Os resultados finais do estudo PROSPER mostram que XTANDI™ (enzalutamida) aumenta significativamente o tempo de vida global em homens com cancro da próstata não metastático resistente à castração

Lisboa, 29 de junho de 2020 – A Pfizer Inc. e a Astellas Pharma Inc. (TSE: 4503, Presidente e CEO: Kenji Yasukawa, Ph.D, “Astellas”) anunciaram os resultados finais da análise de sobrevida global (SG) da Fase 3 do estudo PROSPER, que avaliou o XTANDI™ (enzulatamida) juntamente com a terapêutica de privação androgénica (ADT) versus placebo mais ADT em homens com cancro da próstata resistente à castração não metastático (CPnmRC). Na análise, a utilização de XTANDI mais ADT reduziu o risco de morte em 27% (n=1401; Hazard ratio [HR]=0,73; [intervalo de confiança de 95%[IC]: 0,61-0,89]; p=0,001) comparado com o placebo mais ADT. A mediana da SG foi de 67,0 meses (95% IC: 64,0; não alcançado) para homens que receberam XTANDI com ADT, comparativamente a 56,3 meses (95% IC: 54,4 to 63,0) com placebo mais ADT. A SG foi um endpoint secundário neste estudo.
Estes dados foram publicados online no New England Journal of Medicine e foram apresentados durante o encontro anual do programa científico virtual de 2020 da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO) (Resumo #5515).
“A sobrevivência global é um endpoint crítico na avaliação de um medicamento para o cancro da próstata”, disse Cora N. Sternberg, M.D., F.A.C.P., Diretora Clínica do Instituto de Medicina de Precisão de Inglaterra e Professora de Medicina em Hematologia e Oncologia, Weill Cornell Medicine e NewYork-Presbyterian. “Estes resultados juntamente com o corpo de evidências comprovam o potencial do XTANDI na redução do risco de morte em homens com cancro da próstata resistente à castração.”
Em descobertas publicadas no New England Journal of Medicine em 2018, o estudo PROSPER atingiu o seu endpoint primário de sobrevida livre de metástases (MFS), demonstrando uma redução significativa no risco de desenvolver metástases ou morte, com a utilização de XTANDI mais ADT apenas, em comparação com apenas ADT em homens com CPnmRC (HR = 0,29 [ IC 95%: 0,24-0,35]; p <0,001).> MFS foi medida como o tempo desde que os doentes entraram no estudo e até o cancro ter sido detetado radiograficamente como metastizado ou até à morte, 112 dias após a descontinuação do tratamento.
O perfil de segurança observado na análise final da SG foi consistente com as primeiras análises de 2018 e o perfil de segurança estabelecido da enzalutamida. As reações adversas mais comuns, independentemente da relação com o medicamento, que ocorreram mais frequentemente (≥10%) em XTANDI com ADT -  nos doentes do estudo PROSPER foram fadiga (37% versus 16%), hipertensão (17% versus 6%), astenia (10% versus 7%), dorsalgia (13% versus 8%), tonturas (12% versus 6%), diarreia (12% versus 10%), náusea (13% versus 9%), rubor (14% versus 8%), quedas (18% versus 5%), artralgia (13% versus 8%), obstipação (13% versus 8%), hematúria (10% versus 5%), cefaleia (11% versus 5%) e apetite diminuído (12% versus 5%). Nesta análise do estudo PROSPER, foram notificadas reações adversas de grau 3 ou superior em 48% dos homens tratados com XTANDI mais ADT e em 27% dos homens tratados com placebo com ADT.
Sobre o cancro da próstata resistente à castração não metastático:
O cancro da próstata resistente à castração (CRPC) refere-se ao subconjunto de homens cujo cancro da próstata progride sob ADT, apesar dos níveis de testosterona compatíveis com níveis de castração (ex: menos do que 50 ng/dL)1. O CRPC não metastizado significa que não há evidências clinicamente detetáveis de que o cancro se espalhe para outras partes do corpo (metástases) e que há um aumento do nível de antigénio específico da próstata (PSA)2. Muitos homens com CRPC não metastático e um nível de PSA em crescimento rápido, desenvolvem CRPC metastático3.
