Festival das Artes QuebraJazz 2021 - Noites de música através de diferentes épocas e geografias

Report this content

Veja no browser

Noites de música através de diferentes épocas e geografias

 
Festival das Artes QuebraJazz | 19 a 27 de Julho de 2021

Com início na segunda-feira, o Festival das Artes QuebraJazz 2021 propõe nos dias seguintes, terça, quarta e quinta, uma viagem pela música clássica que atravessa diferentes épocas, geografias e gerações, guiada pelos Músicos do Tejo, os Aga Khan Master Musicians e a Jovem Orquestra Portuguesa.

Tendo como mapa o tema desta 12.ª edição, Outros Mundos, o Festival das Artes QuebraJazz 2021 apresenta em Coimbra, na quarta-feira, dia 21 de julho, um concerto de música mediterrânea com os Aga Khan Master Musicians e os seus convidados portugueses,  no concerto Música do Mundo.

Às 21h00, na Quinta das Lágrimas, o anfiteatro ao ar livre Colina de Camões recebe Basel Rajoub (saxofone e duclar), Feras Charestan (qãnun), Jasser Haj Youssef (viola e viola d’amore), Andreas Piccione (bateria de quadro).

Com os seus convidados, entre os quais está presente a guitarra portuguesa, os Aga Khan Master Musicians demonstram como a tradição serve de bússola para explorações artísticas em novos formatos de criatividade inspirados no passado.

Os Aga Khan Master Musicians são um ensemble colaborativo que toca instrumentos asiáticos e ocidentais e, ao longo da sua carreira, apresentaram-se com a Orquestra Gulbenkian, em Lisboa; no Mosel Musikfestival, na Alemanha; em Bernkastel-Wehlenand Konzerthaus, em Dortmund, na Renânia do Norte-Vestfália, e com o Quarteto Kronos no Royal Albert Hall, em Londres.

No dia anterior, terça-feira, 20 de julho, a proposta do Festival das Artes QuebraJazz é a de uma viagem pela música antiga, com a orquestra portuguesa os Músicos do Tejo e a soprano Sandra Medeiros como protagonistas da noite, também no anfiteatro ao ar livre da Colina de Camões, na Quinta das Lágrimas.

Sob o título In furore, o programa integra obras de George Friedrich Händel, Carlos Seixas, Pedro António Avondano, Carl Phillipp Emanuel Bach, Francisco António de Almeida e Antonio Vivaldi e é conduzido pelo maestro Marcos Magalhães.

Os Músicos do Tejo são um agrupamento dedicado à música antiga, de formação variável, fundado em 2005. Na sua carreira já se apresentaram em locais tão variados como Mafra, Vigo, Brest, Paris, Goa (Índia), Sastmala (Finlândia) e Praga (República Checa).

Sandra Medeiros, natural da ilha de São Miguel, percorre, na sua actividade como solista, a música antiga, o oratório, o lied, a canção do séc. XX/XXI e a ópera, tendo actuado sob a direção de destacados maestros e orquestras, nacionais e estrangeiros.

Além de Portugal, tem-se apresentado Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Luxemburgo, Macau, Bulgária, Brasil e Uruguai.

E na quinta-feira, 22 de julho, às 21h00, no anfiteatro ao ar livre Colina de Camões, a Jovem Orquestra Portuguesa, com o maestro Pedro Carneiro, apresenta Variações Românticas, concerto que tem como solista Luís Cruz, no violoncelo, e cujo programa percorre obras de Wolfgang Amadeus Mozart, Piotr Ilitch Tchaikovsky e Robert Schumann. 

Jovem Orquestra Portuguesa dedica-se aos jovens músicos de todo o país, entre os 14 e os 24 anos, selecionados pela sua excelência, talento e potencial. Estes jovens são formados pelo diretor artístico da Jovem Orquestra Portuguesa, Pedro Carneiro, e por outros músicos e ensaiadores convidados, nacionais e estrangeiros.

