Estudo revela impacto da chancela da Unesco para os residentes no Alto Douro Vinhateiro

Apesar da boa imagem, orgulho na região e presença de visitantes, a chancela da UNESCO não é percecionada de igual forma pelos residentes do Douro. Estas e outras questões serão debatidas a 29 de maio, em Vila Real, num dia dedicado à Ciência, Vinho & Território que pretende reunir e ouvir agentes, nacionais e internacionais, e a nova geração de enólogos da região demarcada do Douro.
 
Passados 14 anos sobre a classificação do Alto Douro Vinhateiro (ADV) pela UNESCO, um estudo da UTAD revela dados sobre a perceção dos residentes quanto ao impacto da chancela neste património mundial da humanidade.

No âmbito do Projeto “Estratégias de Valorização Económica do Alto Douro Vinhateiro, coordenado por João Rebelo, docente e investigador da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) com a colaboração das investigadoras Lina Lourenço Gomes e Cristina Ribeiro, foi aplicado um inquérito a 250 residentes no ADV para avaliar os efeitos da chancela da UNESCO nos domínios da vitivinicultura, comércio e turismo.

Os resultados mostram que o turismo é a “atividade mais otimista e com impacto mais saliente” no que concerne ao retorno económico. Os comerciantes revelam uma perceção “mais moderada, pois a maioria atesta não sentir qualquer efeito” neste indicador. Já no caso dos vitivinicultores, o impacto da chancela UNESCO não tem sido sentido de forma homogénea.
“Apesar de quase metade dos inquiridos aferir um efeito maior ou muito maior no retorno económico, há uma faixa que expressa o efeito reverso, não tendo ainda conseguido internalizar potenciais oportunidades e benefícios”, sustenta a investigadora da UTAD Lina Lourenço Gomes.

Apesar da boa imagem, orgulho na Região e a presença de novos visitantes, os resultados indicam que os inquiridos revelam também preocupações com a sazonalidade e o aumento do custo de vida.

Ciência, Vinho & Território

Estas e outras questões estarão em debate no dia 29 de Maio, na conferência “Ciência, Vinho e Território” promovido e organizado pela UTAD, em conjunto com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN) e a Câmara Municipal de Vila Real, a realizar no Parque de Ciência e Tecnologia – Regia-Douro Park, em Vila Real.
O evento, dedicado ao sector da vitivinicultura, tem como objetivo promover um debate sobre o vinho e o território e pretende reunir e ouvir agentes, nacionais e internacionais, e a nova geração de enólogos da região demarcada do Douro. A internacionalização do setor é um dos temas em destaque.

O programa da iniciativa realiza-se na UTAD em duas fases, de manhã, pelas 10h00 com a cerimónia de atribuição do título doutor Honoris causa a João Nicolau de Almeida e Luís Braga da Cruz, na aula magna. Na biblioteca central serão transmitidos resultados dos inquéritos realizados no Alto Douro Vinhateiro no âmbito do Projeto “Estratégias de Valorização Económica do Alto Douro Vinhateiro”. Será ainda inaugurada a Exposição “Territórios do Vinho”, que integra obras de 20 pintores portugueses contemporâneos.

À tarde, o evento inicia-se às 14h30, no Parque de Ciência e Tecnologia - Regia-Douro Park, em Vila Real, com a conferência “Ciência, Vinho & Território”, que conta com intervenções de, entre outros participantes, Emídio Gomes, Presidente da CCDR-N, e Denis Dubourdieu, Presidente do Institut des Sciences de la Vigne et du Vin da Universidade de Bordeaux, estando o encerramento a cargo de Manuel Castro Almeida, Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional.

Após a conferência, os participantes terão a oportunidade de provar e degustar vinhos do Douro e alguns pratos elaborados durante o show cooking.

Tags:

Sobre nós

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro reconhecida pela sua intensa atividade nos domínios do ensino e da investigação científica e tecnológica.

Subscrever