Estudo PROSPER:
O ensaio de Fase 3, aleatorizado em dupla ocultação, controlado com placebo e multinacional envolveu 1401 doentes com CPnmRC em locais nos Estados Unidos, Canadá, Europa, América do Sul e na região da Ásia Pacífico. O estudo PROSPER envolveu doentes com cancro da próstata que tenha progredido, baseados num aumento do nível de PSA, apesar de ADT, mas que não apresentavam sintomas nem nenhuma evidência anterior ou atual de doença metastática. Do total de doentes envolvidos, 933 foram tratados com XTANDI numa dose de 160mg,12 por via oral, uma vez por dia, juntamente com ADT e 468 doentes foram tratados com placebo com ADT.
O endpoint primário do estudo PROSPER, MFS, foi medido desde o tempo em que os doentes entraram no estudo até que o cancro fosse detetado radiograficamente como tendo sido metastizado ou até à morte, com 112 dias de descontinuação do tratamento. O endpoint secundário principal incluiu a SG, tempo de progressão do PSA e o tempo até à primeira utilização de terapêutica antineoplástica.
Para mais informações sobre o estudo PROSPER, consulte www.clinicaltrials.gov
Sobre o XTANDI (enzalutamida)
O XTANDI (enzalutamida) é um inibidor da via de sinalização do recetor de androgénio indicado para o tratamento de doentes com cancro da próstata resistente à castração (CRPC).
Informação de Segurança Importante para XTANDI
Advertências e precauções especiais de utilização
Risco de convulsões
A utilização de enzalutamida tem sido associada a convulsões. A decisão de continuar o tratamento em doentes que desenvolvem convulsões deve ser tomada caso a caso.
Síndrome de encefalopatia posterior reversível
Têm sido reportados casos raros de síndrome de encefalopatia posterior reversível (SEPR) em doentes a receber Xtandi. SERP é um estado neurológico raro, reversível, que pode apresentar sintomas de evolução rápida, incluindo convulsão, dor de cabeça, confusão, cegueira e outros distúrbios visuais e neurológicos, com ou sem hipertensão associada. Um diagnóstico de SERP requer confirmação por imagiologia cerebral, de preferência ressonância magnética (MRI). É recomendada a descontinuação de Xtandi em doentes que desenvolvam SERP.
Reações de hipersensibilidade
As reações de hipersensibilidade manifestadas por sintomas que incluem, mas não limitam a erupções cutâneas ou edema da face, língua, labial e faríngeo têm sido observados com enzalutamida.
Cardiopatia Isquémica
Num ensaio clínico aleatorizado, controlado com placebo, a cardiopatia isquémica ocorreu em 2,5% dos doentes tratados com enzalutamida e ADT comparativamente a 1,3% dos doentes tratados com placebo e ADT.
Toxicidade do embrião fetal – A segurança e eficácia de XTANDI não foi estabelecida em mulheres. XTANDI pode causa danos fetais e perda de gravidez quando administrado a uma mulher grávida. Aconselhe os homens com parceiras sexuais femininas com potencial reprodutivo a usar métodos contracetivos eficazes durante o tratamento com XTANDI e por 3 meses após a última dose de XTANDI.
 
Resumo do perfil de segurança
As reações adversas mais frequentes são astenia/fadiga, rubor quente, fraturas e hipertensão. Outras reações adversas importantes incluem quedas, fraturas não patológicas, distúrbios cognitivos e neutropenia. Ocorreram convulsões em 0,4% dos doentes tratados com enzalutamida, 0,1% dos doentes tratados com placebo e 0,3% dos doentes tratados com bicalutamida. Foram notificados casos raros de síndrome de encefalopatia posterior reversível em doentes tratados com enzalutamida.
