É urgente reduzir as desigualdades em saúde entre a população

GeoSaúde 2014| 21 - 24 de abril| Auditório da Reitoria

Encontrar respostas para os gigantescos desafios que a saúde (ou a doença) coloca na atualidade, criando estratégias e identificando políticas públicas para reduzir as desigualdades entre as populações, é o grande objetivo do Primeiro Congresso de Geografia da Saúde dos Países de Língua Portuguesa, a decorrer, entre os próximos dias 21 e 24 de abril, no Auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra (UC).

350 investigadores e profissionais de distintas áreas do conhecimento, como Geografia, Arquitetura, Medicina, Antropologia, Economia, Sociologia, Saúde Ambiental e Engenharia Ambiental, entre outras, provenientes de treze países, maioritariamente de Portugal, Brasil, Angola, Moçambique e Cabo Verde, vão partilhar os resultados das suas pesquisas, por forma a contribuir para a reorientação da agenda da saúde, do domínio mediático da luta contra a doença para a visão mais moderna que promova a equidade nos ganhos em saúde.

«Os relatórios mais recentes evidenciam que os Países de Língua Portuguesa estão no bom caminho no que respeita aos indicadores que revelam ganhos em saúde. Paradoxalmente, em alguns casos, as desigualdades em saúde aumentaram. O combate a estas desigualdades constitui um dos maiores desafios à governação política, sendo uma prioridade reconhecida no âmbito das agendas políticas, nomeadamente, a de Portugal», assevera Paula Santana, professora catedrática da UC e responsável pela organização do Congresso GeoSaúde 2014.

Considerando o atual contexto económico, «em que os recursos públicos se tornam mais escassos e ao mesmo tempo mais utilizados, é urgente adequar os processos de tomada de decisão para políticas efetivas que reduzam as desigualdades em saúde entre a população», salienta a especialista em Geografia da Saúde da UC, destacando, ainda, «a urgência de os decisores políticos, em diferentes sectores, tomarem consciência do potencial impacto das suas decisões na saúde da população, já que as ações e políticas fora do exclusivo domínio do sector da saúde têm repercussões na saúde e na equidade em saúde».

Sob o tema Global, “A Geografia da Saúde no cruzamento de saberes», o GeoSaúde 2014 integra sete eixos temáticos - Abordagens Teóricas e Epistemológicas em Geografia da Saúde; Alterações Demográficas e Saúde Individual e Coletiva; Equidade e Desigualdades em Saúde; Variabilidade Climática e Vulnerabilidades em Cenários de Risco; Urbanismo e Saúde; Avaliação de Impactos na Saúde e Informação Geográfica e os Sistemas de Apoio à Decisão.

O programa e a lista dos oradores do GeoSaúde 2014 estão disponíveis em:
http://www.uc.pt/fluc/gigs/geosaud

Tags:

Sobre nós

Instituição superior de ensino público.

Subscrever