Revista “Papeleo, Cuadernos Drawing Room” apresenta edição dedicada ao panorama artístico português

·                     Papeleo celebra 1ª edição da Drawing Room em Lisboa
·                    Adriana Molder, Ana Pérez-Quiroga,  Diogo Pimentão, Gabriela Albergaria, Miguel Ângelo Rocha, Musa paradisíaca e Pedro A.H Paixão, são alguns dos 25 artistas seleccionados por Maria do Mar Fazenda, directora artística da Drawing Room Lisboa, que integram a publicação.
·                    Revista inclui entrevistas a figuras de destaque no panorama museológico internacional.
·                    Feira de Desenho Contemporâneo Drawing Room promove a vitalidade da expressão gráfica actual e assume-se como uma plataforma pioneira na valorização e comercialização do desenho
 
O segundo número de revista Papeleo. Cuadernos Drawing Room, intitulada Portefólio Português, celebra a primeira edição da Drawing Room Lisboa e será apresentada no próximo dia 16 na Feira Artesantander, no Palácio de Exposições e Congressos do Santander. Dedicada ao desenho contemporâneo internacional, a Papeleo. Cuadernos Drawing Room, tem como missão apoiar a investigação e divulgação nesta área que se realiza na Drawing Room Madrid / Lisboa com o objectivo de ser um observatório do exercício do desenho de artistas contemporâneos.
Para esta edição, dedicada à produção nacional, Maria do Mar Fazenda, directora artística da Drawing Room Lisboa, seleccionou alguns dos mais destacados artistas portugueses, como Adriana Molder, Anamary Bilbao, Ana Pérez-Quiroga, António Poppe + Joana Fervença, Claire de Santa Coloma, Dayana Lucas, Diogo Pimentão, Gabriela Albergaria, Hugo Canolias, Marta Wengorovius, Mattia Dennise, Miguel Ângelo Rocha, Musa paradisíaca,  Nuno Henrique,  Paulo Lisboa,  Pedro A.H Paixão,  Pedro Gomes,  Ramiro Guerreiro,  Rui Horta Pereira,  Rui Moreira,  Sara Chang
 
Yan,  Susana Gaudêncio,  Vasco Araújo e Von Calhau! A revista inclui ainda entrevistas a figuras de destaque no panorama museológico internacional como Emília Ferreira, directora do Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado de Lisboa, Elsy Lahner, comissária de desenho contemporâneo no Museu Albertina, em Viena, e Imaculada Corcho, directora do Museu ABC de Desenho e Ilustração de Madrid.
 
Drawing Room Lisboa
Actualmente uma das mais importantes feiras especializadas do circuito europeu, a Drawing Room Lisboa chega a Portugal após três edições de sucesso da Drawing Room Madrid e pretende afirmar-se como um marco da Arte Contemporânea em Lisboa no segundo semestre do ano. Empenhada em promover o desenho e os artistas, a Drawing Room é uma plataforma pioneira na valorização e comercialização do desenho. Coleccionadores, profissionais e amantes da arte são convidados a conhecer e descobrir o panorama artístico contemporâneo – incluindo uma nova geração de artistas que se apropriou do desenho como meio privilegiado e que encontra a inegável devoção pelo desenho dos grandes mestres - através de projectos de cerca de 50 artistas internacionais estabelecidos ou emergentes seleccionados pelo cunho da curadora Maria do Mar Fazenda, que assume a Direcção Artística desta primeira edição da Drawing Room Lisboa e de um comité consultivo internacional.
De referir que a última edição da Drawing Room Madrid contou com a presença de 30 galerias internacionais e recebeu 12 mil visitantes. A Drawing Room Lisboa decorre de 10 a 14 de outubro, na Sociedade Nacional de Belas Artes.
 
www.drawingroom.pt

Equipa Drawing Room Lisboa
 
Mónica Álvarez Careaga, Directora da Feira - Comissária de arte contemporânea e produtora cultural. Historiadora de arte pela Universidade de Oviedo e museóloga pela École du Louvre (Paris). O seu trabalho como curadora tem-se centrado nas relações entre a identidade, a arquitectura e o doméstico, com particular destaque para os suportes como o desenho e a fotografia. Já comissariou diversas mostras de artistas como Cang Xin, Candida Höfer, Pedro Barateiro, Carlos Bunga, Ellen Kooi, Georges Rousse, Wolf Vostell, Rosa Muñoz o Concha García e colectivas em Espanha, Portugal, Alemanha, Polónia, Bélgica, Estados Unidos, China e Japão.
O seu percurso profissional incluiu ainda funções de direcção na organização de festivais e feiras. Foi directora do Festival Miradas de Mujeres em 2014 e consultora artística da Arte Lisboa de 2017 a 2011. É responsável pelo comissariado de projectos na Arco Madrid, Swab Barcelona, Art Beijing, Set Up Bologna e MIA Photo Fair Milano.
 
