CONFERÊNCIA SOBRE ESTIGMA DE DOENÇA MENTAL REUNE ESPECIALISTAS E APRESENTA ESTUDO

 

  • 42,7% dos portugueses já tiveram experiência de doença mental em algum momento da sua vida e 1 em cada 5 sofre actualmente de doença mental.
  • Mais de 50% dos estudantes universitários relatam ter tido contacto com doença mental durante a faculdade. Cerca de 17% foram diagnosticados com algum tipo de doença mental e os restantes acompanharam a situação de colegas, amigos ou familiares.
  • 66,7% dos estudantes considera que ter uma doença mental é diferente de ter uma doença física e mais de 20% admitem que, se liderassem um processo de recrutamento para um emprego, a decisão de recrutar seria influenciada negativamente se conhecessem historial de doença mental do candidato.
 
Daniel Sampaio (professor de psiquiatria e escritor), Áurea Ataíde (pedopsiquiatra), Natália Costa (psicóloga na Encontrar+se), Luís Loureiro (professor de saúde mental), Lara Caixeiro (Rede Nacional de Pessoas com Experiência de Doença Mental) e Fernanda Lobo (familiar de pessoa com doença mental) serão os intervenientes na conferência sobre o estigma em saúde mental, que será moderada pela jornalista Isabel Nery. Enquadrada na 9ª Edição dos AUA! - ANGELINI UNIVERSITY AWARD, que tem por tema “Viver com Doença Mental Grave”, esta conferência irá discutir vários tópicos ligados ao estigma sob a perspectiva de especialistas, doentes e famílias.
 
Um dos temas a discutir será se a linguagem do dia-a-dia contribui para perpetuar a estigmatização das pessoas com doença mental. Como exemplo, a utilização desadequada de diagnósticos psiquiátricos em debates políticos (quando se rotulam medidas como esquizofrénicas ou bipolares, por exemplo).
 
As pessoas com doença mental são habitualmente responsabilizadas pela sua doença (por serem “fracos”). Segundo dados recentes, 42,7% dos portugueses já sofreram de uma doença psiquiátrica em algum momento da sua vida e 1 em cada 5 sofre actualmente. Nesta conferência será apresentado um inquérito sobre Estigma em Saúde Mental promovido junto da população universitária portuguesa, no âmbito do Angelini University Award! 2017/2018. Tendo por base 1092 participações válidas, a maioria revelou ter contacto com doenças mentais durante o período de faculdade (51,5%), com maior predominância em níveis de graduação mais elevados. Os estudantes diagnosticados com doença mental no ensino superior (16,8%) têm maior propensão para conhecerem outras pessoas que tenham tido diagnóstico de doença mental (85,7% dos 51,5% com contacto com doenças mentais). A maioria dos estudantes considera que ter uma doença mental é diferente de ter uma doença física (66,7%) e, perante a afirmação “se estivesse à frente de um processo de recrutamento para um emprego, saber que a pessoa teve ou tem uma doença mental iria interferir na minha decisão”, mais de 20% admitem que sim.
 
Os respondentes consideraram que os meios de comunicação social são um dos principais responsáveis na promoção do estigma existente relativamente à doença mental, especialmente pela forma como caracterizam os doentes mentais e as instituições de psiquiatria em novelas, filmes e séries. A falta de  debate pelos agentes políticos nesta matéria foi também referenciada, salientando-se a necessidade de literacia em saúde mental. O Inquérito que será divulgado tem por base um questionário online com 1092 respostas válidas entre 21 de maio e 31 de julho de 2018. O perfil dos respondentes tem uma idade média de 23 anos, feminizado (86,3% são mulheres), 46,5% da amostra reside nos distritos de Lisboa e Porto e 53,8% frequenta cursos relacionados com a área da saúde.
 
