AVC: Estudo sobre o acesso à trombectomia mecânica avalia desigualdades regionais

Este sábado, dia 28 de outubro, serão apresentados os resultados preliminares do projeto EVT-PT, desenvolvido pelo grupo de jovens da Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular (JSPAVC), sobre a caracterização do acesso nacional à trombectomia mecânica. A apresentação decorre durante a 15.ª Reunião da Sociedade Portuguesa do AVC, em vésperas do Dia Mundial do AVC, e está agendada para as 11h15 no Hotel Olissippo Oriente.

Com este estudo, a Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral pretende “caracterizar acesso nacional à trombectomia endovascular, especificando e avaliando a sua equidade regional”, explica o Dr. João Sargento Freitas, um dos autores do estudo. Por outras palavras, o objetivo é identificar áreas geográficas com potenciais limitações nesta terapêutica, servindo os resultados desta análise como “base para a discussão da rede nacional de prestação de cuidados ao doente com AVC, especificamente na realização da trombectomia mecânica”, acrescenta o médico.

A trombectomia endovascular ou mecânica é um procedimento que consiste na remoção de um trombo (coágulo), sob orientação de imagem, utilizado em casos de AVC isquémico (oclusão da artéria cerebral), quando não há indicação para o doente realizar trombólise endovenosa (processo pelo qual se dissolve um trombo formado na corrente sanguínea, que só pode ser administrado nas primeiras horas após a ocorrência do AVC). O procedimento passa pela incisão do vaso sanguíneo por cateter para extração do coágulo e é efetuado por profissionais especializados, nomeadamente de Neurorradiologia de Intervenção. A trombectomia mecânica é um tratamento inovador para os doentes com AVC que tem a vantagem de levar à rápida remoção dos trombos, mostrando-se eficaz na recanalização das artérias cerebrais e na redução de sequelas do AVC.

Neste trabalho, foi feito um levantamento do número de procedimentos deste tipo a nível nacional, com a recolha de dados entre junho 2015 e junho 2017. “Já nesta reunião vamos ter disponível uma análise de base epidemiológica, robusta, com as taxas locais de acesso a trombectomia austadas para os principais fatores demográficos”, avança o Dr. João Sargento Freitas.

A 15.ª Reunião Anual da SPAVC irá decorrer ao longo de todo o dia e, para além da apresentação do estudo EVT-PT, abordará temas variados na área da prevenção, diagnóstico e do tratamento do AVC, entre as quais uma sessão inédita sobre o papel da tecnologia para os profissionais desta área. “As novas tecnologias poderão contribuir para uma comunicação mais eficaz entre os cuidados pré-hospitalares e hospitalares, permitindo assim uma referenciação mais rápida e eficaz destes doentes, tal como desempenhar um importante papel na referenciação inter-hospitalar”, afirma o Dr. João Pedro Marto, um dos palestrantes da sessão intitulada “Quais as ferramentas ideais que um ‘ strokologista ’ deve ter no seu smartphone”, que decorrerá ao início da tarde.

Na área de prevenção, o médico destaca a aplicação ‘ Stroke Riskometer ’, que “permite um cálculo aproximado do risco individual de AVC no espaço de 5 e 10 anos”, explica. Na área de tratamento “existem aplicações que auxiliam na tomada de decisão terapêutica, com fácil acesso a escalas de avaliação e recomendações”.

O programa da 15.ª Reunião da SPAVC pode ser consultado AQUI .

Canais Oficiais da SPAVC:

Website: www.spavc.org

Facebook: www.facebook.com/soc.por.avc  

Twitter: www.twitter.com/spavc_pt  

Instagram: spavc_pt

LinkedIn: Sociedade Portuguesa do AVC

Tags:

Sobre nós

SPAVC - Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral

Subscrever