Presidente enaltece importância do XXIV Congresso Internacional de Antropologia

O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada congratulou-se, ontem, com a capacidade de mobilização do XXIV Congresso Internacional de Antropologia de Ibero-América e enalteceu a importância deste evento para a humanidade.

José Manuel Bolieiro, que falava na sessão de abertura do evento no Salão Nobre e que reúne em Ponta Delgada aproximadamente duas centenas de palestrantes e congressistas oriundos de dezassete países ibero-americanos, defendeu a necessidade de dar resposta aos desafios do mundo atual, nomeadamente no que respeita à sustentabilidade dos recursos, e de antecipar o futuro de forma a proteger o planeta e, sobretudo, a humanidade.

“Encontrar explicação do hoje no ontem em busca do amanhã” é precisamente o objetivo do  XXIV Congresso Internacional de Antropologia de Ibero-América, a decorrer em Ponta Delgada até sexta-feira, com o tema “Museus, Turismo e Património”.

O edil sustentou que “estar no meio do Atlântico Norte não é estar numa ultraperiferia no que à intelectualidade diz respeito, mas é  estar no centro do mundo, porque é possível encontrar  pensamento, cultura e identidade em Ponta Delgada”.

O Presidente do Município deu as boas vindas aos palestrantes e congressistas e  expressou a sua satisfação pela adesão ao congresso em geral, mas em especial à sessão de abertura, que reuniu, também, as mais altas entidades civis e militares.

Dirigiu uma palavra de apreço ao professor Luiz Nilton Corrêa, Presidente da Comissão Organizadora do Congresso, pela capacidade de organização e mobilização, que, por seu turno, agradeceu o “apoio motivacional” da Câmara Municipal de Ponta Delgada e reconheceu que “Ponta Delgada é uma cidade magnífica” e com enorme potencial para a realização de congressos internacionais. Destacou, igualmente, o riquíssimo e diversificado património material e imaterial dos Açores.

O Presidente de Honra do Congresso, Angel Espina Barrio, deu, também, as boas vindas aos participantes.

A conferência inaugural foi proferida por Alexandre Fernandes, do “Museu do Amanhã” (Rio de Janeiro), um projeto que privilegiou a regeneração de uma região portuária e assenta no conceito de tempo, “que a gente antecipa o futuro e ajuda a explorar os amanhãs possíveis”.

Ontem, foram, igualmente, assinados protocolos de cooperação entre a Câmara Municipal de Ponta Delgada e diversas entidades: Museum of Tomorrow International (Brasil), Rede Universitária de Antropologia de Ibero-América (Espanha), Sociedade Espanhola de Antropologia Aplicada (Espanha) e Instituto Internacional Juarez Machado (Brasil).

Também foram apresentados o livro “Antropologia em Ibero-América-Diálogo Intercultural, Religiosidades Populares, Música e Migrações”, coordenado por Angel Espina Barrio, Luiz Nilton Corrêa e Jaime Roberto Montes, e o “Dicionário Temático de Antropologia Cultural”, de Ángel Aguirre Baztán.

Foi ainda assinada a carta de doação da biblioteca cientifica da Universidade de Barcelona à Universidade dos Açores.

O evento foi abrilhantado por Rafael Carvalho e os sons da viola da terra.

 

Programa dia 14 de março

O programa do XXIV Congresso Internacional de Antropologia de Ibero-América, que decorre em Ponta Delgada, em parceria com a Câmara Municipal presidida por José Manuel Bolieiro, prossegue amanhã, 14 de março, no Auditório da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada (BPARPD), tendo o Património como tema base.

Com início às 09h00, os trabalhos são subordinados ao “Património Imaterial, Territórios e Saberes Tradicionais”. A mesa é presidida por Madalena San-Bento, Diretora da BPARPD e conta com a participação de Marcelino Júnior (Universidade de Lisboa) e Marcia Rodrigues (Universidade Federal do Amapá), que dissertam sobre “Do Ver-o-Peso ao Igarapé das Mulheres nas Veredas do Regatão”.

A segunda intervenção, da autoria de Luis Chaves-Chang (Unversidad de Costa Rica)  aborda “Riesgos en La Transmisión de La Medicina Tradicional Indígena de Cabagra”, enquanto Maria Conceição Lacerda, da Faculdade Panamericana de Ji-Paraná (Brasil), fala sobre “A Dança de Gujãnej do Povo Indígena Zoró: Património Imaterial da humanidade”.