No dia 24 de Outubro serão também conhecidos os vencedores da 9ª Edição do AUA! - ANGELINI UNIVERSITY AWARD. Destinado aos jovens universitários portugueses (estudantes de licenciatura, pós-graduação ou mestrado do ensino superior), e com o objetivo principal de estimular a sua criatividade e inovação, o concurso da Angelini Farmacêutica pretende que sejam desenvolvidos projetos multidisciplinares e com aplicabilidade prática relacionados com a temática da doença mental grave. Com um prémio monetário total no valor de 12.000 euros, o AUA! - ANGELINI UNIVERSITY AWARD 2017/2018 atribui 8.000 euros ao grupo vencedor (5.000€ - candidatos / 2.000€ - professor(a) orientador(a) / 1.000€ - project advisors) e 4.000 euros (2.500€ - candidatos / 1.000€ - professor(a) orientador(a) / 500€ - project advisors) ao segundo classificado. Os 15 melhores projetos estarão neste evento de encerramento, onde irão fazer um pitch perante um painel de jurados especialistas e entidades ligadas ao Sector da Saúde. Mais informações em AUA.PT.
 
Ao final da tarde serão divulgados os vencedores das duas categorias do Prémio de Jornalismo “AUA! - ANGELINI UNIVERSITY AWARD 2017/2018”. Tendo por objetivo ajudar a sensibilizar a opinião pública para as questões da doença mental, o prémio de jornalismo foi dirigido aos jornalistas da imprensa escrita, internet e audiovisual, bem como a estudantes do ensino superior das áreas de comunicação e jornalismo. A categoria de Jornalistas com carteira profissional receberá um prémio no valor de 2250 euros e a de Estudantes um prémio no valor de 750 euros. O júri do prémio de jornalismo foi constituído por Isabel Nery, em representação do Sindicato dos Jornalistas; Sónia Figueiredo, da Ordem dos Psicólogos Portugueses; Maria Joaquina Castelão, Presidente da FamiliarMente - Federação Portuguesa das Associações das Famílias de Pessoas Com Experiência de Doença Mental e João Paulo Guimarães, Director médico da Angelini Farmacêutica.
 
PROGRAMA DE ENCERRAMENTO DA 9ª EDIÇÃO DO AUA! - ANGELINI UNIVERSITY AWARD
24 de Outubro – Pavilhão do Conhecimento, Lisboa
  • 10h00 – 13h00: Conferência “Estigma em Saúde Mental”
  • 15h00 – 17h30: Apresentação dos 15 melhores projectos e intervenções de convidados
  • 17h30 – 18h15: Anúncio dos vencedores dos prémios “AUA! - ANGELINI UNIVERSITY AWARD 2017/2018” e do Prémio de Jornalismo
 
Convidam-se os meios de comunicação social para este evento, agradecendo confirmação de presença. Estão disponíveis para entrevista alguns participantes, como oradores da conferência e concorrentes aos prémios. O estudo feito junto da população universitária portuguesa pode ser disponibilizado antecipadamente.
 
 
Para mais informações por favor contacte:
Sofia Fernandes – sofia.fernandes@omnicomprgroup.com |  213 136 100
Élia Henriques – elia.henriques@omnicomprgroup.com |  213 136 114
Gabriela Ruiz – gabriela.ruiz@omnicomprgroup.com |  213 136 100
 
Sobre o AUA!
Atribuído anualmente pela Angelini Farmacêutica, o Angelini University Award foi criado em 2009 com o objetivo de estimular a aplicação, por parte da população universitária, dos conhecimentos académicos no desenvolvimento de projetos de cariz prático. Considerando a importância da existência de uma relação de proximidade e de parceria entre as empresas, a sociedade e a comunidade universitária, esta iniciativa pretende estimular a participação de estudantes e docentes, potenciando a sua capacidade de inovação, criatividade e desafio, tendo em vista a criação de projetos de novos produtos e serviços em torno de determinada temática. Este concurso tem proporcionado a construção de uma relação mais próxima entre as universidades e a sociedade em geral, e dado visibilidade aos jovens talentos e investigadores portugueses, graças à cobertura mediática que gera.
 
Sobre a Angelini Farmacêutica
A Angelini Farmacêutica faz parte do Grupo Angelini. Com sede em Itália, o Grupo começou por expandir a sua atividade em Portugal e Espanha, estando actualmente também presente na Europa de Leste e Grécia. Os seus produtos estão disponíveis em cerca de 60 países em todo o mundo e, em Portugal, a Angelini dispõe de um portefólio alargado de produtos, procurando um equilíbrio entre produtos desenvolvidas internacionalmente e marcas desenvolvidas localmente como é o caso de Barral, Acutil e Optimus.

Tags:

Subscrever