SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO

1. PRINCIPAIS DESTAQUES DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2016:
 
Sonae reforça presença internacional em todas as áreas de negócio, com presença em mais de 80 países [1]   
Volume de negócios cresce 6% para €1.215 M, com forte crescimento dos negócios de retalho;
Underlying EBITDA totaliza €46 M e EBITDA total cresce 67,8% para €120 M, com margem de 9,9%
Resultado direto cresce de €6 M para €43 M
Resultado líquido atribuível a acionistas aumenta de €20 M para €30 M
Investimento consolidado aumentou 10M€ e atingiu €58 M
Dívida líquida diminuiu 168M€
Número de colaboradores aumentou 1.800, em termos homólogos

Ângelo Paupério, Co-CEO da Sonae, afirma: “O primeiro trimestre de 2016 na Sonae ficou marcado pelo crescimento dos níveis de atividade dos negócios de maior dimensão (Retalho - 6% e Telecomunicações - 8%), acompanhado por significativos acréscimos de produtividade das vendas em universos comparáveis.

Mesmo descontado o efeito favorável de antecipação da Páscoa e do ano bissexto, os resultados obtidos são muito positivos tendo em consideração o abrandamento do crescimento económico na Península Ibérica e a elevada agressividade concorrencial que se verifica nestes setores. 

Igualmente relevante foi a concretização de operações de venda de ativos imobiliários em montante aproximado de 400 milhões de euros, em cumprimento da estratégia de reciclagem de capital da Sonae Sierra e da Sonae RP para reforço do esforço de desenvolvimento de novos projetos.

Fica também patente o aumento da exposição internacional pelo crescimento de 18% nas vendas fora de Portugal e pelo peso crescente dos capitais investidos em mercados externos, que representam atualmente cerca de 20% do total.

Apesar do forte aumento do investimento, a dívida consolidada baixou quase 170 milhões de euros em relação ao trimestre homólogo, período em que aumentamos o número dos nossos colaboradores em mais de 1.800.”

2. RETRIBUIR À COMUNIDADE
A Sonae desenvolveu uma política ativa de responsabilidade corporativa durante o primeiro trimestre de 2016, promovendo e suportando projetos nas áreas de solidariedade social, saúde e desporto, sensibilização ambiental, cultura, educação e ciência e inovação. A Sonae dedicou uma atenção especial às áreas de assistência social e cultura, através da atribuição de bens, da colaboração de equipas com competências técnicas e apoios financeiros.

Entre as iniciativas desenvolvidas pela Sonae no 1T16 está o projeto Sonae Serralves , que tem como objetivo promover a cultura e aproximar a comunidade à arte. A atual edição está a dar a conhecer, pela primeira vez ao público nacional, Haegue Yang, artista coreana de grande reconhecimento internacional, tendo sido realizadas conversas abertas em várias universidades do País.
 
3. ANÁLISE OPERACIONAL E FINANCEIRA
No primeiro trimestre de 2015, a Sonae beneficiou do reforço das posições competitivas da generalidade das suas áreas de negócio, da sua aposta na internacionalização, da diversificação dos estilos de investimentos e da potenciação das suas competências e ativos. O volume de negócios consolidado da Sonae alcançou €1.215 M, aumentando 6% face ao 1T15, beneficiando, principalmente, do desempenho positivo dos negócios de retalho.

No retalho alimentar, o volume de negócios da Sonae MC alcançou €830 M no 1T16, aumentando 4,6% quando comparado com o 1T15 e reforçando a sua quota de mercado. A variação de vendas no universo comparável de lojas da MC ascendeu a 1,4%, mantendo a evolução positiva verificada no 4T15. Durante o 1T16 a Sonae MC concretizou a abertura de novas lojas, entre as quais 3 Continente Bom Dia e 6 lojas Meu Super. A estratégia da MC relativamente à expansão do parque de lojas consiste na abertura de formatos de menor dimensão, com o objetivo de ampliar a sua rede de lojas de conveniência. Adicionalmente, em março de 2016, a Sonae MC abriu um novo hipermercado, com 6.500 metros quadrados, sob o novo conceito “hipermercado do futuro 2020”.

