Estação Viana Shopping recebe nova exposição com coleções secretas dos museus da região

O Estação Viana Shopping recebe, a partir de 16 de setembro , uma nova exposição da iniciativa ‘Pulsar Viana’, que reúne imagens de coleções menos conhecidas dos museus da região, seleccionadas pela artista vianense, Dina Maciel Costa.
 
A artista elegeu peças de três museus da região - Museu de Olaria de Barcelos, Museu do Brinquedo Português de Ponte de Lima e Navio-Hospital Gil Eannes de Viana do Castelo – para a exposição “Coleções Secretas da Região by Dina Maciel Costa”.   Para o “Pulsar Viana” a artista criou, ainda, um conjunto de 5 desenhos com a técnica da aguada, onde faz a sua própria interpretação das coleções secretas dos museus.
 
Esta exposição decorre no âmbito da 2ª edição da iniciativa ‘Pulsar Viana’, um programa cultural que reforça a aposta do Estação Viana Shopping como um espaço de partilha e divulgação da arte tradicional da região.
A edição deste ano do ‘Pulsar Viana’, que começou em julho, está a desvendar os segredos mais bem guardados das artes e tradições de Viana do Castelo e do Minho, com a curadoria de duas conceituadas artistas locais que vão revelar coleções menos conhecidas do grande público de alguns dos museus da região. Iva Viana curadora da primeira exposição, patente até a 15 de setembro no Estação Viana Shopping, com imagens de peças do Museu de Artes Decorativas, do Museu do Traje e da Casa dos Nichos e Dina Maciel Costa , que elegeu os trabalhos que vão estar em exposição a partir de 16 de setembro.
 
Dina Maciel Costa , natural de Viana do Castelo, licenciada em Direito, detentora de um percurso multifacetado e uma elasticidade vocacional que a levou inevitavelmente a explorar novas linguagens e áreas de conhecimento passando pelo Teatro, Literatura e nos últimos anos o Desenho e Ilustração. Atualmente divide o seu tempo entre a Desenho/Ilustração e o movimento literário Edições Sim! A artista é reconhecida pela sua capacidade de captar em poucas manchas o essencial: um registo de comicidade, num estilo festivo, garrido, profundo, incisivo, único e autêntico.
 
A paixão pelo desenho e a surpresa constante são a força motriz para a sua evolução. A sua primeira exposição data de Abril de 2014, no âmbito do ‘Inauguro 27’, a convite do Viana Welcome Center, com uma série de desenhos que retratam de forma sensível e humanista o clima gerado pela polémica subconcessão dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, exposição esta que teve como título “ENVC- o despedimento colectivo” e aborda de forma muita direta o impacto gerado na população local, a atmosfera social vivida à data. Um dos seus trabalhos, “the old man who lives in my brain”, foi selecionado pelo júri para integrar a segunda exposição coletiva da Shair, plataforma de artistas emergentes da DST. No mesmo ano realiza uma exposição sobre as narrativas da Faina Maior e as memórias coletivas de uma comunidade piscatória que apresentou também numa participação internacional em Hendaia, entre outras.
 
Para Dina Maciel Costa “ Este desafio lançado pelo Estação Viana Shopping deu-me a oportunidade de aprofundar o conhecimento dos museus da região. A tarefa mais complexa foi a de escolher três peças representativas das colecções dos respectivos museus, de uma vasta colecção de objectos garridos, expressivos e únicos.”
 
Os objetos que a artista seleccionou para a exposição têm como elemento comum “A espontaneidade e a comicidade, todos contam histórias, todos são fruto da vivência popular, de experiências criativas de artesãos que reinventaram as suas personagens. São objectos que permitem um exercício de imaginação e desconstrução da forma e da própria linguagem plástica. Objectos esses que vão de total encontro à minha forma de estar na arte.”
 
A partir da selecção, Dina Maciel Costa, criou um colectivo de 5 desenhos onde interpreta alguns dos objectos, mantendo a tónica do seu traço, livre, espontâneo e acutilante, num perfeito jogo de movimento e cor que dá uma nova cor aos objectos, realçando as possibilidades plásticas.
 
“Gosto acima de tudo de brincar com as formas e rasurar até encontrar a essência e a expressão plástica que de alguma forma distinguem o meu trabalho. Na arte é como no resto, a perfeição existe quando se pode desconstruir, quando as barreiras são fáceis de quebrar.” Acrescenta.
Para os Museus parceiros do “Pulsar Viana” esta é uma oportunidade única de mostrarem uma parte do seu espólio junto de um público diversificado e salientam a importância deste evento para a promoção de coleções de espaços museológicos da região, para a educação para o património e a educação pelas artes criativas, ao mesmo tempo que permitem atrair novos públicos e cooperar para o desenvolvimento histórico-cultural gerador de novos conhecimentos lúdicos e pedagógicos.
O ‘Pulsar Viana’, numa perspetiva de democratização da arte, consegue assim dinamizar os equipamentos culturais e oferecer aos visitantes do Estação Viana Shopping uma oportunidade única de conhecerem mais sobre as regiões de Viana do Castelo e do Minho.
Sobre os museus
 
