SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO

1. PRINCIPAIS DESTAQUES DOS PRIMEIROS NOVE MESES DE 2014 (9M14):

 - Volume de negócios cresce 4,1% para 3.610 M€, mantendo-se o contributo positivo de todos os negócios;
 - Vendas aumentam 1,8% na Sonae MC e 10,4% na Sonae SR;
 - Todos os formatos chave do retalho ganham quota de mercado;
 - Underlying EBITDA aumenta 0,7% e EBITDA total atinge 293 M€;
 - Resultado direto cresce 20,3% para 92 M€;
 - Resultado líquido atribuível a acionistas1 aumenta 47,7%, de 64 M€ para 95 M€;
 - Apoio total à Comunidade atinge 6,8 M€ e beneficia 1.874 instituições;
 - Famílias portuguesas beneficiam de baixa de preços (2,4%) e de 291 M€ de descontos em cartão e talão.

A propósito destes resultados, Paulo Azevedo, CEO da Sonae afirma: “A Sonae reforçou a sua sustentabilidade nos primeiros nove meses do ano, apresentando novamente um crescimento consistente das vendas em todas as áreas de negócio e prosseguindo com contínuas melhorias a nível operacional e financeiro.
No retalho alimentar, o forte ambiente competitivo trouxe desafios adicionais, mas mantivemos o nosso compromisso com as famílias portuguesas de ter os preços mais baixos do mercado, para além de uma gama alargada e inovadora. O reforço de competitividade do preço e o aumento do investimento em promoções cada vez mais valiosas traduziu-se numa redução do preço médio em cerca de 2,4% nos 9 meses do ano, o que só foi possível pela eficiência das nossas operações e pela solidez financeira dos nossos negócios. Este compromisso foi premiado pela fidelidade dos nossos clientes e permitiu ao Continente reforçar a sua quota de mercado, numa tendência positiva que se acentuou no terceiro trimestre do ano, e gerar um crescimento de volume que mais que compensou a forte descida de preços.
No retalho especializado prosseguimos com a implementação de novos modelos de loja e com a aposta no comércio eletrónico, com serviço integrado com as nossas lojas. O volume de negócios da Sonae SR cresceu a dois dígitos (10,4%), demonstrando o sucesso da estratégia. Este crescimento foi potenciado pelo trabalho efetuado nos últimos anos de reforço de eficiência e otimização de recursos, tendo a Sonae SR registado uma melhoria importante da rentabilidade operacional.
Na área de centros comerciais, verificou-se um aumento da taxa de ocupação dos nossos ativos, dada a sua qualidade e atratividade. Esta realidade foi acompanhada por uma melhoria generalizada dos indicadores operacionais, sendo de salientar o crescimento das visitas e das vendas dos lojistas no universo comparável de lojas.
A NOS manteve o seu foco em oferecer aos clientes a melhor proposta do mercado, ao mesmo tempo que aprofundou as sinergias entre os seus negócios, assente numa oferta convergente. Apesar de ser uma marca nova, a NOS está já a construir uma história de sucesso: na área de particulares já lidera de forma clara a subscrição de serviços quadruple play e na área empresarial conquistou algumas das maiores empresas no País, fruto da sua infraestrutura de elevada qualidade e da capacidade dos seus recursos humanos.
A Sonae IM viu a generalidade dos negócios do seu portefólio a evoluir de forma positiva e alargou o campo de atuação à área da cibersegurança, com a aquisição de uma participação na empresa S21Sec.
No eixo estratégico da internacionalização é de salientar o esforço da generalidade dos negócios na sua expansão internacional, com a Sonae MC a registar uma interessante aceitação das suas marcas no exterior com exportações para 10 geografias, o retalho especializado a reforçar a presença na América Latina com a entrada no Chile, os centros comerciais a alargarem os serviços de gestão para terceiros no mercado russo e a SSI a conseguir importantes contratos na Rússia e no México.
Os dados hoje divulgados reforçam a confiança na estratégia que estamos a prosseguir, mas apesar do sucesso permanecemos prudentes relativamente ao futuro. É necessário continuar a reforçar a confiança das famílias e das empresas de forma a criar uma envolvente mais favorável para o desenvolvimento dos negócios e potenciar o crescimento económico.”


2. RETRIBUIR À COMUNIDADE

 - COMPROMISSO COM AS FAMÍLIAS OFERECE PREÇOS BAIXOS E DESCONTOS DE 291 MILHÕES DE EUROS
Os primeiros nove meses do ano revelam o forte compromisso da Sonae com as famílias portuguesas. A sua fidelidade foi premiada por uma oferta de preços mais baixos, em 2,4%, e por uma política promocional facilitadora da gestão dos orçamentos familiares. Os descontos em cartão e talão concedidos pelas suas insígnias de retalho proporcionaram poupanças efetivas de 291 milhões de euros às famílias portuguesas, traduzindo o compromisso da Sonae de apoiar os seus clientes com a melhor proposta de valor do mercado em todos os momentos. O esforço realizado pelas insígnias da Sonae tem contribuído para o elevado grau de fidelização dos clientes e para o sucesso dos cartões disponibilizados. O número de famílias que utilizaram os cartões Continente e Sport Zone superou os 4,5 milhões, tendo mais de 90% das compras no Continente sido realizadas com cartão, que foi estendido à Zippy.

