85% dos portugueses podem sofrer um AVC

Especialistas incentivam portugueses a mudar comportamentos para reduzir o risco da doença
 
Com o aproximar do Dia Nacional do Doente Coronário – a 14 de fevereiro – altura em que se celebra também o Dia de São Valentim, a Associação Nacional AVC alerta para a importância de cuidarmos do coração daqueles que amamos e alterarmos comportamentos que estão na origem da maior parte dos acidentes vasculares cerebrais, uma doença que coloca em risco 85% da população portuguesa.
 
As doenças cardiovasculares continuam a ser a maior causa de mortalidade em Portugal. Em 2012, registaram-se 23.000 mortes provocadas por este tipo de patologias, das quais 16.000 foram causadas por acidente vascular cerebral. De acordo com os estudos mais recentes, 6 portugueses sofrem um AVC por hora, resultando em 2 a 3 mortes.
 
“Adotar uma alimentação saudável, com consumo de frutas, vegetais, redução de sal e gorduras, praticar exercício físico e alterar rotinas diárias – usar as escadas em vez do elevador, por exemplo – e deixar de fumar, visto que parar de fumar pode cortar os riscos de AVC pela metade”, explica Diogo Valadas, Diretor Técnico da Associação Nacional AVC.
 
Além dos fatores de risco que podem ser reduzidos com a mudança de hábitos é crucial prestar atenção a situações que não dependem da alteração de comportamentos. Existem pessoas com maior probabilidade de sofrer AVC do que outras, como os idosos, pessoas com histórico familiar de ocorrência de AVC, homens com menos de 75 anos e indivíduos com doença coronária e diabetes.
 
No âmbito das doenças cardiovasculares e tendo em conta o objetivo da Associação, cujo foco é o apoio aos doentes que sofreram um AVC, a instituição pretende integrar o Programa Nacional para as Doenças Cérebro-cardiovasculares, um dos projetos de saúde prioritários da Direção-Geral da Saúde, assumindo o papel de entidade representante de famílias vítimas de AVC.
 

Sobre o AVC

Um AVC surge quando o fornecimento de sangue para uma parte do cérebro é impedido. O sangue leva nutrientes essenciais e oxigénio para o cérebro. Sem o fornecimento de sangue, as células cerebrais podem ficar danificadas, impossibilitando-as de cumprir a sua função.
 
O cérebro controla tudo que o corpo faz, por isso, uma lesão no cérebro afetará as funções corporais. Por exemplo, se um AVC danificar a parte do cérebro que controla o movimento dos membros, ficaremos com essa função alterada.
 
A doença é repentina e os efeitos no corpo são imediatos. Os sintomas incluem:

  • Dormência, fraqueza ou paralisia  de um lado do corpo (pode ser um braço, perna ou parte inferior da pálpebra descaídos, ou a boca torta e salivante).
  • Fala arrastada  ou dificuldade em encontrar palavras ou discurso compreensível.
  • Visão subitamente enublada ou  perda de visão .
  • Confusão  ou instabilidade.
  • Forte  dor de cabeça .
 
Use um teste simples que o pode ajudar a reconhecer se uma pessoa teve um AVC:
  • Fraqueza Facial:  a pessoa pode sorrir? Tem a sua boca ou um olho caído?
  • Fraqueza no braço:  a pessoa consegue levantar os braços?
  • Problemas de expressão:  a pessoa consegue falar com clareza e entender o que lhe dizem?
 
Se reconhecer algum destes sinais, ligue o 112 imediatamente.

Tags:

Sobre nós

Empresa líder na área da saúde com um leque de soluções inovadoras em várias áreas terapêuticas. A sua atividade passa pela descoberta, desenvolvimento, produção e comercialização de medicamentos inovadores desde a prevenção até ao diagnóstico e tratamento.

Subscrever