Jovem Orquestra Portuguesa conta já com 1.353 participações de Jovens músicos de todo o território nacional e, em 2013, ingressou na Federação Europeia de Jovens Orquestras Nacionais

A edição de 2021 do Festival das Artes QuebraJazz decorre entre 19 e 27 de Julho e une, pela primeira vez, dois festivais celebrados em Coimbra. A programação oferece nove dias de concertos, de música clássica e jazz, conferências, experiências gastronómicas e workshops para toda a família

A cerimónia de abertura do Festival das Artes QuebraJazz acontece às 17h00, com a inauguração da exposição Japão e Portugal: Fusão das Artes e das Letras no Século XVI, que vai estar patente até 30 de julho na Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra. 

Esta exposição celebra a chegada dos portugueses a outros mundos do Oriente, no Século XVI, primeiro à India, depois à China e, em 1543, ao Japão. Neste país o encontro foi de curiosidade mútua e dele também surgiram trocas, receitas, e formas de arte. Os objetos em presença na Biblioteca de Universidade de Coimbra vêm das primeiras décadas de contacto entre estes dois mundos. Expressam a fusão do encontro que não foi virtual e ficou registado nas cartas, nos livros, nos mapas, nos baús de laca, nas caixas e na decoração das armas.

No mesmo local, uma hora mais tarde, às 18h00, decorre a conferência As rotas oceânicas e a circulação das formas artísticas proferida pelos professores universitários João Paulo Oliveira e Costa e Cristina Castel-Branco.

Esta conferência está também disponível através do seguinte link Zoom
https://videoconf-colibri.zoom.us/j/86126286292?pwd=TmRaRFlRK0dwNFhKMW9rYW1tc1ByQT09 
ID da reunião: 861 2628 6292
Senha de acesso: 852608

Toda a programação do 12.º Festival das Artes QuebraJazz pode ser consultada em festivaldasartes.com e os bilhetes adquiridos online.

Para download:
Dossier de Imprensa 12.º Festival das Artes QuebraJazz
Imagens artistas do  12.º Festival das Artes QuebraJazz

Sobre a Fundação Inês de Castro
 

A Fundação Inês de Castro foi criada a 7 de Janeiro de 2005, dia em que se comemoravam os 650 anos sobre a sua morte. A Fundação tem como missão estimular a investigação e a divulgação da história, da cultura e da arte relacionadas com a temática Inesiana, e apoiar estudos e actividades culturais centradas em Inês de Castro, a sua época ou épocas mais próximas deste mito, proporcionando o aparecimento de novos valores culturais.

Sediada na Quinta das Lágrimas, em Coimbra, um local que a história e as memórias associam a Inês de Castro e ao drama por ela vivido, a Fundação é responsável pelos terrenos onde se integram os locais históricos, jardins, encosta e mata, e que constituem parte do seu património.

A Fundação Inês de Castro promove o Prémio Literário Fundação Inês de Castro deste 2007 e o Festival das Artes de Coimbra desde 2009.



Sobre o QuebraJazz

Desde 2012 que todos os fins-de-semana de Verão têm um encanto especial no Centro Histórico de Coimbra, nas Escadas Quebra Costas, com uma mostra do melhor Jazz que se vai fazendo por Portugal. De degrau em degrau, o QuebraJazz revela-se como um festival de excelência para o jazz e coloca Coimbra na lista dos locais preferidos para atuações dos melhores músicos nacionais e internacionais.

Após um primeiro concerto oficial realizado fora das Escadas Quebra Costas no dia 25 de julho de 2019, e um segundo, no dia 5 de setembro de 2020, com um enorme sucesso, em 2021, esta coprodução do QuebraJazz e do Festival das Artes ganha uma dimensão maior e resultará numa partilha mais ampla e que terá lugar no belo Anfiteatro Colina de Camões na Quinta das Lágrimas.

 


 

Tags:

Subscrever

Media

Media