No sentido de enfrentar o competitivo mercado de retalho alimentar, a Sonae MC manteve-se focada em reforçar a proposta de valor. O 1T16 foi especialmente focado na melhoria da proposta de valor do Continente (especialmente na área de perecíveis), estabelecendo um ambicioso programa de expansão dos formatos de conveniência e proximidade e pelo lançamento de campanhas promocionais inovadoras e mais efetivas. “A natureza tem a nossa marca” é a nova linha de comunicação de frescos lançada em fevereiro de 2016 pelo Continente. Assente na origem, autenticidade, sabor e qualidade das melhores frutas, vegetais, carne e peixe, esta campanha vai ao encontro da estratégia do Continente de se afirmar como um especialista em perecíveis. De referir que o volume de negócios no 1T16 beneficiou também de um efeito positivo de calendário relacionado com a existência de um dia adicional em fevereiro.

A Sonae MC reforçou a sua atividade internacional ao longo do primeiro trimestre de 2016, com as suas marcas exclusivas a entrar em novos mercados e a expandir a sua presença em mercados já existentes. A atividade de wholesale registou um crescimento material do volume de negócios e estendeu-se a 38 geografias. No decurso da sua estratégia de inovação, a MC anunciou, em janeiro de 2016, o lançamento do Continente Negócios, uma plataforma de e-commerce totalmente dedicada a clientes business-to-business .

No retalho especializado, o volume de negócios da Sonae SR situou-se em €331 M no 1T16, aumentando 10,9% quando comparado com o 1T15. Esta evolução foi motivada por um aumento de 3,5% na Worten e por um forte crescimento de 28,2% em Sports and Fashion.

Na Worten, a operação Ibérica aumentou o volume de negócios em 3,5%, para €216 M. Este desempenho permitiu à Worten reforçar a sua posição de liderança em Portugal e, ao mesmo tempo, manter a evolução positiva das vendas por metro quadrado em Espanha. A Worten continuou a implementar a estratégia omnicanal, com um sistema completamente integrado que converte as vendas online em vendas offline e vice-versa. A estratégia omnicanal tem vindo a apresentar resultados muito positivos e representou, no 1T16, 21% do volume de negócios da Worten. À semelhança do que tinha já acontecido no 3T15 em Espanha, a Worten em Portugal levou a cabo uma renovação da imagem de marca, posicionando-se no sentido de acelerar a consecução da estratégia omnicanal e a captura de sinergias Ibéricas.

Na divisão de Sports and Fashion, o volume de negócios aumentou 28,2%, para €115 M, para o qual o contributo da Losan, uma empresa especializada em wholesale adquirida no 4T15, foi relevante. A divisão continuou a aumentar as vendas por metro quadrado, comprovando a estratégia de otimização do parque de lojas, especialmente em Espanha. A Sport Zone continuou a registar rentabilidade positiva em Espanha e a Zippy continuou a expandir a sua presença internacional, aumentando, em termos homólogos, o número de lojas nos países onde já se encontra presente e expandindo a sua atividade wholesale para um número maior de países. Adicionalmente, é de frisar a crescente relevância e autonomia de algumas marcas exclusivas como a Berg e a Deeply, cada qual com uma plataforma online, atualmente.

A Sonae RP , unidade de imobiliário de retalho, ao longo do 1T16 completou três operações de sale and leaseback no valor de €230 M, equivalentes a um ganho de capital de aproximadamente €64 M. Esta estratégia permitiu à RP libertar capital dos seus ativos mais maduros, mantendo, ao mesmo tempo, um nível adequado de flexibilidade operacional.

