais cresceu em Portugal.
 
O sucesso continuado do Duster, um verdadeiro ícone da marca, o sucesso da gama Sandero (com especial ênfase do Sandero Stepway) e do Logan MCV estiveram na base deste resultado.
 
Em 2014 a Dacia vendeu, em Portugal, 3.893 unidades (3.433 automóveis de passageiros e 460 comerciais ligeiros) a que correspondeu uma quota de mercado de 2,3% e a entrada no Top 15 (com o 14º posto) das marcas mais vendidas em Portugal.
 
Com 2,4% de quota de mercado nos veículos de passageiros, a Dacia afirmou a sua “pertença” ao Top 15 das marcas em Portugal (14ª do ranking). Nos comerciais ligeiros, e apesar de contar apenas com o modelo Dokker Van, a Dacia alcançou o 12º posto entre as marcas mais vendidas com uma quota de mercado de 1,8%.
 
O resultado obtido pela Dacia em 2014 esteve perfeitamente alinhado com os objectivos publicamente anunciados no início do ano (crescimento da marca superior ao do mercado) e a dinâmica criada em 2014 é um excelente indício para o ano que agora se inicia. Sustentada por uma gama jovem, fiável, uma oferta clara com um posicionamento de preço sem concorrência, a “ generosidade ” da marca em que claramente oferece muito por um valor reduzido continuará a ser o pilar de desenvolvimento da marca em Portugal.
 
 
 
2014: Impasse na mobilidade eléctrica
 
O mercado de automóveis 100% eléctricos manteve-se em 2014 a um nível bastante reduzido com apenas 254 automóveis comercializados e praticamente ao mesmo nível de 2013 (apenas mais 10 unidades vendidas).
 
A reintrodução, em 2015, de incentivos para a aquisição deste tipo de mobilidade, bem como a chegada de novas marcas ao mercado, deverão ser, já este ano um factor de dinamização e de crescimento deste mercado.
Para a Renault a mobilidade eléctrica é uma aposta estratégica e apesar de Portugal ter feito um impasse no desenvolvimento desta forma de mobilidade, a Renault Portugal continuará a apostar no desenvolvimento da mobilidade eléctrica no nosso país.
 
Desde o lançamento dos primeiros modelos no início de 2012 que a Renault assumiu também o seu objectivo de liderar de forma clara o mercado de automóveis 100% eléctricos.
Em 2014, com um total de 46 unidades vendidas (Zoe+Kangoo Z.E.) a Renault obteve 18,1% de quota de mercado mas sem conquistar a liderança.
 
A título de curiosidade, e tal como já tinha acontecido em 2013, o veículo eléctrico mais vendido pela Renault foi o quadriciclo Twizy do qual se venderam 44 unidades em 2014.
 
Ambições do Grupo Renault em 2015: líder em todas as frentes  
Para 2015, a Renault espera um crescimento do mercado que deverá continuar a sua trajectória de recuperação mesmo se a um ritmo mais lento que em 2014.
A Renault estima que o mercado automóvel Português possa crescer cerca 10% atingindo assim as 185.000 unidades (Passageiros + Comerciais Ligeiros).
 
Nesta conjuntura a marca Renault pretende manter o seu estatuto de marca líder o que acontecer em 2015 sê-lo-á pelo 18º ano consecutivo.
 
O ano de 2014 será caracterizado por um novo impulso na renovação da gama com o lançamento do Novo Espace na Primavera o primeiro dos modelos que será lançado em 2015.
 
A Renault reafirma o seu compromisso com a mobilidade eléctrica, mantendo como objectivo ser a marca de referência e líder neste mercado já em 2015.
 
Para a Dacia, as ambições para o próximo ano vêm na sequência do realizado em 2013 2014: um efectivo crescimento das vendas (independentemente da evolução do mercado) e da quota de mercado da marca.
 
A ambição do Grupo Renault é portanto a de consolidar a sua liderança no mercado Português tendo como objectivo para 2015 realizar uma quota de mercado a um nível similar ao que já detém.
 

Tags:

Sobre nós

Comércio automóvel.

Subscrever

Media

Media