Brasil aprova acordo de individualização da produção da jazida de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos

Acordo regula redistribuição das participações num reservatório que se estende para além da zona de concessão do bloco BM-S-11, em que a Galp participa
• Galp passa a ter posição de 9,2% numa área de maior dimensão

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) brasileira aprovou o Acordo de Individualização da Produção (AIP) relativamente à jazida compartilhada de Lula, submetido pelo consórcio do bloco BM-S-11, juntamente com a Petrobras por parte da área da Cessão Onerosa (CO), e a Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA) em representação do Estado Brasileiro por parte da jazida compartilhada que não se encontra contratada.

Uma vez que a acumulação de Lula se estende para a área adjacente de Sul de Tupi, que faz parte da CO, e para uma área não contratada, é necessário, de acordo com a legislação brasileira, que decorra um processo de individualização da produção (unitização) para determinar as participações respetivas a cada participante na área unitizada, assim como os termos e condições para o desenvolvimento conjunto do projeto.
A Galp, através da sua subsidiária Petrogal Brasil, detém uma participação de 10% no consórcio BM-S-11.

(Comunicação integral em anexo)

Tags:

Sobre nós

Empresa de produção e distribuição de combustíveis e energia.

Subscrever