Interações medicamentosas
Potencial de outros medicamentos para afetarem a exposição à enzalutamida - Durante o tratamento com a enzalutamida, os inibidores fortes (ex. gemfibrozil) do CYP2C8 devem ser evitados ou usados com precaução. Se é necessária a coadministração de um inibidor forte do CYP2C8, a dose de enzalutamida deve ser reduzida para 80 mg, uma vez por dia.
Não é necessário ajuste de dose quando Xtandi é coadministrado com inibidores do CYP3A4.
Potencial de enzalutamida para afetar a exposição a outros medicamentos - A enzalutamida é um indutor enzimático forte e pode levar à perda de eficácia de muitos medicamentos usados frequentemente. Deve ser, portanto, efetuada uma análise dos medicamentos concomitantes antes de iniciar o tratamento com a enzalutamida. O uso concomitante de enzalutamida com medicamentos que são substratos das enzimas metabolizadoras ou transportadoras deve geralmente ser evitado se o seu efeito terapêutico é de grande importância para o doente, e se os ajustes de dose não podem ser facilmente realizados com base na monitorização de eficácia ou da concentração plasmática. Deve evitar-se a coadministração com anticoagulantes de tipo varfarina e cumarina. Se Xtandi é coadministrado com um anticoagulante metabolizado pelo CYP2C9 (como a varfarina ou o acenocumarol), deve efetuar-se uma monitorização adicional do International Normalized Ratio (INR). Não é necessário ajuste de dose quando Xtandi é coadministrado com inibidores do CYP3A4, CYP2C9 e CYP2C19 com um índice terapêutico estreito, pois o XTANDI pode diminuir a exposição plasmática desses medicamentos. Se o XTANDI for coadministrado com varfarina (substrato do CYP2C9), realiza uma monitorização adicional do INR.
Para informação adicional acerca do perfil de segurança de XTANDI, por favor consulte o Resumo das Características do Medicamento/Folheto Informativo.
Sobre a Astellas:
Astellas Farma Inc., sediada em Tóquio, Japão, é uma companhia dedicada em melhorar a saúde das pessoas de todo o mundo, através do fornecimento produtos farmacêuticos inovadores e de confiança. Para mais informação visite o nosso website em https://www.astellas.com/pt/
Sobre a Pfizer Oncologia
Na Pfizer Oncologia estamos comprometidos com o avanço de medicamento que acreditamos que podem ter uma diferença significativa na vida dos doentes. Hoje, a Pfizer Oncologia possui um portefólio líder da indústria de 22 medicamentos inovadores e biossimilares aprovados em mais de 30 indicações, incluindo cancro da mama, próstata, rim e pulmão, além da leucemia e melanoma. A Pfizer Oncologia está a esforçar-se para mudar a trajetória do cancro.
Sobre a colaboração da Pfizer / Astellas
Em outubro de 2009, a Medivation, Inc., que agora faz parte da Pfizer (NYSE: PFE), e a Astellas (TSE: 4503) assinaram um acordo global para desenvolver e comercializar conjuntamente a enzalutamida. As empresas comercializam conjuntamente o XTANDI nos Estados Unidas e a Astellas é responsável pela produção e por todos os registos regulatórios adicionais em todo o mundo, além de comercializar o XTANDI fora dos Estados Unidos.
Declaração sobre o futuro da Astellas
Neste comunicado de imprensa, apresentamos declaração feitas com relação aos planos, estimativas, estratégias e crenças atuais e outras declarações que não são fatos históricos, mas sim declarações prospetivas sobre o desempenho futuro da Astellas. Estas declarações são baseadas nas suposições e crenças atuais da administração à luz das informações atualmente disponíveis e envolvem riscos e incertezas conhecidos e desconhecidos. Vários fatores podem fazer com que os resultados reais sejam materialmente diferentes dos discutidos nas declarações prospetivas. Tais fatores incluem entre outros: (i) mudanças nas condições económicas gerais e nas leis e regulamentos relativos aos mercados farmacêuticos, (ii) flutuações da taxa de câmbio, (iii) atrasos no lançamento de novos produtos, (iv) incapacidade da Astellas de comercializar efetivamente produtos novos e existentes, (v) incapacidade da Astellas de continuar a pesquisar e desenvolver efetivamente produtos aceites pelos clientes em mercados altamente competitivos; e (vi) violações dos direitos de propriedade intelectual da Astellas por terceiros. As informações sobre produtos farmacêuticos (incluindo produtos atualmente em desenvolvimento), incluídas neste comunicado à imprensa, não devem constituir um anúncio ou aconselhamento médico.
