Universidade de Aveiro descobre metais pesados perigosos para a saúde em biocombustíveis domésticos

Zinco, chumbo, ferro e arsénio são alguns dos metais pesados descobertos por uma equipa da Universidade de Aveiro (UA) nas partículas emitidas durante a queima de vários tipos de pellets à venda no mercado nacional. Potenciadores de múltiplas doenças respiratórias e desencadeadores de cancro, os elevados teores de metais identificados pelos investigadores resultam da utilização, no fabrico das pellets, de resíduos de madeiras provenientes da indústria mobiliária e da construção civil que contêm colas e tintas ou que foram tratadas com biocidas para evitar a infestação. Sem legislação que regulamente o fabrico deste biocombustível e, principalmente, que proíba o uso de metais pesados na sua composição, as pellets fabricadas em Portugal, face ao preço elevado dos combustíveis tradicionais, são cada vez mais utilizadas em recuperadores de calor doméstico.
 
Em anexo seguem mais informações sobre o estudo coordenado pela investigadora Célia Alves que, para esclarecimentos adicionais, está disponível pelos seguintes contatos:
_ celia.alves@ua.pt  
_ 91 461 7088

Tags:

Sobre nós

Instituição de ensino superior.

Subscrever

Media

Media