LOT POLISH AIRLINES É ANFITRIÃ DA REUNIÃO DO CONSELHO EXECUTIVO DA STAR ALLIANCE EM VARSÓVIA

A companhia LOT Polish Airlines foi a anfitriã da reunião do Conselho Executivo (CEB) da Star Alliance, realizada em Varsóvia, e durante a qual os CEO das companhias membro tomaram decisões com vista a melhorar a experiência de viagem oferecida aos Clientes em toda a Rede da Aliança e deram luz verde à integração de um novo membro no Brasil.
 
Como companhia anfitriã, a LOT apresentou a sua nova estratégia – uma nova LOT numa nova Europa – no âmbito da qual a companhia planeia duplicar de dimensão nos próximos cinco anos. Além dos três novos destinos na Ásia – Tóquio, Seoul e Banguecoque – planeia também abrir mais de uma dúzia de novas linhas na Europa. Ao anunciar a maior dinâmica de crescimento na história da companhia, a LOT afirmou estar a competir pela liderança na região tendo em vista tornar-se a maior companhia aérea de rede na Nova Europa.
 
Ao longo das discussões conjuntas, os CEO reafirmaram os objetivos estabelecidos pelos fundadores da Aliança há mais de 18 anos, concordando em dar continuidade à consolidação dos seus pontos fortes: uma rede global, um elevado padrão de serviço ao cliente e a utilização das modernas tecnologias na condução da sua estratégia de negócio.
 
O objetivo da Star Alliance, no seu lançamento em Maio de 1997, foi o de tornar-se a aliança líder global de companhias aéreas para a valorização do viajante internacional, contribuindo para a rentabilização a longo prazo das suas companhias membro para além das respetivas capacidades individuais.
 
“Como uma Aliança madura, com uma rede abrangente e um relacionamento bom e próximo entre as nossas companhias membro, estamos excelentemente posicionados para proporcionar uma melhor oferta a vários níveis, o que, no conjunto, se traduz na melhoria da experiência de viagem da Aliança”, disse Mark Schwab, CEO da Star Alliance.
 
A Avianca no Brasil vai ser acrescentada à rede a partir de 22 de Julho deste ano, permitindo mais uma vez à Star Alliance oferecer aos seus clientes voos domésticos no maior e mais importante mercado da América Latina.
 
“Estamos entusiasmados com a possibilidade de inclusão da Avianca no Brasil a partir do próximo mês, o que, paralelamente ao anúncio de vários novos serviços de ligação hub–a-hub feito por companhias a nível individual significa que iremos expandir a conectividade da rede este ano”, acrescentou Mark Schwab.
 
O ano de 2015 viu já um progressivo aumento de rotas e outras novas rotas serão ainda introduzidas no final do ano. Entre estas incluem-se, designadamente, o aumento das opções disponíveis no hub da Aliança em Houston, com novos voos de longo curso da Air New Zealand, da ANA e da EVA Air, respetivamente à partida de Auckland, Tóquio e Taipei. A Air China lançou um novo voo entre Pequim e Montréal e, por seu turno, a Air Canada começará a operar de Toronto para Deli em Dezembro. E em final de Novembro, um novo voo da Lufthansa entre Frankfurt e o Panamá estabelecerá uma importante ligação entre um dos maiores hubs da Europa e a América Latina.
 
Complementando o alargamento da rede, as companhias membro estão a aprofundar as suas relações de cooperação bilateral através da assinatura de acordos de code-share. Nesse âmbito, englobam-se as recentes parcerias entre a TAP e a COPA, a Air India e a Air New Zealand e também a EVA Air e a Turkish Airlines.
 
Paralelamente a este crescimento orgânico da rede, a Aliança continua a monitorizar os desenvolvimentos do mercado com vista a aproveitar as oportunidades de expansão das companhias se e sempre que as mesmas surgirem.
 
Com a melhoria do serviço ao cliente no foco da atividade, as companhias membro prosseguem a contínua avaliação de iniciativas conjuntas capazes de contribuir para uma melhor experiência, em muitos casos através da introdução de tecnologias, na retaguarda, para melhorar as transações entre transportadoras.
 
O mais recente exemplo de como essas mudanças na retaguarda podem trazer uma mudança visível para os clientes fica demonstrado com a conquista do prémio atribuído ao terminal 2 da Star Alliance no aeroporto londrino de Heathrow, agora com um ano de operação. O Queen’s Terminal, oficialmente inaugurado em 23 de Junho do ano passado pela Rainha Isabel II, utiliza tecnologia e processos novos que possibilitam às companhias trabalharem conjuntamente na zona do check-in, oferecendo um serviço altamente automatizado e eficiente. A opinião dos clientes sobre o novo terminal tem sido extremamente positiva.
 
O diálogo com os aeroportos é essencial na materialização de melhorias nos serviços prestados em terra. “Pedimos aos aeroportos em todo o mundo que se envolvam connosco desde o início, sempre que procederem a novos desenvolvimentos nos terminais ou que construam infra-estruturas completamente novas. Tal como ficou demonstrado com a experiência em Heathrow, esse compromisso pode trazer vantagens a todos”, afirmou Mark Schwab.
 
Estão já em andamento projetos no Aeroporto de Guarulhos em S. Paulo, assim como no aeroporto de Narita em Tóquio. Em ambos os casos, as áreas de check-in defrontam-se com constrangimentos de espaço que não podem ser resolvidos com o alargamento das infraestruturas agora existentes.
Outra das facilidades que está presentemente a ser implementada na rede da Aliança é a Gold Track Security – uma fila de passagem pela segurança exclusiva para passageiros de 1ª classe, de Business e também para os detentores de cartão Gold da Star Alliance. Este produto da Aliança está atualmente disponível em mais de 25 dos maiores aeroportos e será progressivamente alargado à maioria dos hubs da Star Alliance ao longo deste ano.
 