Aviso de divulgação da Pfizer:
As informações contidas neste comunicado são válidas a partir de 29 de maio de 2020. A Pfizer não assume nenhuma obrigação de atualizar as declarações prospetivas contidas neste comunicado como resultado de novas informações ou eventos ou desenvolvimentos futuros.
Este comunicado contém informações prospetivas sobre o XTANDI (enzulatamida), incluindo os seus benefícios potenciais, que envolvem riscos substanciais e incertezas que podem causar resultados reais materialmente diferentes daqueles expressos ou implícitos em tais declarações. Os riscos e incertezas incluem, entre outras coisas, incertezas quanto ao sucesso comercial do XTANDI; as incertezas inerentes à investigação e desenvolvimento, incluindo a capacidade de atender aos resultados clínicos previstos, datas de início e / ou conclusão dos nossos ensaios clínicos, datas de submissão regulamentares, datas de aprovação regulamentares e /ou datas de lançamento, bem como a possibilidade de novos resultados clínicos desfavoráveis, dados e análises adicionais aos dados clínicos existentes; o risco de os dados de ensaios clínicos estarem sujeitos a diferentes interpretações e avaliações pelas autoridades reguladoras; se as autoridades reguladoras ficarão satisfeitas com o design e os resultados dos nossos estudos clínicos; se e quando os pedidos de medicamentos para o XTANDI podem ser apresentados em outras jurisdições; se e quando as autoridades reguladoras de qualquer jurisdição em que os pedidos podem estar pendentes ou arquivados podem aprová-los, o que dependerá de vários fatores, incluindo a determinação de se os benefícios do produto superam os riscos conhecidos e a determinação da eficácia do produto e, se aprovado, se o XTANDI terá sucesso comercial; decisões de autoridades reguladoras que afetam rotulagem, processo de fabricação, segurança e /ou outros assuntos que possam afetar a disponibilidade ou o potencial comercial do XTANDI; riscos relacionados com o aumento de desafios competitivos, de reembolso e económicos; dependência dos esforços e financiamento da Astellas Farma Inc. para o desenvolvimento, fabricação e comercialização do XTANDI; incertezas quanto ao impacto da COVID-19 nos nossos negócios, operações e resultados financeiros e desenvolvimentos competitivos.
Uma descrição adicional dos riscos e incertezas pode ser encontrada no Relatório Anual da Pfizer no formulário 10-K para o exercício fiscal encerrado a 31 de dezembro de 2019 e nos relatórios subsequentes no formulário 10-Q, incluindo as seções com a legenda “Fatores de Risco” e “Informações prospetivas e fatores que podem afastar resultados futuros”, bem como nos seus relatórios subsequentes no formulário 8-K, todos arquivados na Comissão de Valores Mobiliários dos EUA e disponíveis em www.sec.gov e www.pfizer.com .
 

[1] Kirby M, Hirst C, Crawford ED. Characterising the castration-resistant prostate cancer population: a systematic review. Int J Clin Pract 2011;65(11):1180-92.
2 Luo J, Beer T, Graff J. Treatment of nonmetastatic castration-resistant prostate cancer. Oncology 2016;30(4):336-44.
3 Smith MR, Kabbinavar F, Saad F, et al. Natural history of rising serum prostate-specific antigen in men with castrate nonmetastatic prostate cancer. J Clin Oncol 2005;23(13):2918-25.

Tags:

Subscrever