A mesa seguinte visa o “Património Arqueológico e Antropologia”. Presidida por Margarida Lalanda, da Universidade dos Açores, conta com as intervenções de Maria Angeles, da Universidad Autónoma del Estado de Hidalgo, México (“El Arte Mexicana y Su Cosmovisión”), de Antonieta Costa, da Universidade do Porto (“Patrimónios Ignorados”), de Nuno Ribeiro e de Anabela Joaquinito, ambos da Associação Portuguesa de Arqueologia (“Estudo arqueológico e antropológico (Preliminar) das estruturas piramidais da ilha do Pico”).

“Preservação, Etnografia e Interculturalidade” é o tema da 16ª mesa, presidida por Rui  Silva, da Associação dos Emigrantes Açorianos, contando com as intervenções de Rosana Nascimento, do Departamento de Expressão Gráfica do Brasil, que fala sobre “Ações de preservação das informações do acervo do Núcleo de Estudos Açorianos”, de Alfredo Cabral Junior, pesquisador brasileiro independente, que aborda “A imigração açoriana para as fazendas de café paulistas” e de Bojing Wu, da Universidade de Salamanca, que fala sobre “Aspectos Culturales de La Comunidad de China en Perú: La fiesta del año nuevo chino en una perspectiva comparada”.

Novas Abordagens do Património é o tema da 17ª mesa, presidida por Lina Pacheco Universidad de la Serena. Os trabalhos a apresentar são de María Jiménez, do Centro de Investigaciones Antropológicas da Universidad de Costa Rica (“Las ventas ambulantes como patrimonio de la humanidad. Creación de un archivo mundial con fuentes escritas, documentales e imágenes”), de Luana Araujo de Oliveira, da Universidade de Salamanca (“Agricultura Urbana: Património sociobiocultural das cidades”) e de Tatiana Benemérita, da Universidad Autónoma de Puebla, do México, (“Análisis semiótico de la iconografía Textil Nahua”).

A mesa 18 é presidida por Euler de Siqueira, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, e tem por tema “Património e a Construção da Identidade”. Os oradores são Sérgio Rezendes, do Instituto de História Contemporânea - Universidade Nova de Lisboa (“A Crise nas Freguesias Rurais Durante a II Guerra Mundial: Os açorianos e o património edificado durante o Estado Novo”), Chrys Chrystello, da Associação Internacional dos Colóquios da Lusofonia (“A AICL na defesa da língua e cultura como valores patrimoniais: um povo que não respeita sua história ruma ao olvido”) e Francisco Pereira, do Núcleo de Estudos Açorianos (“NEA/UFSC e as ações com as comunidades litorâneas de Santa Catarina”).

Os trabalhos prosseguem com a mesa 19 - “Políticas do Património e Educação” - presidida por Maria Almeida, da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril. Andrea Borelli, da Universidade Cruzeiro do Sul (Brasil), aborda “Mapeando o património cultural brasileiro: considerações sobre a construção de um projeto de pesquisa discente em cursos na modalidade EaD”, Sofia Magrinho e Maria João Vaz, ambas do Instituto Universitário de Lisboa, falam sobre “Património Cultural, inovação e investigação científica no século XXI!, Luiz Barbugiani, da Universidad de Salamanca, sobre “A educação em antropologia: perspectivas contemporâneas”.

A mesa 20 – “Património Imaterial, Etnografia e identidade” – será presidida por Lélia Nunes (Universidade da Madeira). Os oradores são Elizabeth Ramos, da Universidad de Salamanca (“De Ida y De Vuelta: Relatos de la diáspora de jubilados españoles retornados de Venezuela”), Mário Moura, da Câmara da Ribeira Grande (“O chá do Brasil e dos Açores e Macau”) e Arlete Monteiro, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (“Religião e imigração. O bairro do Brás em São Paulo, Brasil”).

O XXIV Congresso Internacional de Antropologia de Ibero-América tem lugar de 12 a 15 de março, em Ponta Delgada, com entrada livre.

O evento é uma realização conjunta da Câmara Municipal de Ponta Delgada, da Universidade de Salamanca (Espanha) e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina (Brasil). 

A direção do Congresso, realizado em parceria com a Câmara Municipal de Ponta Delgada, está a cargo do brasileiro Luiz Nilton Corrêa e do espanhol Ángel Espina Barrio.

Tags:

Sobre nós

Câmara Municipal Ponta Delgada.

Subscrever

Media

Media