Os CEO das companhias reviram também a bem sucedida implementação de vários novos sistemas de Tecnologias de Informação, os quais utilizam tecnologias de última geração com vista a oferecerem um serviço mais fiável e mais célere, dotados de melhores sistemas de report que permitem diagnosticar qualquer erro e proceder à sua rápida correção.
 
Um hub infraestrutural de Tecnologias de Informação constitui o suporte da maioria dos sistemas requeridos para a oferta da proposta de serviço da Star Alliance aos clientes. Isto está a ser gradualmente alargado para lidar com lógicas de negócio diferentes e a este projeto outros similares se seguirão. O through check-in é hoje um bom exemplo disso mesmo, permitindo aos passageiros receberem os seus cartões de embarque para toda a viagem desde o primeiro ponto do check-in até ao final. No ano passado, assistiu-se à introdução de dois sistemas no campo dos programas de fidelização.
 
Um deles permite uma troca de informação mais rápida e melhor sobre passageiros frequentes, eliminando a necessidade de reclamar milhas manualmente após o voo. O outro sistema garante a comunicação mais rápida das alterações de estatuto ocorridas transversalmente em todas as companhias da Aliança, dando aos clientes a possibilidade de utilizar os seus benefícios Gold antes mesmo da emissão do novo cartão.
 
Como afirmou Mark Schwab: “A interligação das redes de dados é tão importante quanto a oferta de opções ideais de voos enquanto parte integrante do programa da nossa Aliança. Ter o nosso hub infraestrutural de TI em funcionamento coloca-nos numa posição única para proporcionar o suporte de TI necessário para a implementação rápida dos novos benefícios oferecidos pela Star Alliance aos clientes.”
 
A terminar, os CEO das companhias reiteraram que ainda que a adição de novos membros à Aliança não seja já tão importante hoje quanto foi há alguns anos, o seu modelo de negócio continua a oferecer muitas oportunidades para a criação de valor para cada uma das companhias que a integram. Em consequência, a pertença à Aliança continua a ser uma parte importante e integrante dos planos de negócio das companhias que a constituem, podendo cada uma delas decidir o montante de valor que querem extrair da sua qualidade de membros da Star Alliance.
 
 
Acerca da Star Alliance
A rede da Star Alliance foi constituída em 1997 como a primeira aliança de companhias aéreas verdadeiramente global, oferecendo alcance mundial, reconhecimento e consistência de serviço aos viajantes internacionais. A sua aceitação pelo mercado tem sido reconhecida com a atribuição de numerosos prémios, designadamente, o de Liderança do Mercado da Air Transport World e o de Melhor Aliança de Companhias Aéreas, atribuído pela Revista Business Traveller e pelo Skytrax. Integram a aliança as seguintes companhias: Adria Airways, Aegean Airlines, Air Canada, Air China, Air India, Air New Zealand, ANA, Asiana Airlines, Austrian, Avianca, Brussels Airlines, Copa Airlines, Croatia Airlines, EGYPTAIR, Ethiopian Airlines, EVA Air, LOT Polish Airlines, Lufthansa, Scandinavian Airlines, Shenzhen Airlines, Singapore Airlines, South African Airways, SWISS,  TAP Portugal, Turkish Airlines, THAI e United. A integração da Avianca Brasil  está neste momento em curso. Globalmente, a rede da Star Alliance oferece mais de 18.500 voos diários para 1.321 aeroportos em 193 países.
 
Acerca da TAP Portugal
A TAP Portugal é a companhia aérea Portuguesa líder de mercado, que celebrou 70 anos em 14 de Março deste ano, e é membro da Star Alliance, a maior aliança verdadeiramente global do mundo, desde 2005. A operar desde 1945, a companhia tem o seu Hub em Lisboa, plataforma privilegiada de acesso na Europa, na encruzilhada com África, América do Norte, Central e do Sul. A Rede da TAP, líder na operação entre a Europa e o Brasil, cobre 82 destinos em 35 países a nível mundial. Operando em média cerca de 2.500 voos por semana, a TAP dispõe de uma moderna frota de 61 aviões de fabrico Airbus, mais 16 ao serviço da PGA, sua companhia regional, totalizando 77 aeronaves. Prosseguindo uma orientação prioritariamente direcionada para o Cliente, a TAP investe continuamente em inovação e na utilização das Novas Tecnologias, oferecendo um produto e serviços de elevada qualidade, segurança e fiabilidade. Eleita a Companhia Aérea da Europa  Líder para África e Companhia Aérea da Europa Líder para a América do Sul em 2014, pelos WTA, World Travel Awards, foi também eleita Companhia Aérea Líder Mundial para África em 2011 e 2012, pelos WTA,  e detém igualmente o título de Companhia Aérea Líder Mundial para a América do Sul, dos WTA, em 2009, 2010, 2011 e 2012. Eleita pela revista britânica Business Destinations como a Companhia Aérea com melhor Classe Executiva – América do Sul, em 2013, foi também eleita a Melhor Companhia Aérea na Europa em 2011, 2012 e 2013, pela prestigiada revista “Global Traveller” dos EUA, e foi distinguida pela UNESCO e pela International Union of Geological Sciences com o Prémio Planeta Terra IYPE 2010, na categoria Produto Sustentável Mais Inovador. Considerada a Melhor Companhia Aérea pela revista “Condé Nast Traveller em 2010, foi eleita a Melhor Empresa Portuguesa na área do Turismo em 2011 e também a Companhia Aérea com Melhor Reputação em Portugal, pelo Reputation Institute em 2014.

Tags:

Sobre nós

Transportadora aérea portuguesa.

Subscrever