AIR INDIA ANFITRIÃ DA REUNIÃO DO CONSELHO EXECUTIVO DA STAR ALLIANCE PELA 1ª VEZ NA ÍNDIA

A Air India foi a companhia anfitriã da reunião do Conselho Executivo da Star Alliance realizado na Índia pela primeira vez, na sequência da adesão, em Julho passado, da companhia aérea nacional indiana à maior aliança de companhias aéreas do mundo em operação há mais tempo.
 
Falando à Imprensa local e estrangeira presente hoje, dia 17 de Dezembro, em Nova Deli, Rohit Nandan, Presidente e Director Geral da Air India, agradeceu a todos os CEO das companhias da aliança por terem viajado até à Índia, e pela proveitosa reunião de trabalho aí realizada durante dois dias, enfatizando que a integração da Air India na Star Alliance é um pilar-chave na estratégia de reestruturação da companhia, a par da renovação da frota e da otimização da Rede e também uma oportunidade para melhorar a qualidade de serviço.
 
Quase meio ano após a sua entrada na aliança, já é possível à Air India ver os efeitos positivos da sua adesão. A companhia registou um aumento de 33 por cento no total de passageiros que viajaram em transferência entre a Air India e outras companhias da Star Alliance, sobretudo via Deli ou Mumbai,  mas também via outros aeroportos, como sejam Londres ou Newark. De igual modo, os Passageiros Frequentes usufruem agora dos benefícios da aliança, com mais de 80 mil a converterem as suas milhas em voos da Air India desde Julho e mais de 20 mil membros do Programa de Passageiro Frequente Air India Flying Returns a receberem créditos de milhas pelos voos efetuados com outras companhias da Star Alliance.
 
A Air India vê abrirem-se agora mais oportunidades para aumentar o tráfego em transferência nas cidades de Deli e Mumbai e está a trabalhar com a Star Alliance, com as companhias membro e com os aeroportos, com vista a oferecer mais voos de ligação e a facilitar o processo de transferência nos principais hubs do Subcontinente Indiano. Rohit Nandan afirmou também estar otimista quanto à possibilidade de o Aeroporto de Heathrow analisar favoravelmente o pedido da Air India de passar a operar, juntamente com as 23 companhias da aliança, a partir do novo Terminal 2, o Queen’s Terminal. “Londres é o nosso principal destino na Europa e tudo o que pudermos fazer para oferecer as melhores condições para os voos de transferência constituirá um verdadeiro ganho, tanto para nós como para a Star Alliance”, disse.
 
Por seu turno, Mark Schwab, CEO da Star Alliance, agradeceu a Nandan o acolhimento proporcionado à reunião do Conselho Executivo, garantindo-lhe o apoio da aliança nessa iniciativa. Schwab reiterou a importância de ter a Air India no seio da aliança, afirmando, “a Índia é o 5º maior mercado doméstico da aviação no mundo e continuará a crescer, tanto internamente como internacionalmente. Por isso, é essencial para a Star Alliance ter uma presença forte neste mercado.”
 
Através da Air India, os clientes da Star Alliance têm acesso a mais 40 aeroportos na Índia e também a um maior número de voos na região e, com os seus hubs em Deli e Mumbai, a Air India acrescenta também mais opções de voo nas linhas para a América do Norte, Europa e Ásia / Pacífico.
 
A Air India reforça igualmente a oferta global da Star Alliance em matéria de programas de Fidelização, possibilitando agora aos clientes acumularem e converterem milhas numa rede mundial de 18.500 voos diários, cobrindo 1.321 destinos em 193 países. A recente adição da AeroGal do Equador, enquanto parte do Grupo Avianca, veio também alargar o alcance da Rede da aliança na América Latina a destinos exóticos, tais como as Ilhas Galápagos.
 
A Star Alliance é também a única aliança que permite aos membros dos Programas de Passageiro Frequente utilizarem as respetivas milhas para beneficiar de upgrade em qualquer umas das 27 companhias membro, assistindo-se também, este ano, à implementação de novas tecnologias para reforçar ainda mais os níveis de serviço desses programas. Os Clientes passam agora a receber os seus créditos de milhagem mais rapidamente e quaisquer mudanças  de estatuto são também partilhadas mais rapidamente entre todas as companhias.
Isto significa que os novos detentores de cartão Gold, em particular, verão o seu estatuto reconhecido muito mais depressa por todas as companhias da aliança.
 
A terminar, Calin Rovinescu, Presidente e CEO da Air Canada, e atualmente Presidente do Conselho Executivo da Star Alliance, agradeceu especialmente a R. Nandan  e a M. Schwab por terem conseguido que a adesão da Air India fosse concluída em tempo record.
 