Na Sonae IM , unidade de Gestão de Investimentos, a Wedo Technologies adquiriu 4 novos clientes de telecomunicações (nas regiões da Europa, Ásia, Pacífico, EUA e África), continuando a ampliar a sua base de clientes a nível mundial. A S21sec continuou a trabalhar a notoriedade da sua marca, evidenciando a sua relevância no mercado de cibersegurança, tendo aumentado as receitas fruto de um bom desempenho ao nível das encomendas no final de 2015. O trimestre também foi marcado por um aumento significativo das encomendas e rentabilidade da Saphety, acompanhado de uma boa atividade comercial com a angariação de novos contratos relevantes, sendo que a empresa possui, atualmente, mais de 8.500 clientes e 129.000 utilizadores em cerca de 26 países. A Bizdirect continuou a desenvolver o seu Centro de Competências de Viseu, que possui, atualmente, 15 clientes internacionais de 10 países, tendo triplicado o volume de negócios face ao 1T15. A Movvo aumentou a sua presença internacional, reforçando a sua equipa de vendas na Europa e na Ásia e fechando uma parceria estratégica para o mercado norte-americano. Consequentemente, a Movvo construiu boas perspetivas provenientes dos Estados Unidos e, em particular, na Ásia, tendo angariado 7 novos clientes em mercados como o Panamá, Estados Unidos e China.

É de salientar que a Sonae IM concluiu recentemente uma parceria com a Bright Pixel, um company builder studio com dois relevantes objetivos: transformar a maneira como as empresas concebem a inovação e transformar a forma como os novos projetos empresariais são lançados. Esta empresa está posicionada para trabalhar com o grupo Sonae, assim como com outros players do setor, o crescente ecossistema de startups, unidades de Inovação de Desenvolvimento, Universidades e investidores de todo o mundo.

Nos centros comerciais , o resultado direto da Sonae Sierra situou-se em nos €15 M, aumentando 2,4% face ao 1T15, e o resultado líquido melhorou 31,3%. As vendas de lojistas na Europa aumentaram 4,0%, para €710 M, correspondendo a um aumento de 5,3% no universo comparável de lojas, e a taxa de ocupação fixou-se nos 96%, 0,3pp acima do trimestre homólogo. Estes aumentos refletem a recuperação do mercado e a qualidade dos centros comerciais como destinos atrativos de retalho.

Nas telecomunicações , as receitas operacionais da NOS aumentaram 7,6% face ao 1T15, para €370 M, evidenciando uma aceleração da tendência de aumento em termos homólogos. As RGUs totais cresceram 10,3%, totalizando 8,595 milhões, e o número de RGUs convergentes aumentou 36,2%, para 2,989 milhões.

Em termos consolidados , o underlying EBITDA da Sonae totalizou €46 M e o EBITDA situou-se em €120 M, crescendo 67,8% e sendo equivalente a uma margem EBITDA de 9,9%. O resultado direto da Sonae totalizou a €43 M, aumentando de forma material face ao período homólogo de 2015, em virtude do maior EBITDA e do melhor resultado financeiro líquido. O resultado indireto da Sonae foi negativo em €15 M, devido essencialmente ao efeito mark to market da NOS.

O resultado líquido atribuível a acionistas totalizou €30 M, crescendo 51,6% face ao valor de €20 M registado no 1T15. Esta evolução positiva traduz forte crescimento das vendas nos negócios de retalho alimentar e especializado, a internacionalização dos diferentes negócios, o sucesso nas operações de sale & leaseback e a forte solidez financeira.

A dívida líquida da Sonae diminuiu €168 M face ao 1T15, para €1.309 M, continuando a Sonae focada em apresentar uma estrutura de capital robusta, sustentada por um nível reduzido de endividamento e por um perfil de maturidade da dívida progressivamente mais extenso. Não estão previstas necessidades de refinanciamento para os próximos 18 meses, sendo de realçar que esta estrutura de capital garante a capacidade financeira suficiente para explorar futuras oportunidades de crescimento.

O investimento realizado atingiu os 58M€, crescendo cerca de €10 M€ face aos €48 M registados no período homólogo. Os negócios da Sonae prosseguiram com a expansão das suas atividades e reforçaram a sua presença global em linha com a estratégia de diversificação dos estilos de investimento.

(Comunicado integral em anexo)

[1] Inclui operações, prestação de serviços a terceiros, escritórios de representação, acordos de franchising e parcerias. Exclui wholesale no retalho.

Tags:

Sobre nós

Empresa de retalho.

Contactos

Subscrever