Canal HISTÓRIA estreia ‘Piratas nas Ilhas Baleares’, uma nova série original em coprodução com a IB3 e a MapaFilms

15 de setembro de 2021
 
A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA, 20 DE SETEMBRO, ÀS 22:15H

  • A nova produção explora a marca e transcendência dos piratas ao longo dos séculos nas Ilhas Baleares e como este território se tornou de especial interesse estratégico-militar e comercial para os piratas genoveses, africanos e turcos.
 
  • Com a ajuda de historiadores, escritores e militares, esta produção mostra-nos as legendárias batalhas e expedições que marcaram a evolução das ilhas, bem como o papel desempenhado por famosos piratas como Barba-Ruiva ou Antoni Riquer, entre outros.
 
 
Séculos XV e XVI. O Mar Mediterrâneo é a rota comercial mais importante do mundo. Vikings, Otomanos, Vândalos e Muçulmanos realizam ataques temíveis a barcos, navios e portos. O cenário central destes ataques é nada mais nada menos do que as Ilhas Baleares, um território que devido à sua localização geográfica tem um especial interesse estratégico-militar e comercial para os piratas. Um ponto perfeito de ataque, refúgio e preparação para ataques ao longo dos portos mediterrâneos.
 
Depois de mais de 3.000 anos de cercos intermitentes, fizeram da pirataria um verdadeiro modo de vida para o povo balear. Na próxima segunda-feira, 20 de setembro, às 22h15, o Canal HISTÓRIA estreia ‘Piratas nas Ilhas Baleares’, uma nova série original em coprodução com a IB3 e a Mapa Films, que mostra as peculiaridades da pirataria mediterrânica através do seu impacto nas Ilhas Baleares.
 
Composta por quatro episódios e baseada na mente de historiadores, escritores e militares, a série descobre como os piratas desempenharam um papel indispensável nas disputas de poder no Mediterrâneo; recria as batalhas e incursões de renome que marcaram a evolução das ilhas, e analisa o impacto que esses ataques tiveram no caráter do habitante balear, apresentando, assim, uma história única de resistência, bravura, martírio e glória.
 
Ao longo dos episódios, a série mostrará os diferentes objetivos dos piratas nas suas expedições, dependendo de quem está envolvido no ataque. Os genoveses atacaram as ilhas para desestabilizar os aragoneses, os africanos procuraram escravos, os turcos devastaram as ilhas para se vingarem das suas derrotas contra os espanhóis... e os espanhóis capturaram remadores nas suas praias sem medo de represálias. Numa época marcada por um mercantilismo selvagem, o povo balear teve de unir forças para sobreviver. O resultado desse esforço heroico são as lendas e comemorações que continuam a ser celebradas todos os anos ao longo de todo o território.
 
Além disso, a série conta com a participação de especialistas em pirataria e recriações da época, realizando uma detalhada visita a lendas sobre navios piratas e ambições desmedidas das grandes figuras histórias que marcaram a cultura e personalidade das Ilhas Baleares, como Barba-Ruiva e o balear Antoni Riquer.
 
A série também desconstrói o estereótipo do pirata, comparando o pirata das Caraíbas – o mais conhecido na imaginação popular e sobre o qual existem inúmeros mitos – e o pirata que se instalou no Mediterrâneo. Além disto, a série analisará como as frequentes invasões de piratas estrangeiros desencadearam aquilo a que os especialistas chamam de “Psicose da Invasão” nas Ilhas Baleares, um estado de terror contínuo que promoveu o desenvolvimento da defesa costeira das ilhas.
 
As Ilhas Baleares são o epicentro desta série em que participam IB3 (coprodutores) e Mapa Films (produtor e coprodutor delegado). Uma produção que poderá ser vista em Portugal, no Canal HISTÓRIA, disponível no MEO (posição 125), NOS (posição 112), NOWO (posição 24) e Vodafone (posição 135).
 
Durante a filmagem da série, a equipa de produção teve o privilégio de visitar locais únicos, como é o caso do Palácio Real de La Almudaina, onde nada era filmado há mais de 25 anos; as Cavernas de Drach, um local de difícil acesso para as câmaras; e o Pueblo Español, um museu ao ar livre que retrata as principais características dos povos de Espanha ao longo dos anos, que serviu como magnífico cenário para os ‘Piratas nas Ilhas Baleares’. Em Madrid, a equipa foi a primeira a filmar no novo Museu Naval após a sua renovação.
 
Para esta aventura, também foram visitados e filmados outros cenários emblemáticos das Ilhas Baleares, como o Castelo de Bellver, o Castelo de Capdepera, Cap Blanc, a praia da Alcudia, Pollença e o veleiro de Rafael Verdera – datado de 1841, considerado o mais antigo navio ativo em Espanha -, entre muitos outros locais.
 
“’Piratas nas Ilhas Baleares’ é uma série histórica de aventura que analisa o passado e o impacto que a pirataria teve nas Ilhas Baleares, bem como a particular importância que este território desempenhou no desenvolvimento da vida social e cultural no Mediterrâneo. Com a ajuda de especialistas de renome de diferentes áreas e através de recriações espetaculares, a série remonta a um tempo em que as ilhas eram o epicentro de incursões extraordinárias, batalhas, feitos heroicos e códigos navais. Esta é uma página da nossa história até agora pouco conhecida pelos espetadores que pensamos que poderá surpreendê-los”, comenta Carolina Godayol, Diretora-geral do Canal HISTÓRIA.
 