Museu de Olaria
O Museu de Olaria teve a sua génese numa colecção doada por Joaquim Sellés Paes de Villas-Boas à Câmara Municipal de Barcelos. Este etnógrafo barcelense ofereceu a sua colecção particular, que considerou compreender três conjuntos: o da cerâmica barcelense (olaria e figurado); o dos artefactos de barro de outras proveniências e o dos demais objectos etnográficos. Na sequência desta oferta, foi proposta a criação de uma “Sala de Artes Regionais” onde seriam expostos os objectos doados por Sellés Paes. Em 1982, o espólio do museu, que se encontrava até à data numa pequena sala do Paço dos Condes de Barcelos, passa para a Casa dos Mendanhas, edifício onde actualmente funciona o museu, em pleno centro histórico de Barcelos, mas ainda sem qualquer adaptação do espaço à nova função. Entre 1991 e 1994 procede-se à recuperação do edifício e a 29 de Julho de1995 este abre ao público. Desde então o Museu tem vindo a funcionar seguindo rigorosamente os critérios estabelecidos de conservar, estudar e expor o espólio do Museu para deleite e educação dos vários públicos.
 
Museu do Brinquedo Português em Ponte de Lima
Instalado num grandioso edifício do Parque do Arnado, em Ponte de Lima, o Museu do Brinquedo Português abre-se aos visitantes para dar a conhecer o mundo encantado dos brinquedos de fabrico português, numa exposição que congrega peças desde o final do século XIX até 1986. No rés-do-chão do museu fica-se a conhecer a história de alguns dos mais importantes fabricantes portugueses de brinquedos e pode-se comparar o brinquedo português com o estrangeiro relativamente ao fabrico; observa-se como se copiavam e imitavam moldes estrangeiros. No final pode-se consultar uma resenha de quase duzentos fabricantes portugueses. No primeiro andar as peças estão ordenadas por ordem cronológica, permitindo ao visitante ficar com uma noção dos fabricantes, técnicas de fabrico, matérias-primas e distribuição geográfica das indústrias portuguesas.
 
Navio-Hospital Gil Eannes
O Navio Hospital Gil Eannes , construído nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, iniciou a sua atividade como hospital em 1955, apoiando durante décadas, a frota bacalhoeira portuguesa que atuava nos bancos da Terra Nova e Gronelândia. Embora a sua principal função fosse prestar assistência hospitalar a todos os pescadores e tripulantes, o Gil Eannes também foi navio capitania, navio correio, navio rebocador e quebra-gelos, garantindo abastecimento de mantimentos, redes, isco e combustível aos navios da pesca do bacalhau. Desativada a frota bacalhoeira, ficou apodrecer nas docas de Lisboa, durante muitos anos. Em 1998, a Fundação Gil Eannes, considerando-o património cultural e afetivo da cidade, resgatou-o da sucata por cerca de 250 mil euros, após uma inédita campanha que envolveu todos os estratos sociais vianenses. Em 31 de Janeiro de 1998, foi recebido festivamente na Foz do Lima, onde, depois de limpo e restaurado, foi aberto ao público, assumindo-se como pólo de atratividade para Viana do Castelo. A reconversão transformou-o num espaço museológico, integrando salas de exposição, sala de reuniões,  loja de recordações , quatro quiosques multimédia, um  simulador de navegação  e uma Pousada de Juventude.
 
Sobre o Estação Viana Shopping
Inaugurado em 2003, o Estação Viana Shopping é a superfície comercial de referência na cidade de Viana do Castelo e na região Minho litoral. Com 92 lojas, distribuídas por três pisos, tem cerca de 19.182 m2 de Área Bruta Locável (ABL). A arquitetura do Centro é única, com a linha do comboio a atravessá-lo. A par com as lojas de roupa, acessórios, sapatarias, decoração, telecomunicações e serviços os visitantes podem usufruir da zona de restauração e dos mais de 600 lugares de estacionamento. O Estação Viana Shopping oferece ainda aos visitantes uma esplanada panorâmica e o vianamini , um espaço infantil gratuito, inspirado na temática dos comboios e destinado a crianças entre os 2 e os 9 anos de idade.
A par da experiência única de compras e de lazer que oferece aos seus clientes, o Estação Viana Shopping assume a responsabilidade de dar um contributo positivo para um mundo mais sustentável, trabalhando ativamente para um desempenho excecional nas áreas ambiental e social. Todas as iniciativas e novidades sobre o Centro podem ser consultadas no site www.estacaoviana.pt e na página de Facebook disponível em www.facebook.com/estacao.viana .

Tags:

Sobre nós

Especialista internacional em centros comerciais.

Subscrever

Media

Media