Maria do Mar Fazenda, Directora Artística - Curadora independente e investigadora no Instituto de História da Arte da Universidade NOVA de Lisboa. Neste momento, prepara a exposição Artist’s Film International para inaugurar em Outubro no MAAT. Destaca dos projectos curatoriais mais recentes: as exposições individuais de Miguel Ângelo Rocha, Spielraum  (galeria águas-livres 8, 2018) e de Sérgio Taborda, Desenhos-Acções  (Fundação Carmona e Costa, 2016), a exposição colectiva resultante do Prémio de Curadoria AMJP-EGEAC 2015 (Atelier-Museu Júlio Pomar, 2016) e a programação do Espaço Arte Tranquilidade 2012/2014. É membro da AICA – Associação Internacional de Críticos de Arte, desde 2010.
 
Filipa Valladares, Área Editorial - Curadora, produtora independente, editora e livreira. Como curadora independente realizou, entre outras, exposições como Num lugar entre o vento, de Rui Dias Monteiro, Espaço MIRA, Porto, 2014 e PAPEL (co curadoria com José Luis Neto), de Marta Castelo, Biblioteca do Arquivo Municipal de Fotografia de Lisboa, 2013. Realizou também várias exposições em co curadoria com Maria do Mar Fazenda, entre elas: Lei de Ohm / Residência Artística Fundação EDP no Museu da Electricidade, 2014; Spaces of Action – Projecto Associado da Trienal de Arquitectura de Lisboa, 2013; MNAA Olhares Contemporâneos / Residência Fundação EDP no Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa, 2012; Panis et Circenses no Centro de Artes de Sines, 2011. Em 2011 abre a livraria STET-livros e fotografias, especializados em fotografia, livros de artista e edições de autor.
 
Verónica de Mello, Programa de Coleccionadores - Arquitecta e Curadora. Trabalha em Lisboa; cursa os mestrados de Arquitectura, Arte e Espaço Efémero Universidad Politécnica de Catalunya e o Mestrado de Estudos Curatoriais da Faculdade de Belas Artes de Lisboa em consórcio com a Fundação Calouste Gulbenkian. Pós graduada em “Curatorial and Cultural Practices in Art and New Media” pelo Media Centre of Art and Design de Barcelona y ZKM Karlsruhe. Fundadora da Associação Cultural Colectivo de Curadores. Funda e co-dirige o ProjectoMap - Mapa de Artistas de Portugal desde 2009, presente em conferências no Pavilhão de Portugal da 55ª Bienal de Veneza, Guimarães Capital da Cultura (2012), entre outros. É também fundadora e Co-Directora da REDE Art Agency. Em 2018 cura a exposição Escala 1:1, produção Ministério de Cultura Espanhol, Tabacalera, Madrid.
 
Adelaide Ginga, Curadora de Projectos - Curadora do MNAC - Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, Lisboa, desde 2008. Recebeu recentemente uma bolsa de estudos da Fundação Calouste Gulbenkian para o desenvolvimento de um projecto de pesquisa internacional em Born Digital / Software Based Art, actualmente em progresso (2016-2018). Foi também responsável pelo projecto de arte curatorial do Le Consulat, em Lisboa. Começou a trabalhar no Instituto de Arte Contemporânea do Ministério da Cultura Português, em Lisboa, em 2000, e em 2003, assumiu a coordenação do Departamento Internacional, tornando-se responsável por várias Representações Nacionais Portuguesas nas Bienais de Arte e Arquitectura de Veneza, Bienal de São Paulo e Quadrienal de Praga. Em 2006 assumiu o cargo de Diretora Adjunta do Instituto das Artes, Lisboa. Em 2007, desenvolveu o projecto de renovação da Bienal Internacional de Arte e Cultura de São Tomé e Príncipe, sendo a Comissária Geral das edições 5 (2008) e 6 (2011). Entre 2012 e 2016 foi professora de “Curadoria e Gestão de Arte” na Universidade Católica Portuguesa, Faculdade de Ciências Humanas. Foi curadora de inúmeras exposições e é autora de catálogos de exposições museológicas e de ensaios escritos para publicações de história da arte. 

Tags:

Sobre nós

Sociedade Nacional de Belas-Artes, associação de cultura fundada em 16 de Março de 1901 que tem como principal objectivo promover e auxiliar o progresso da arte em todas as suas manifestações, defender os interesses dos artistas e em especial dos seus associados, procurando auxiliá-los tanto moral como materialmente, e cooperar com o Estado e demais entidades competentes em tudo o que interesse à arte nacional e ao desenvolvimento da cultura artística.

Subscrever