CONSÓRCIO LIDERADO PELA SONAE EXPLORA OPORTUNIDADES DOS OCEANOS

  • O projeto designado ValorMar, tem a missão de valorizar integralmente os recursos marinhos e conta com a participação de 31 entidades.
  • O projeto propõe soluções inovadoras para a criação de novos produtos alimentares saudáveis, recorrendo a tecnologias sustentáveis e eficientes.

Acaba de ser lançado o projeto ValorMar, uma iniciativa liderada pelas entidades Sonae, CIIMAR – Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto - e Fórum Oceano - Associação da Economia do Mar, que tem por objetivo a valorização de recursos marinhos através da investigação e desenvolvimento de novos produtos e da melhoria de processos produtivos por via de novas tecnologias, num esforço conjugado de 31 entidades que formam o consórcio.

Deste projeto fazem parte 18 entidades provenientes do sistema científico nacional, como o próprio CIIMAR ou as Universidades de Aveiro, do Minho, do Porto, do Algarve e Católica Portuguesa a par dos Politécnicos de Viana do Castelo e Leiria, mas também 13 entidades de diferentes áreas de atividade, como a própria Sonae, a Docapesca, ou a Soja de Portugal, numa diversidade de agentes representativa de toda a cadeia de valor do mar, da indústria primária ao consumidor.

O projeto tem um horizonte temporal de três anos e gerará novas aplicações marinhas para a indústria alimentar, biomédica, farmacêutica e cosmética. Perspetiva-se o lançamento de novos produtos saudáveis com base em recursos como algas e similares, novos serviços e tecnologias de desenvolvimento e otimização para aquacultura ou de rastreabilidade integrada da cadeia do pescado, com capacidade de alavancar a economia do mar e conduzir os operadores a oportunidades de crescimento, nomeadamente, através da exportação de bens e serviços.

Os objetivos deste projeto, e resultados esperados, estão totalmente alinhados com a estratégia de aposta nos produtos frescos por parte da Sonae MC e com o trabalho que sistematicamente realiza com os outros atores da cadeia de valor do pescado, tanto ao nível dos produtos como da rastreabilidade de origem e condições de captura.

Para atingir os objetivos a que se propõe, o ValorMar vai contar com um investimento superior a 8 milhões de euros, cerca de 66% dos quais financiados pelo Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico no âmbito do programa Portugal 2020, sendo o restante da responsabilidade das entidades participantes.

O projeto foi ontem apresentado no Terminal de Cruzeiro do Porto de Leixões, na presença das 31 entidades que formam o consórcio.

Tags:

Sobre nós

Empresa de retalho.

Contactos

Subscrever

Media

Media