REPSOL CONVOCA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL DE ACIONISTAS

·   O Conselho de Administração da Repsol decidiu convocar a Assembleia Geral Anual da companhia, que se realiza previsivelmente em segunda convocatória, a 19 de maio

·  O Conselho irá submeter à Assembleia Geral Anual a aprovação das contas anuais e a distribuição de resultados correspondentes ao ano fiscal de 2016, ano em que a companhia obteve o maior lucro líquido dos últimos quatro anos

·  O Conselho de Administração aprovou uma proposta para a distribuição a cada acionista do equivalente a cerca de 0,45 euros brutos por ação através do programa "Repsol Dividendo Flexível" e em substituição do dividendo de 2016. Esta remuneração acresce à aprovada pela companhia, no âmbito do mesmo programa e em substituição do dividendo por conta de 2016, num montante equivalente a cerca de 0,35 euros brutos por ação.

·  Vai propor-se também à Assembleia Geral Anual a nomeação de Maite Ballester Fornés, Isabel Torremocha Ferrezuelo e Mariano Marzo Carpio como Administradores não-executivos independentes, bem como a reeleição de René Dahan, Manuel Manrique Cecilia e Luis Suárez de Lezo Mantilla, e a ratificação da nomeação de Antonio Massanell Lavilla por cooptação e reeleição.

O Conselho de Administração da Repsol convocou a Assembleia Geral Anual de Acionistas da empresa, que terá lugar no Palácio Municipal de Congressos de Madrid, previsivelmente em segunda convocatória, a 19 de maio.

O Conselho de Administração vai propor à Assembleia a aprovação das contas anuais e a distribuição dos resultados correspondentes a 2016, quando a empresa obteve um lucro líquido de 1.736 milhões de euros - o mais elevado dos últimos quatro anos. Além disso, será submetida a Assembleia a nomeação da PricewaterhouseCoopers como auditor da empresa para 2018, 2019 e 2020.

O Conselho de Administração aprovou uma proposta para a distribuição ao acionista, através do programa "Repsol Dividendo Flexível", do equivalente a cerca de 0,45 euros brutos por ação, e em lugar do dividendo final para 2016. Esta remuneração acresce à aprovada pela empresa no âmbito do mesmo programa e em substituição do tradicional dividendo por conta de 2016, num montante equivalente a cerca de 0,35 euros brutos por ação.

O Conselho de Administração vai propor também manter o programa de script dividend em vez do dividendo por conta para 2017, permitindo aos acionistas decidir se preferem receber parte ou a totalidade da sua remuneração em dinheiro ou em novas ações da empresa.

Outros dos assuntos em cima da mesa será a aprovação, por parte dos acionistas, da continuação do sistema retributivo do CEO, baseado nas alterações dos preços das ações da Repsol em comparação com uma amostra de cinco empresas internacionais. Além disso, e de acordo com as recomendações do Código de Boa Governação e com as melhores práticas, será submetida a avaliação da Assembleia a entrega de ações aos Diretores Executivos como parte integrante do pagamento da sua Remuneração Variável Multianual a Longo Prazo.

O Conselho concordou ainda propor à Assembleia Geral Anual a reeleição de Rene Dahan, Manuel Manrique Cecilia e Luis Suárez de Lezo Mantilla como Administradores, bem como a ratificação da nomeação de Antonio Massanell Lavilla por cooptação e reeleição. O Conselho irá propor aos acionistas a nomeação de Maite Ballester Fornés, Isabel Torremocha Ferrezuelo e Mariano Marzo Carpio como Administradores não-executivos independentes, substituindo Javier Echenique Landiríbar, María Isabel Gabarró Miquel e Henri Philippe Reichstul. Estas nomeações têm uma duração de quatro anos.

Tags:

Sobre nós

Companhia energética integrada e global, com ampla experiência no setor, que desenvolve atividades de Upstream (Exploração e Produção de hidrocarbonetos) e Downstream (Refinação, Marketing, Gás Liquefeito do Petróleo, Química e Novas energias) em todo o mundo.

Subscrever