VENDAS DA TAP CRESCEM 18% NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2018

Companhia continua a melhorar resultados apesar do aumento do preço dos combustíveis e do impacto das irregularidades operacionais  

  • Vendas aumentam 18% no primeiro semestre com alguns mercados a crescerem mais de 40%.
  • TAP ME Brasil reestruturada resultou em evolução favorável do resultado operacional.
  • Resultado operacional negativo de 47 milhões de euros impactado por gastos não-recorrentes, relacionados com irregularidades operacionais, volatilidade nas moedas dos principais mercados e aumento dos preços do combustível.
  • O segundo semestre terá, como é habitual, uma contribuição fundamental para o resultado anual da TAP. Além de tradicionalmente mais forte, beneficiará dos planos de expansão da TAP, que irá continuar a receber novos aviões, nomeadamente o novo A330neo, que permitirá à Companhia lançar mais novas rotas em breve, da reestruturação da TAP M&E Brasil e de diversas iniciativas de redução de custos em curso.

Os resultados financeiros do primeiro semestre mostram que a TAP continua em crescimento, tendo aumentado em 18% as suas vendas globais. Destacam-se os mercados português, brasileiro e norte-americano que, no conjunto, cresceram aproximadamente 15% e representaram 56% do total das vendas da TAP. Outros mercados que também apresentaram evoluções muito positivas face ao período homólogo do ano anterior foram a Áustria (44%), a Alemanha (42%), o Reino Unido (28%) e Espanha (19%).

A reestruturação da TAP ME Brasil teve um avanço significativo, com redução total de aproximadamente 1000 colaboradores, praticamente metade do quadro de funcionários da subsidiária no início deste processo. Ao ajustar a capacidade da operação à procura atingiu-se uma elevada utilização que, juntamente com uma nova política comercial e diversas iniciativas de corte de custos, permitiram à subsidiária registar um lucro operacional, excluindo custos com reestruturação, de aproximadamente 1 milhão de euros.

Durante o primeiro semestre, a TAP fechou acordos salariais com a maioria das classes profissionais da Companhia, que também se traduziram em aumentos salariais importantes, garantindo a paz social para os próximos cinco anos.

Ao longo dos primeiros seis meses do ano, a TAP efetuou também diversos investimentos para melhorar a pontualidade da operação, nomeadamente a contratação de mais tripulantes, a disponibilidade de aviões de reserva, a contratação de um estudo de melhoria da capacidade aeroportuária em Lisboa e o desenvolvimento de novos processos internos.
 

O primeiro semestre da Companhia foi desafiador em função do forte aumento do preço dos combustíveis (+36%), pela volatilidade nas moedas dos principais mercados da TAP e por irregularidades operacionais. Gastos não-recorrentes totalizaram 40 milhões de euros e tal impacto negativo contribuiu para um resultado operacional de -47 milhões de euros (face a um resultado operacional de -43 milhões de euros em igual período do ano anterior) e um prejuízo líquido de 90 milhões de euros no semestre (face a prejuízo líquido de 54 milhões de euros no primeiro semestre de 2017). Excluindo o efeito de itens não-recorrentes, o resultado operacional teria sido -7 milhões de euros (face a um resultado operacional recorrente de -59 milhões de euros no primeiro semestre do ano anterior) e o prejuízo líquido teria sido 58 milhões de euros (face a prejuízo líquido de 67 milhões de euros em igual período de 2017). 

O segundo semestre terá, como é habitual, uma contribuição fundamental para o resultado anual da TAP. Além de tradicionalmente mais forte, este semestre beneficiará ainda dos planos da Companhia para minorar irregularidades, designadamente, a contratação e formação de mais pilotos e tripulantes de cabina, bem como alterações à estrutura de planeamento de escalas e medidas para incrementar a pontualidade. Por outro lado, o segundo semestre de 2018 vai ser também um período de expansão, uma vez que a Companhia irá receber novos aviões, nomeadamente o novo A330neo, do qual a TAP será a primeira operadora mundial e que permitirá à Companhia lançar mais novas rotas em breve.
 

Acerca da TAP Air Portugal

 

A TAP Air Portugal é a companhia aérea Portuguesa líder de mercado, e membro da Star Alliance, a maior aliança verdadeiramente global do mundo, desde 2005. A operar desde 1945, a companhia viu o seu processo de privatização concluído em 2015, ano em que celebrou 70 anos, com o consórcio Atlantic Gateway como novo acionista. Com Hub em Lisboa, plataforma privilegiada de acesso na Europa, na encruzilhada com África, América do Norte, Central e do Sul, a TAP é líder na operação entre a Europa e o Brasil. Desde o Verão 2017, a Rede TAP cobre 84 destinos em 35 países a nível mundial. Operando em média cerca de 2.500 voos por semana, a TAP dispõe de uma frota de 90 aeronaves: 67 aviões Airbus e 21 ao serviço da TAP Express, a nova marca comercial da companhia para a sua rede regional.

No âmbito do vasto plano de transformação da TAP em curso, na sequência da sua privatização, a companhia reestruturou a Rede, lançou novos produtos tarifários e anunciou, entre outras novidades, a renovação da sua frota de médio e longo curso a partir de 2018, a atualização e reconfiguração da frota presentemente em operação e o lançamento da TAP Express, que tomou o lugar da PGA e está equipada com uma frota integralmente renovada de 21 aviões ATR 72 e Embraer 190.

Prosseguindo uma orientação prioritariamente direcionada para o Cliente, a TAP investe continuamente em inovação e na utilização das novas tecnologias, oferecendo um produto e serviços de elevada qualidade, segurança e fiabilidade. 

A TAP foi eleita a Melhor Companhia Aérea na Europa em 2011, 2012, 2013 e 2015, pela prestigiada revista “Global Traveller” dos EUA, e foi distinguida pela UNESCO e pela International Union of Geological Sciences com o Prémio Planeta Terra IYPE 2010, na categoria Produto Sustentável Mais Inovador. Foi também eleita pela revista britânica Business Destinations como a Companhia Aérea com melhor Classe Executiva – América do Sul, em 2013 e considerada a Melhor Companhia Aérea pela revista “Condé Nast Traveller” em 2010. Foi ainda eleita a Melhor Empresa Portuguesa na área do Turismo em 2011 e também a Companhia Aérea com Melhor Reputação em Portugal, pelo Reputation Institute em 2014. A TAP tem também vindo a ser distinguida pelos prestigiados prémios World Travel Awards: Eleita a Companhia Aérea da Europa Líder para África e Companhia Aérea da Europa Líder para a América do Sul em 2017, 2016, 2015 e 2014 e Companhia Aérea Líder Mundial para África em 2011 e 2012. Detém igualmente o título de Companhia Aérea Líder Mundial para a América do Sul, dos WTA, em 2009, 2010, 2011 e 2012. A UP, revista de bordo da TAP foi também premiada pelos WTA em 2017, 2016 e 2015 como a Revista de Bordo Líder na Europa.

Tags:

tap

Sobre nós

Transportadora aérea portuguesa.

Subscrever