O que ainda há para ver na Exposição “O Circo de Fernand Léger”

José Almada Negreiros, Alexandre Rola e David Oliveira juntam-se à exposição “O Circo de Fernand Léger”. É na zona de destaque que recebe exposições temporárias, e que tem como temática o “Circo na Arte Portuguesa”, que estarão patentes de 21 de setembro até 3 de outubro as obras dos dois artistas emergentes convidados para dar seguimento à exploração da arte circense – Alexandre Rola e David Oliveira. De seguida, de 4 a 22 de outubro, este espaço será preenchido com as obras de José Almada Negreiros.

E para envolver ainda mais os visitantes no mundo da arte circense, depois do sucesso da apresentação de ARO, surgem agora mais dois espetáculos em parceria com o Instituto Nacional de Artes do Circo (INAC): “Cabaret Fabbrica C”, dia 22 de setembro às 18h00 e “Plaina”, que marca o encerramento da exposição no dia 21 de outubro às 15h00. Ambos os espetáculos decorrem na Praça Central do NorteShopping, no espaço temporário desenvolvido pelo atelier de arquitetura FAHR 021.3, que teve como base as próprias estruturas de suporte do espetáculo, os padrões, cores e formas presentes no mundo do circo. 

Estas iniciativas temporárias surgem no âmbito da exposição “O Circo de Fernand Léger”, composta por 52 litografias em 29 quadros da obra-prima de Léger. A exposição pode ser visitada até ao dia 22 de outubro, na Praça Central do NorteShopping, todos os dias, das 10H00 às 24H00, e tem entrada gratuita. O Professor Jorge Barreto Xavier, gestor cultural e antigo Secretário de Estado da Cultura, é o embaixador da exposição que conta com a curadoria e produção State of the Art.

Alexandre Rola e David Oliveira

A série “Circus” chega agora ao NorteShopping pelas mãos de Alexandre Rola. O artista portuense, detentor de diversos prémios, desenvolveu estas obras inspirado em Fernand Léger mas também em Picasso, Matisse, Alexander Calder e Chagal, descontextualizando os seus trabalhos. “Circus” transmite uma visão cúmplice de crítica da sociedade contemporânea, abordando temas como as condições de vida atuais e a dedicação dos artistas ao seu número, retratando um confronto com a realidade circense através dos gestos e da espontaneidade que coloca no seu trabalho. Com esta série, Alexandre Rola pretende transmitir que “Os artistas de circo são superiores a mim…”, frase de Fernando Pessoa da qual “se apropriou”.  

David Oliveira irá apresentar obras com base na metodologia de desenho que desenvolve num espaço tridimensional. Com representações de animais e da natureza feitas de arame e tule, as esculturas requerem uma contemplação de diversos ângulos, sendo possível viajar para o mundo circense de desenhos suspensos no ar e feitos de lápis. Em escultura ou desenho, em transparente ou opaco, representando o real ou a fantasia, o artista lisboeta é ambivalente no seu trabalho, nunca procurando a definição de um conceito. Formado em Escultura, venceu diversos prémios e participou em diversas feiras internacionais.

José Almada Negreiros

De 4 a 22 de outubro, é a “Coleção Saltimbancos” de José Almada Negreiros que ocupa o espaço “Circo na Arte Portuguesa” – uma coleção singular e prestigiada do século XX que marca o decorrer da sua carreira. O artista viu nestas figuras uma ligação idêntica aos artistas de teatro italiano que, tal como os saltimbancos, situavam-se entre palhaços e heróis, como personagens que viviam do espetáculo como forma de servir a sociedade. Multifacetado e de ideias vanguardistas, Almada Negreiros abraçou as artes plásticas, o desenho, a pintura e a escrita e desenvolveu uma extensa atividade artística criando o grupo Modernista em Portugal. Com esta coleção, o artista coloca os saltimbancos como figuras provocadoras da sociedade, sublinhando ainda que o espetáculo circense não se destina apenas à fusão de estilos artísticos, mas enaltece a própria condição do artista que arrisca a sua vida para criar.

“Cabaret Fabbrica C” e “Plaina”

É também no âmbito desta exposição, e para marcar a inauguração do segundo momento no espaço “Circo na Arte Portuguesa”, que “sobe ao palco” da Praça Central o espetáculo “Cabaret Fabbrica C”. Dia 22 de setembro às 18h00, os visitantes do NorteShopping poderão assistir a um espetáculo exclusivo da companhia composta por portugueses e italianos, a Fabbrica C. Com sete artistas, entre acrobatas, malabaristas e bailarinos, este espetáculo apresenta um cabaret de circo de ficar sem fôlego, com momentos acrobáticos aéreos, alternados com graças e brincadeiras de malabarismos e manipulação de corpos. Adaptado para este momento, “Cabaret Fabbrica C” é uma criação coletiva onde se revelam as qualidades de cada um dos artistas, contribuindo este cenário para um espetáculo inesquecível e inspirado nas obras de Fernand Léger.

E para marcar o encerramento desta inauguração, dia 21 de outubro às 15h00 é apresentado “Plaina”, um espetáculo de circo contemporâneo que retrata o quotidiano de uma sociedade ribeirinha. Com cinco intérpretes e música original de Lucas Argel, este espetáculo decorre nas margens de um estaleiro gasto pelo tempo, num ambiente de roldanas, cordas, redes, pedaços de barcos e contra pesos aéreos. Uma investigação sobre as atividades marítimas em declínio que recorre à manipulação de objetos de trabalho, a madeira, as redes, os ancinhos, resultando numa forma coreográfica de corpos, cordas, velas e suor.

Materiais de comunicação aqui.

Tags:

Sobre nós

Especialista internacional em centros comerciais.

Subscrever

Media

Media