Pelotão de uma centena de ciclistas disputa a Clássica de Melgaço

Um pelotão de cerca de uma centena de ciclistas, em representação de 16 equipas, disputa amanhã a Clássica de Melgaço, prova de ciclismo de estrada destinada ao escalão de juniores, integrada no calendário nacional e pontuável para o Campeonato do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã.

Promovida conjuntamente pela Associação de Ciclismo do Minho e pelo Município de Melgaço, a corrida será organizada em condições de segurança e no cumprimento das orientações da Direção-Geral da Saúde e das normas concertadas entre aquela entidade e a Federação Portuguesa de Ciclismo.

Castro Laboreiro, em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês, consagrará o vencedor da primeira edição da Clássica de Melgaço, lado-a-lado com um dos mais ricos patrimónios pré-históricos do país que reúne gravuras e pinturas rupestres, 120 Dólmenes (datados de há 5000 anos) e Cistas (monumentos megalíticos funerários).

À partida para a Clássica de Melgaço, a Academia de Ciclismo de Viseu - Desfruta será a portadora da camisola amarela "Discover Melgaço", enquanto a formação Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel partirá com a camisola laranja - Cision (melhor júnior de primeiro ano) e o Centro Ciclista de Barcelos / A.F.F. / Flynx / H.M. Motor com a camisola azul - Arrecadações da Quintã (melhor corredor de equipas inscritas na Associação de Ciclismo do Minho).

A Clássica de Melgaço terá um percurso de 103 quilómetros, em que se destaca a subida a Castro Laboreiro, onde a meta final estará assinalada na aldeia que possui um património histórico e arquitetónico de grande riqueza, destacando-se um tipo próprio de construções castrejas e o Castelo de Castro Laboreiro, classificado como monumento nacional. 

O pelotão começará por percorrer, por duas vezes, um circuito que se inicia no Largo da Feira (12h55). O traçado da prova inclui passagens por Fonte da Vida, Capela Nossa Senhora da Orada (onde será dada a partida real), EN202, Paderne, Alvaredo, Centro de Estágios de Melgaço, Rua Hermenegildo Soalheiro e Praça da República. Após a última volta ao circuito, o pelotão seguirá em direção a Fiães, Pomares, Lamas de Mouro e Castro Laboreiro onde terminará a primeira edição da Clássica de Melgaço.

Um total de 16 equipas estarão representadas na Clássica de Melgaço: Academia Ciclismo de Paredes, Academia de Ciclismo Capital do Móvel, Academia de Ciclismo de Viseu - Desfruta, Academia Joaquim Agostinho / CYR / UDO, Bairrada, Centro Ciclista de Barcelos / A.F.F. / Flynx / H.M. Motor, Centro Ciclismo de Loulé, Escola de Ciclismo Bruno Neves, Grupo Desportivo de Lousa, LA Alumínios / SGR Ambiente / CC A. Paio Pires, Mato-Cheirinhos / Vila Galé / Etopi, Póvoa de Varzim / CDC Navais, Santa Maria da Feira / Segmento D`Época / Reol, Seissa|KTM-Bikeseven|Matias&Araújo|Frulact, Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel e Tensai / Sambiental / Santa Marta.

José Adriano Lima: “Grande expetativa”
José Adriano Lima, vereador do Desporto da Câmara Municipal de Melgaço, referiu que “é com expetativa positiva que aguardamos a realização desta prova: Será uma reinterpretação do Grande Prémio do Minho, prova que tanto nos apraz receber sempre que é organizada. Este ano vamos receber a Clássica de Melgaço, que percorrerá as ruas de Melgaço e conta com a subida ao Castro Laboreiro, uma subida mitiga do ciclismo do Alto Minho”.

Apelando para que “todos cumpram as regras sanitárias e quem tenham todos os cuidados para que a Clássica de Melgaço seja um grande momento do ciclismo no Minho”, José Adriano Lima explicou que “Melgaço está a proporcionar todas as condições aos jovens atletas para que possam competir num ano em que ainda estamos muito limitados, em que as competições são ainda muitas distanciadas no tempo. Isso leva à desmotivação e pode ter consequências graves no futuro. Por isso, estamos dispostos a fazer a nossa parte e só esperamos que todos cumpram para que se possa realizar cada vez mais as provas”.

José Adriano Lima, que além de vereador é Presidente do Conselho de Administração da Melsport, salientou que, “devido às limitações ainda não será um dia como gostaríamos”. Contudo, está convicto que “a Clássica de Melgaço terá tem um certo carisma com a subida a Castro Laboreiro. Acredito que vai ser uma excelente competição e que vai apaixonar”.

Interrogado sobre se esta é uma prova para ficar no calendário desportivo nacional, o vereador da Câmara Municipal de Melgaço não descartou essa possibilidade, mas salientou que “o formato do Grande Prémio do Minho é muito interessante e às vezes o facto de uma prova ser numa escala supramunicipal tem o seu propósito. É algo que teremos de avaliar no futuro”.

Em Melgaço já tudo está, praticamente, pronto para receber os ciclistas do pelotão de Juniores no sábado…

“Fazer qualquer evento no difícil momento que atravessamos é sempre complicado, mas consideramos que é possível fazer desde que todos cumpram as regras sanitárias e de segurança que se exige”, afirmou disse José Adriano Lima esclarecendo que “prova disso mesmo são os eventos que temos realizado, nomeadamente, na área desportiva e a verdade é que não tem havido impacto negativo na pandemia”.

No caso do ciclismo, o autarca salientou que “os atletas, pela experiência que temos, estão sensibilizados para o que têm de fazer e cumprir, até porque aquilo que os desportistas mais querem é competir e sabem que se as coisas não correrem bem podemos ter que parar tudo”.

A Clássica de Melgaço organizada pela Associação de Ciclismo do Minho e pelo Município de Melgaço, conta com o apoio da Federação Portuguesa de Ciclismo, Melsport, Cision, Arrecadações da Quintã, POPP Agency, Navega Rías Baixas, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, Auto Terror, Jopedois, Ciclismo a Fundo, Águas do Caramulo, Strong Speed e Cuidar Mais - Clínica Médica e Fisioterapia.

Tags:

Subscrever

Media

Media