 - COMPRAS A PRODUTORES NACIONAIS AUMENTAM 6,5% NA ÁREA DOS PERECÍVEIS
A Sonae reforçou o seu compromisso com a produção nacional nos primeiros nove meses do ano, tendo aumentado em 6,5% as quantidades adquiridas na área dos perecíveis e alargado o leque de fornecedores com 24 novos parceiros. Esta aposta traduziu-se em compras à produção nacional de 458 milhões de euros, o que representou 77% do total. O Clube de Produtores Continente prosseguiu a sua missão de apoiar os produtores nacionais do setor agroalimentar no desenvolvimento dos seus negócios e de processos de inovação, tendo aumentado as suas compras em 4,3% para 178 milhões de euros.

 - APOIO À COMUNIDADE SUPERA 6,8 MILHÕES DE EUROS E BENEFICIA 1.874 INSTITUIÇÕES
A Sonae reforçou o seu compromisso com a comunidade ao apoiar 1.874 instituições do 3º setor em todo o país durante os primeiros nove meses do ano. Entre janeiro e setembro, a Sonae distribuiu 6,8 milhões de euros no âmbito da sua política de responsabilidade corporativa, valor que permitiu beneficiar mais 420 organizações do que no mesmo período do ano anterior. A atuação da Sonae incidiu em áreas como a solidariedade social, saúde e desporto, sensibilização ambiental, cultura, educação e ciência e inovação. Tendo em conta as necessidades detetadas, a Sonae reforçou o seu envolvimento com instituições do 3º setor, através da atribuição de géneros alimentares, do apoio através de competências técnicas e apoio financeiro. No terceiro trimestre foi dada também uma atenção especial à promoção da saúde e da prática desportiva, nomeadamente com a realização da Meia Maratona Sport Zone e de diversas iniciativas que estimularam hábitos de vida ativa em milhares de pessoas em todo o país. De destacar ainda o lançamento do Prémio Sonae Media Art, que tem como objetivo distinguir e divulgar criações artísticas na área da multimédia e atribui 40 mil euros ao vencedor.


