TNSJ assinala 25 de abril com Noite de Guerra no Museu do Prado

Em Portugal, o espetáculo foi apresentado pela última vez em 1974. A obra é encenada por José Peixoto, que, há 40 anos, integrava o elenco

Para celebrar o 40º aniversário da Revolução dos Cravos, o Teatro Nacional São João (TNSJ) recebe a estreia de Noite de Guerra no Museu do Prado. A peça, que foi apresentada em Portugal, pela última vez, em 1974 – logo após a Revolução dos Cravos –, regressa agora aos palcos, 40 anos volvidos. O texto do poeta e dramaturgo espanhol Rafael Alberti sobre a Guerra Civil Espanhola tem estreia marcada para o dia 25 de abril, às 21h30, no TNSJ.

O encenador José Peixoto regressa, agora, a um texto que leu enquanto ator em 1974 numa histórica encenação de Mário Barradas que, então, com grupo de teatro Os Bonecreiros, prestava homenagem a todos aqueles que combateram a ditadura salazarista. Noite de Guerra no Museu do Prado reflete, assim, sobre a necessidade de resistência, da vontade da democracia, de igualdade e de liberdade. É um violento manifesto antifascista, reativado, nos dias de hoje, para afastar os fantasmas de um temido regresso a “tempos sombrios”.

Na peça que balança entre ficção, História e biografia – Rafael Alberti exilou-se durante a Guerra Civil Espanhola, tendo escrito a obra na Argentina –, o Museu do Prado é o cenário escolhido para prestar tributo aos que lutaram pela defesa da cidade de Madrid, cercada em 1936 pelas tropas franquistas. Enquanto os milicianos republicanos levantam barricadas e tentam colocar a salvo os quadros do museu madrileno, as figuras dos quadros de Goya, Velásquez, Fra Angélico e Ticiano ganham vida e juntam forças com os combatentes, dando corpo e vida a uma aliança da arte “erudita” com o imaginário popular. A peça cruza este episódio central da Guerra Civil Espanhola com a memória da resistência à invasão das tropas francesas, em 1808, que o pintor Francisco Goya registou em tela.

Noite de Guerra no Museu do Prado é uma coprodução entre o Teatro dos Aloés e o Teatro Nacional São João e está em cena até 18 de maio. A peça sobe ao palco de quarta a sábado, às 21h30, e ao domingo, às 16h00. O preço das entradas varia entre os 7,5 e os 16 euros

O Teatro Nacional São João (TNSJ) é, desde 2007, uma Entidade Pública Empresarial, assumindo ainda a responsabilidade da gestão de mais dois espaços culturais da cidade do Porto: Teatro Carlos Alberto e Mosteiro São Bento da Vitória. Nos últimos três anos, o TNSJ alcançou um crescimento de público na ordem dos sete por cento, sendo que em 2013 fechou o ano com mais de 80 mil espectadores, integrando na sua programação global cerca de 60 espetáculos.

Em 2014, a aposta do TNSJ continuará a incidir nas digressões nacionais e internacionais das suas produções, reforçando a sua posição de referência no circuito europeu. O TNSJ é o único membro português na União dos Teatros da Europa (UTE), organização que congrega alguns dos mais importantes teatros públicos do espaço europeu.

Informações à comunicação social:
www.centraldeinformacao.pt (Sala de Jornalistas | Teatro Nacional São João)

Tags:

Sobre nós

Entidade Pública Empresarial que, no âmbito da sua missão de serviço público, tem como principais objectivos a criação e apresentação de espectáculos de teatro, dos vários géneros, segundo padrões de excelência artística e técnica, e a promoção do contacto regular dos públicos com as obras referenciais, clássicas e contemporâneas, do repertório dramático nacional e universal.

Subscrever

Media

Media