Ilustrando a importância da integração da Air India, Calin Rovinescu afirmou que a decisão da Air Canada de retomar voos para Deli no próximo ano ficou em parte a dever-se ao facto de poderem agora oferecer ligações para mais de 40 destinos a partir de Deli.
 
No conjunto, as companhias da Star Alliance vão melhorar ainda mais  a qualidade da Rede nos próximos anos, sendo exemplos recentes disso os voos da ANA planeados entre Tóquio e Houston, o serviço da EVA Air de Taipei para Houston e a também planeada ligação do Atlântico Sul entre a Nova Zelândia e a Argentina, acabada de anunciar pela Air New Zealand.
 
A aliança vai também concentrar-se em melhorar ainda mais a experiência de viagem dos seus clientes no todo, melhorando a experiência nos aeroportos, nas palavras de Rovinescu, tendo a aliança dado já passos importantíssimos nesse domínio este ano, no aeroporto de Heathrow em Londres, com a abertura do novíssimo Terminal 2 – a “casa” de 23 companhias da Star Alliance.
 
Ao procurar aproveitar as melhores oportunidades para introduzir hubs com verdadeira consistência de serviço, a Star Alliance maximizará agora os ensinamentos e a experiência adquirida com a inauguração do Terminal 2 de Heathrow, como seja, por exemplo, a introdução da passagem “Gold Track” no controle de segurança para os passageiros premium nos principais hubs da aliança em 2015.
 
Em traços largos, a Star Alliance vai, daqui para a frente, continuar a aumentar a sua Rede global, otimizando a sua conectividade com vista a proporcionar cada vez mais valor e uma melhor experiência aos clientes, melhorando a consistência da experiência de viagem em toda a Rede, e apostando igualmente na incorporação  de novas tecnologias na linha da frente e na retaguarda para suportar o desenvolvimento do seu negócio.
 
Acerca da Air India
A Air India ocupa um lugar especial no cenário da aviação internacional e na Índia. Foi pioneira na aviação na Índia e a sua história confunde-se com a história da aviação civil no país. A Air India não é apenas uma companhia aérea que transporta passageiros, bagagem e carga, mas uma organização multifacetada. A infra-estrutura de aviação criada pela companhia ao longo dos anos é uma prova da sua contribuição. Além da manutenção total dos seus aviões ser feita pela companhia em instalações próprias de engenharia, a Air India providencia também serviços de assistência em terra a muitas outras companhias em muitas cidades no interior da Índia.
A Air India cresceu e tornou-se numa grande companhia aérea internacional com uma rede de 33 destinos nos EUA, Europa, Canadá, Extremo-Oriente, Sudeste Asiático e no Golfo. A rede doméstica da companhia cobre mais de 40 destinos, entre os quais áreas remotas no Nordeste, Ladakh, Andaman e Ilhas Nicobar. A Air India opera hoje uma das mais jovens e modernas frotas de aviões, incluindo um misto de equipamentos wide-body, designadamente, B777, B747, Airbus A330 e a sua última aquisição, os B787 Dreamliner, e uma frota narrow-body de Airbus A321, A320 e A319.
 
Acerca da Star Alliance
A rede da Star Alliance foi constituída em 1997 como a primeira aliança de companhias aéreas verdadeiramente global, oferecendo alcance mundial, reconhecimento e consistência de serviço aos viajantes internacionais. A sua aceitação pelo mercado tem sido reconhecida com a atribuição de numerosos prémios, designadamente, o de Liderança do Mercado da Air Transport World e o de Melhor Aliança de Companhias Aéreas, atribuído pela Revista Business Traveller e pelo Skytrax. Integram a aliança as seguintes companhias: Adria Airways, Aegean Airlines, Air Canada, Air China, Air India, Air New Zealand, ANA, Asiana Airlines, Austrian, Avianca, Brussels Airlines, Copa Airlines, Croatia Airlines, EGYPTAIR, Ethiopian Airlines, EVA Air, LOT Polish Airlines, Lufthansa, Scandinavian Airlines, Shenzhen Airlines, Singapore Airlines, South African Airways, SWISS,  TAP Portugal, Turkish Airlines, THAI e United. A integração da Avianca Brasil  está neste momento em curso. Globalmente, a rede da Star Alliance oferece mais de 18.500 voos diários para 1.321 aeroportos em 193 países.  
 

Tags:

Sobre nós

Transportadora aérea portuguesa.

Subscrever