 
ESPECIALISTAS PARTICIPANTES
A série conta com a participação de mais de 25 especialistas pertencentes a instituições como museus, universidades, arquivos e coleções arqueológicas, entre os quais se encontram professores catedráticos, doutores, historiados, arqueólogos, economistas, militares, investigadores e escritores. Neste profundo trabalho de documentação e investigação histórica, colaboraram diferentes instituições como a Universidade das Ilhas Baleares, o Instituto de História-CSIC, o Arquivo Municipal de Ciutadella e a Diocese de Menorca, o Instituto de Estudos Menorqueses, entre outros.
 
 
SINOPSES
 
EPISÓDIO 1 - AS ILHAS PIRATAS
Segunda-feira, 20 de setembro, às 22h15
As Ilhas Baleares são consideradas locais cheios de encanto e um dos principais destinos turísticos para milhões de pessoas que, todos os verões, chegam às suas costas para desfrutar das imponentes vistas e de um inofensivo Mar Mediterrâneo. No entanto, isto não foi sempre assim, uma vez que, durante séculos, a sua situação geográfica e as condições de vida dos seus habitantes fizeram com que sofressem a atividade predadora por excelência nas águas mediterrânicas: a pirataria. Mas quem eram realmente os piratas? E a pirataria era um ato de vandalismo? O primeiro episodio de “Piratas nas Baleares” faz uma recapitulação histórica pela figura do pirata e como este influenciou o desenvolvimento dos acontecimentos políticos e socioculturais das Ilhas Baleares. Conhecendo piratas como Antoni Riquer ou o Barba
Ruiva, desmitifica-se a imagem do predador marítimo e analisa-se o legado cultural e arquitetónico que deixou esta violência no território.
 
EPISÓDIO 2 - O NEGÓCIO DA PIRATARIA
Segunda-feira, 20 de setembro, às 23h00
O Mar Mediterrâneo foi, durante muito tempo, o centro económico mundial, o que propiciou o auge do negócio corsário, com que lucrava grande parte da oligarquia. Neste episódio, descreve-se a complexa trama desta atividade e a sua importância nas Ilhas Baleares ao longo dos séculos. Mas como funcionava realmente o saque? Quem poderia ser corsário?
No segundo episódio desta série, é analisada o negócio do pirata e do corsário, a profissionalização do atacante, os benefícios que tinha e os problemas que provocava. Além disso, provamos qual foi a estreita relação que existiu entre esta depredação e a escravatura.
 
EPISÓDIO 3 - O PIRATA MAIS PERIGOSO
Segunda-feira, 27 de setembro, às 22h15
Com a guerra, o negócio dos piratas saiu sempre a ganhar e a História nunca conheceu a paz. Quer tenha sido por conflitos diplomáticos entre as potências cristãs ou por motivos de fé, a guerra foi uma constante que marcou o ritmo da vida das Ilhas Baleares. Neste episódio é revelada a difícil situação dos ilhéus, dada a situação de isolamento. Desde pequenas escaramuças muçulmanas até aos maiores e mais virulentos ataques estratégicos perpetrados pelos otomanos, com os irmãos Barba Ruiva como protagonistas indiscutíveis. O terceiro episódio revê os atacantes mais frequentes e relevantes que fustigaram as Baleares, desde que há registo até ao fim dos grandes ataques na costa, e revela que o pior pirata é aquele que atua nas próprias ilhas e sem qualquer consideração por elas, com o Rei a fazer “vista grossa”.
 
EPISÓDIO 4 - PSICOSE DE INVASÃO
Segunda-feira, 27 de setembro, às 23h00
As Ilhas Baleares estão rodeadas por ilhotas valiosas com paragens recônditas que bem poderiam ser definidas, atualmente, como paradisíacas. Mas nada está mais longe da verdade, porque estas ilhotas e a sua situação em redor das ilhas principais foram um pesadelo para os habitantes das Baleares. Os saques constantes a que foram submetidos os ilhéus geravam uma sensação de perigo constante que se traduzia num medo absoluto de tudo o que se aproximava por mar. No quarto e último episódio de “Piratas nas Ilhas Baleares” é analisada a sensação de desassossego incontrolável que veio em sequência dos atos piratas ocorridos nas ilhas. É analisada igualmente a violência no estilo de vida e a psicose que chegaram a viver os habitantes das Baleares.
 
 
Canal HISTÓRIA é o único canal de documentários com produção própria em Portugal, que procura despertar a curiosidade do espectador, levando-o à profundidade das histórias que definem o esforço humano.
Um novo ponto de vista que inclui provas e teorias que podem mudar o nosso pensamento, proporcionando conhecimento e sentido, aos feitos que têm transformado o mundo. Produções internacionais de grande sucesso como ‘World Wars’, ‘A Maldição de Oak Island’ ou ‘Bárbaros’ e as melhores produções próprias de séries como ‘Templários’, ‘As Faces de Fátima’ ou ‘Portugal Desconhecido’, fazem parte da oferta de conteúdos que o Canal HISTÓRIA emite no nosso país.
Produzido em Portugal pela AMC Networks International Southern Europe, o Canal HISTÓRIA é uma marca de prestígio internacional que está disponível em mais de 160 países e que chega a mais de 330 milhões de espectadores em todo o mundo. O canal é distribuído no MEO (posição 125), NOS (posição 112), NOWO (posição 24) e Vodafone (posição 135).
 

Tags:

Subscrever