KOPKE DOURO D.O.C LANÇA TOPO DE GAMA

Vila Nova de Gaia, 10 de abril de 2012


Em três séculos o mundo mudou e muito, mas a qualidade dos Néctares produzidos pela Kopke perdura. Fundada em 1638, a Casa Kopke ostenta no seu percurso o título de mais antiga companhia de Vinho do Porto. Como tributo à sua génese desafiante e potenciando a sabedoria de inúmeras gerações, a Kopke perpetua o seu sucesso consolidando a sua presença no segmento dos vinhos Topo de gama com o lançamento de uma novidade no seu portefólio, o Kopke Vinhas Velhas 2008.


Na sequência do sucesso incontestável da gama de Vinhos Kopke Douro DOC nas categorias colheitas e Reserva Branco e Tinto, o grupo Sogevinus Fine Wines decide lançar uma nova referência para o mercado, um dos vinhos que se quer impor como um ícone superior de excelência e evolução sustentada nos vinhos Douro DOC da marca Kopke.


O Kopke Vinhas Velhas 2008 concretiza a expressão máxima da nobreza do terroir e surge em homenagem aos consumidores Kopke, a afirmação contínua de Amor da Kopke ao Douro. “Este lançamento surge como um passo muito importante para a marca Kopke que se identifica com um peso histórico importante nos vinhos do Porto. Entendemo-lo como um passo em frente na consolidação do portfolio dos vinhos DOC Douro da companhia com entrada em linha de um vinho topo de gama.” Sustenta António Montenegro, diretor comercial nacional do grupo.


Elaborado a partir de uma cuidada selecção de vinhas com mais de 30 anos, exclusivas da Quinta de S. Luiz, localizada em pleno coração do Alto Douro, este vinho envelhece durante 16 meses em barricas de carvalho francês de 225L.


Com assinatura do enólogo Francisco Gonçalves, o Kopke Vinhas Velhas combina duas castas de excelência no Douro - a casta Touriga Nacional com a vigorosa casta Sousão num complexo e perfumado nariz de frutos silvestres maduros harmonizados com agradáveis nuances minerais e uma presença de barrica extraordinariamente bem integrada.


Elegante e fresco no paladar, com taninos firmes e finos a reforçarem o seu carácter de sofisticação. “Depois destes últimos anos de exaustivo trabalho nos vinhos Douro DOC da companhia é com enorme orgulho e privilégio que damos a conhecer este novo membro da família Kopke. É um incansável trabalho iniciado na vindima de 2008 por parte da equipa de enologia que dá à luz aquele que será o novo ícone da marca e que só será produzido em anos de colheita de qualidade excepcional ” argumenta o enólogo Francisco Gonçalves.


Um vinho de notável persistência, que acompanha na perfeição pratos de carne, caça e queijos.


Com um preço de venda recomendado de 29€ /unidade, o Kopke Vinhas Velhas estará à venda a partir de Abril nas principais garrafeiras do país, lojas gourmet e El Corte Inglés.


Produção: 3011 garrafas numeradas.


SOBRE A MARCA KOPKE …


A marca Kopke surge com a família alemã do mesmo nome. Os Kopke, originários de Hamburgo, fixam-se em 1636 em Lisboa, onde Nicolau Kopke desempenhou o cargo de Cônsul Geral da Liga Hanseática. Dois anos mais tarde, em 1638, seu filho Christiano Kopke estabelece-se no Porto como comerciante e exportador de produtos portugueses, sendo ao mesmo tempo Cônsul no Norte. Deu início à exportação de Vinhos de Mesa produzidos na região, como parte integrante do seu negócio. Quando o vinho – agora designado de Vinho do Porto – foi definido em características e reconhecido por isso, a Kopke tornou-se uma das marcas líder (1670/1680). Ao longo de muitas gerações, o negócio foi dirigido pelos membros da Família Kopke, construindo a excelente reputação que hoje os seus vinhos apresentam.


Com a morte de Joaquim Augusto Kopke, em 1895, chegaram ao fim mais de 250 anos consecutivos de ligação da Família Kopke à Casa que tinha o seu nome. A partir de então, a C. N. Kopke Cº, propriedade da família Bohane, passa a ser dirigida de Londres. A dificuldade em geri-la à distância, e os problemas financeiros causados pela II Grande Guerra, obrigaram Frank e Edgar Bohane a vender a Empresa em 1953 à Família Barros, cujo líder, Manuel de Barros, estava, já então, ligado ao negócio da exportação do Vinho do Porto.


