Exposição do Museu Nacional de Arte Antiga no Centro Colombo recebe 40 mil visitantes no 1º mês

Perto de 40 mil pessoas visitou a exposição do MNAA - Museu Nacional de Arte Antiga no Centro Colombo no primeiro mês de exibição. Entre o dia 30 de março e o dia 30 de abril, um total de 39.779 pessoas viu a exposição “Construir Portugal. Arte da Idade Média”, um número que supera largamente as expectativas do MNAA e do Centro Colombo.


“O MNAA está claramente a obter um eficaz retorno no plano da visibilidade e da sua relação com os públicos. Trata-se de inverter a relação tradicional - de aproximação dos públicos ao Museu - promovendo uma aproximação do Museu aos públicos que, mesmo pelo carácter inédito que tem entre nós, seguramente contribui para uma nova relação da instituição com a comunidade”, refere o diretor do MNAA, António Filipe Pimentel.


”O incremento da visibilidade do MNAA terá certamente consequências muito positivas no volume de visitantes do Museu. A Arte Chegou ao Colombo trata de levar mais longe, ainda, o que já é uma prática consolidada do MNAA, na sua aposta numa relação de proximidade com os públicos, decorrente de uma programação ousada, sempre sustentada em rigorosos padrões de qualidade”, adianta António Filipe Pimentel.


Neste sentido, o MNAA espera que este projeto contribua para activar ainda mais o aumento consolidado de públicos que vem registando de modo crescente. O MNAA recebeu 129 036 visitantes em 2011.


Criada especificamente para o projeto A Arte Chegou ao Colombo, a exposição “Construir Portugal. Arte da Idade Média” reúne um conjunto de 31 obras de arte do MNAA das mais diversas tipologias, como pintura, escultura e múltiplas declinações das chamadas artes decorativas (têxteis, metais, cerâmica, mobiliário, etc). A exposição estará patente até ao dia 30 de Junho. Seguir-se-á uma segunda exposição, intitulada “Desenhando o Mundo. Arte da época dos Descobrimentos”, de 05 de Julho a 30 de Setembro.


Para o diretor do Centro Colombo, Paulo Gomes, “A Arte Chegou ao Colombo está a atingir os seus objetivos de proporcionar aos seus clientes o contacto com obras de Arte Antiga de referência nacional. Os nossos visitantes passaram a contar com uma vertente cultural sempre que visitam o Centro Colombo seja para lazer, fazer compras ou simplesmente passear”.


Sobre o Centro Colombo:


O Centro Colombo, o maior centro comercial da Península Ibérica, dispõe de mais de 360 lojas e possui características únicas com uma fabulosa variedade de oferta. Com uma área de abrangência supra-regional, no Centro Colombo encontra tudo aquilo que possa imaginar. São mais de 60 restaurantes, 10 salas de cinema, Jardim Exterior, um Health Club, mais de 10 serviços de apoio ao cliente, um parque de diversões coberto e as maiores lojas âncora do país que incluem as marcas mais procuradas pelos consumidores. Desta forma, o Centro Colombo representa uma oferta completa caracterizada pela Inovação e Diferenciação dos seus produtos e serviços, com o intuito de maximizar o conforto e segurança dos seus clientes.


O Centro Colombo é activo no cumprimento do projecto PERSONÆ, que se centra na consolidação de uma cultura de prevenção e antecipação de acidentes, com enfoque no comportamento responsável de cada indivíduo através de valores comuns adoptados por toda a organização e com o objectivo de atingir a meta "zero acidentes".


Todas as iniciativas e novidades sobre o Centro podem ser consultadas no site www.colombo.pt


Sobre o MNAA-Museu Nacional de Arte Antiga:


Criado em 1884, o MNAA - Museu Nacional de Arte Antiga abriga a mais relevante colecção de arte do País. Pintura, escultura, artes decorativas, portuguesas, europeias e da Expansão, desde a Idade Média até ao século XIX, incluindo o maior número de obras classificadas como “tesouros nacionais”. Entre elas, destacam-se os Painéis de S. Vicente, obra-prima da pintura europeia do século XV; a Custódia de Belém, de Gil Vicente, mandada lavrar por D. Manuel I e datada de 1506; os biombos Namban, final do século XVI, onde se regista a presença dos portugueses no Japão; as Tentações de Santo Antão, de Bosch, exemplo máximo da pintura flamenga do início do século XVI; S. Jerónimo, de Dürer, 1521, inovadora representação do santo ou o centro de mesa de Thomas e François-Thomas Germain, ourives franceses do século XVIII, que integra a baixela da Casa Real portuguesa.


Instalado no Palácio dos Condes de Alvor, em Santos, construção seiscentista, sucessivamente ampliada e englobando ainda a antiga capela adjacente do convento carmelita de Santo Alberto, o MNAA e o seu jardim (com restaurante e esplanada) gozam de uma excepcional vista sobre o Rio Tejo e o porto de Lisboa.

De acordo com dados recentemente divulgados pelo IMC (instituto que tutela os museus do Estado), o MNAA foi o segundo museu nacional mais visitado em 2011.


Para mais informações por favor contactar:

Lift Consulting - Tânia Miguel

T: 351214666500 | M: 351918270387

tania.miguel@lift.com.pt

Tags:

Sobre nós

Especialista internacional em centros comerciais.

Subscrever

Media

Media