750 anos marcam o nascimento do maior escritor da cultura italiana – Dante Alighieri

Em 2015, assinalam-se os 750 anos do nascimento daquele que viria a ser o maior escritor da cultura italiana - Dante Alighieri. Mundialmente conhecido pela criação do poema didático alegórico A Divina Comédia , escrito no século XIV na língua italiana e que narra a viagem do autor pelos três reinos do Além (o Inferno, o Purgatório e o Paraíso), Dante Alighieri influenciou, ao longo da história, vários poetas, músicos, pintores, cineastas e outros artistas que viram na sua obra uma inspiração intemporal para as suas criações.
 
Desenhadores e pintores, como Gustave Doré, Sandro Botticelli, Salvador Dalí, Michelangelo e William Blake estão entre os ilustradores da sua obra. Os compositores Robert Schumann e Gioacchino Rossini traduziram partes do seu poema, em música, e o compositor húngaro, Franz Liszt, usou A Divina Comédia como tema de um de seus poemas sinfónicos.
 
Dante Alighieri nasceu, em 1265, no seio de uma família cujo legado histórico ao cenário complexo político florentino era uma constante. Vinte anos mais tarde, o poeta foi forçado a casar-se com a filha de um amigo da família, Gemma Donati, muito embora estivesse apaixonado por outra mulher, Beatrice Portinari, que viria a inspirar a sua obra Vita Nuova , em 1295, na qual descreveu o amor trágico e mágoa que teve com a morte inesperada da sua sempre amada “Beatriz”.
 
Nessa época, Dante Alighieri começou a aprofundar o estudo da filosofia e da política, pois Florença era uma cidade tumultuosa, com lados diferenciados que representavam o papado e o império, continuamente em desacordo. O poeta desempenhou uma série de importantes cargos públicos mas, em 1302, foi exilado até à morte, pelos dirigentes dos Guelfos Negros, o lado político que detinha o poder na época.
 
Durante o seu exílio, Dante Alighieri viajou, escreveu e retirou-se de todas as atividades políticas e este seria o início do seu período artístico mais produtivo. Nessa época, o poeta começou a escrever a sua obra mais famosa, A Divina Comédia , e em 1317, estabeleceu-se em Ravenna, onde viria a completar esta sua obra ainda hoje recordada por muitos estudiosos. Sem autorização para regressar a Florença, Dante Alighieri morreu em Ravena, Itália, no dia 13 de setembro de 1321.
 
Salvato Teles de Menezes, Consultor Cultural, especialista em Literatura Comparada, refere que «a Divina Comédia é um dos monumentos mais importantes da história da literatura universal, tendo exercido uma influência, tanto direta como indireta, sobre todas as grandes literaturas desde a sua época até aos nossos dias. Essa persistente influência deve-se essencialmente ao seu caráter inovador do ponto vista técnico formal (o uso da terza rima ou rima dantesca, por exemplo), bem como ao facto de ser um extraordinário repositório de praticamente tudo o que o passado literário clássico legou ao século de Dante. Sendo uma obra alegórica, construída dentro da cosmovisão medieval, com uma dimensão teológica clara, isto é, que possui uma intenção formativa, a sua leitura deixa transparecer, quer no original quer na magnífica tradução de Vasco Graça Moura, uma modernidade e uma frescura que muitas obras contemporâneas não conseguem exibir.»
 
No âmbito do projeto “A Arte Chegou ao Colombo” que conta, este ano, com a sua 5ª edição, o Centro Colombo associou-se à comemoração dos 750 anos que marcam o nascimento do maior escritor da cultura italiana, Dante Alighieri, e prepara-se para trazer, a partir do próximo mês de junho, um dos maiores contributos que o autor teve com a sua obra A Divina Comédia , ao nível da sua influência na área da expressão artística.
 
Em anexo, enviamos comunicado de imprensa com mais informação de apoio sobre o autor e obra e uma breve nota biográfica do mesmo.

Tags:

Sobre nós

Especialista internacional em centros comerciais.

Subscrever

Media

Media