A Casa Kopke manteve, no entanto, uma grande independência comercial. Manuel de Barros e os seus filhos, João Barros e Manuel Barros, dirigem a Companhia até meados dos anos setenta, tentando melhorar cada vez mais a imagem dos seus vinhos, e desenvolvendo uma importante e vasta unidade agrícola na Região do Douro, a Quinta de S. Luiz. Aqui foi, ao longo do tempo, modernizada a produção e cuidado o plantio de vinhas das mais conhecidas e variadas castas.


É finalmente em Junho de 2006, que o Grupo Sogevinus adquire a C.N. Kopke Cª Lda através da Barros Almeida, mantendo a sua reconhecida marca como sinónimo de qualidade e prestígio, cujos quase 400 anos de existência no mercado o confirmam.


Hoje é reconhecida como a marca mais antiga de Vinho do Porto e líder incontestável na categoria “Colheita”.


SOBRE A SOGEVINUS FINE WINES:


No mercado desde 1998, e presente em mais de 60 países, a holding portuguesa Sogevinus Fine Wines assume-se como um dos players mais destacados e completos do sector, com um portfólio diversificado que reúne um mix de produtos único. Líder na categoria de vinhos do Porto “Colheita”, a Sogevinus distingue-se pela aposta contínua na qualidade, na excelência e no valor das suas marcas, crucial para alcançar objectivos tão importantes quanto alargar a base de consumidores de vinho do Porto e conquistar novos públicos tanto a nível nacional como internacional.


Esta holding portuguesa é detida a 100% pela NovaGalicia Banco.


Portfólio de marcas Grupo Sogevinus FineWines:


Principais marcas de Vinhos DOC Douro: Burmester, Curva, Kopke, Barros, D D;

Principais marcas de Vinhos do Porto: Kopke, Burmester, Cálem, Barros, Gilberts.

Principais marcas de azeite biológico: Almogral, Quintas de Portugal.


NOTAS AOS EDITORES:


• Ao longo dos seus mais de 370 anos viu nascer e morrer nações, impérios estadistas e grandes heróis. Assistiu a guerras e a grandes momentos de glória da história da humanidade. A Kopke viu nascer as Vinhas do Douro e ajudou a moldar a paisagem feita pela mão do homem, naquela que é uma das mais belas obras de arte portuguesas. A Kopke é, igualmente, Património da humanidade e já estava no Douro quando o mundo viu as figuras rupestres do Vale do Côa. Quando muitos partiram e outros tantos nasceram, já a Kopke estava, e continua no Douro, lado a lado com a sua gente.


• A Quinta de S. Luiz fica situada na margem esquerda do rio Douro, perto do Pinhão, na freguesia de Tabuaço, e é considerada uma das mais representativas da sub-região do cima-corgo. Conta com125 hectares e 90 de vinha plantada.


• Portugal em 1638 vive momentos de revolta social contra o Rei espanhol. Nesse ano os conjurados tentam convencer D. João IV a uma revolução contra o domínio filipino e, no Porto, temos a denominada “Revolta do Porto” contra a imposição da coroa;


• Em 1640, Portugal assiste à restauração da Independência;


• Em 1755, um terramoto arrasa Lisboa e o Marquês de Pombal, Sebastião José de Carvalho e Melo assume a reconstrução da cidade;


• Em 1756, o primeiro-ministro Marquês de Pombal cria a Companhia Geral da agricultura das Vinhas do Alto Douro, a Real Companhia Velha, criando uma das primeiras regiões demarcadas de vinhos no mundo e tendo ao seu lado Nicolau Kopke;


• Em 1828 e até 1834, Portugal mergulha numa guerra civil;


• 1863 constitui um ano marcante no Douro pelo aparecimento da filoxera no Alto Douro. Esta doença mata milhares de vinhas e constitui a maior crise que o Douro já assistiu. Em 1872, o Governo nomeia uma Comissão encarregada de visitar a região e estudar a filoxera.


• Em 1910, a monarquia cai e temos a implantação da República;


• Em 25 de Abril de 1974 assistimos a revolução dos cravos e a implantação do regime democrático com a entrada em vigor da nova Constituição a 25 de Abril de 1976;


• Em 1986 Portugal adere a CEE;


• Em 1998, Portugal acolhe a EXPO´98;


Para mais informações contactar:

Cátia Moura

catia.moura@sogevinus.com

T. 913 611 929

www.sogevinus.com

Tags:

Subscrever

Media

Media