3. ANÁLISE OPERACIONAL E FINANCEIRA

Nota prévia: Os resultados dos 9M13 são apresentados em base proforma de modo a serem diretamente comparáveis e excluem os efeitos da fusão Zon-Optimus e imparidades registados no 3T13.
O volume de negócios consolidado da Sonae totalizou 3.610 M€ nos primeiros nove meses do ano, 4,1% acima do resultado registado no mesmo período do ano passado. Este resultado foi essencialmente impactado pelo melhor desempenho da Sonae SR e da Gestão de Investimentos, cujo volume de negócios cresceu 10,4% e 13,5%, respetivamente.
No retalho alimentar, o volume de negócios da Sonae MC totalizou 2.537 M€ nos 9M14 correspondendo a um aumento de 45 M€ ou 1,8% face ao valor alcançado no mesmo período do ano anterior. Num contexto caraterizado pelo intenso ambiente competitivo no setor do retalho alimentar português, em que o Continente manteve um forte esforço promocional e desceu os preços base em 2,4%, o aumento do volume de negócios foi impulsionado pelo crescimento de aproximadamente 4,2% das quantidades vendidas e potenciado pela abertura de 6 lojas Continente Modelo e 5 lojas Continente Bom Dia nos últimos 12 meses. A Sonae MC continuou a reforçar a sua posição de liderança no mercado português de retalho alimentar (+1,1pp), como consequência da lealdade dos clientes que confiam na relação qualidade-preço dos produtos disponibilizados. O portefólio de marca própria Continente representou aproximadamente 30% do volume de negócios nas categorias de bens de grande consumo (FMCG) comprovando a sua aceitação pelos clientes. A plataforma de comércio eletrónico da Sonae MC registou um crescimento de 10% das vendas online face ao período homólogo de 2013. De realçar também que a Sonae MC continua numa fase inicial de exploração de oportunidades, quer de wholesale quer de franchising.
No retalho especializado, o volume de negócios da Sone SR totalizou 913 M€ nos 9M14, aumentando 86 M€ ou 10,4% face ao valor registado em 9M13 e traduzindo um crescimento de 7% no universo comparável de lojas. A Worten reforçou a posição de liderança no mercado eletrónico português com um ganho de quota de mercado estimado de 1,5 pp; o novo conceito adotado em Espanha continua a apresentar bons resultados com as vendas internacionais por m2 na Zippy, Worten e Sport Zone a nível orgânico a aumentarem 18%; a MO em Portugal cresceu a dois dígitos no universo comparável de lojas, comprovando o sucesso da nova proposta de valor, que contempla melhorias ao nível da marca, da loja e do produto; e a Zippy iniciou uma parceria com o Cartão Continente proporcionando às famílias portuguesas novas soluções de poupança. Esta parceria vai contribuir para a crescente atratividade da Zippy em Portugal, com os primeiros impactos expectáveis para o 4T14, período onde é, desde já, de registar o reforço da presença na América Latina com a entrada em outubro no mercado chileno.
A Gestão de Investimentos, que inclui os negócios da MDS, Maxmat, GeoStar e Tlantic, bem como as unidades de Software e Sistemas de Informação (SSI) e Online e Media da Sonaecom, continuou a melhorar a sua performance, com as vendas a crescerem 13,5% para 186 M€. Este resultado foi, em parte, impactado pelo aumento do volume de negócios das unidades de SSI que totalizaram 89,3 M€ nos 9M14 mas também pelo aumento do volume de negócios nas outras áreas. A MDS sustentou a sua posição em Portugal e no Brasil, a Geostar aumentou as vendas em contraciclo com o setor e a MaxMat registou o seu melhor trimestre do ano em termos de crescimento. Nas SSI foi anunciada a venda da Mainroad e realizada a aquisição de uma participação n empresa de cibersegurança S21Sec, a Saphety expandiu atividade para a Rússia e ganhou um contrato importante no México, e a Sonae E.Ventures adquiriu uma participação na tecnológica Movvo.
Ao nível das parcerias estratégicas, a qualidade de referência dos ativos da Sonae Sierra continua a ser refletida na elevada taxa de ocupação que, nos 9M14, totalizou 95,1%. As vendas dos lojistas aumentaram 4,2% no universo comparável de lojas na Europa, o que demonstra sinais positivos de evolução do setor. De salientar ainda que, depois da entrada na China e em Marrocos, a Sonae Sierra celebrou um acordo para a criação de uma joint-venture 50/50 na Rússia com a OST Development para o fornecimento de serviços de gestão e comercialização de centros comerciais, reforçando a sua internacionalização.
A NOS demonstra cada vez mais que é o líder natural na convergência, tendo registado adições líquidas de clientes em todos os segmentos-chave, ao mesmo tempo que as poupanças estruturais de custos resultantes do processo de fusão estão a ser mais visíveis e a compensar as pressões nos preços. Verificou-se uma aceleração no ritmo de crescimento dos principais serviços convergentes, atingindo 1,488 milhões de RGU’s convergentes no final do 3T14 com 480 mil adições líquidas, e as adições líquidas no móvel ascenderam a 139 mil no 3T14 impulsionadas pela continuação do forte crescimento nos serviços pós-pagos.
O “underlying” EBITDA consolidado aumentou 0,7% para 259 M€, apesar do intenso ambiente competitivo no mercado português de retalho alimentar, e o EBITDA totalizou 293 M€. Este resultado foi suportado pelas melhorias na Sonae SR (+82,9%) e na Gestão de Investimentos (+45,7%), tendo a área de retalho especializado alcançado inclusive um resultado operacional positivo de 4 M€ no terceiro trimestre do ano.
O resultado direto totalizou 92 M€, aumentando 16 M€ ou 20,3% face ao valor registado no período homólogo do ano passado. Este resultado foi essencialmente impulsionado pelo crescimento operacional, pelo menor valor das amortizações e depreciações e pela melhoria da atividade financeira líquida, que mais do que compensou a diminuição dos resultados consolidados pelo método de equivalência patrimonial.
O resultado líquido atribuível ao grupo1 alcançou os 95 M€, 47,7% ou 31 M€ acima do resultado alcançado no ano anterior, maioritariamente impulsionado pelo resultado direto mais elevado, e também pelo resultado indireto da Sonae Sierra que beneficiou da redução das yields no setor imobiliário.
O endividamento total líquido registou 1.414 M€ no final de setembro, traduzindo a forte geração de cash-flow operacional e o pagamento das ações da Sonaecom à France Telecom feito em agosto. Se excluirmos este pagamento, o endividamento total líquido teria sido reduzido em 88 M€. A empresa continuou, deste modo, a melhorar os rácios de alavancagem mais relevantes. Em relação ao perfil de maturidade da dívida, durante o 3T14, a Sonae concluiu uma série de transações com maturidades até 6 anos, que permitiram à Sonae suavizar o seu perfil de maturidade, otimizando o custo de financiamento, fortalecendo a sua estrutura de capital e diversificando as fontes de financiamento.
O investimento das unidades de retalho da Sonae (Sonae MC, Sonae SR e Sonae RP) atingiu 122 M€, crescendo 11% face aos 9M13, sendo de destacar o investimento realizado na abertura de novas lojas, bem como a aposta na implementação dos novos formatos e no desenvolvimento da atividade internacional.

Tags:

Sobre nós

Empresa de retalho.

Subscrever