Hipoges ganha a gestão do maior portfólio de arrendamento residencial em Portugal

Report this content

A carteira tem mais de 4.400 ativos espalhados por todo o território português, incluindo Lisboa, Porto e Algarve

 

A Hipoges, servicer de referência no setor de Asset Management, detém a gestão da maior carteira de arrendamento residencial em Portugal, com mais de 4.400 ativos.

Esta conquista surge no seguimento da criação do mais recente departamento da empresa, composto por mais de 20 profissionais experientes que se dedicarão exclusivamente à gestão deste tipo de ativos em Portugal e em Espanha, reforçando, assim, o seu compromisso em oferecer novos serviços e soluções aos seus clientes.

Para este novo portfólio, a Hipoges desenvolveu uma plataforma de gestão que é uma novidade no mercado e que, aliada à capacidade de gerir todo o tipo de ativos, tem sido fundamental na adjudicação por parte do cliente.

A isto junta-se a capacidade da empresa de comercializar todo o tipo de ativos em todo o território português, uma vez que a carteira está distribuída e posicionada em todos os distritos de Portugal, com destaque para Lisboa, Porto e Algarve.

Para Luís Silveira, Diretor de Real Estate Portugal, a entrada desta carteira “representa mais um passo na consolidação da Hipoges como uma referência em gestão de ativos em Portugal e evidencia a posição de liderança no mercado, podendo assumir constantemente novos desafios”.

A empresa já trabalha para colocar os primeiros ativos à disposição de possíveis consumidores ou investidores nas próximas semanas, oferecendo o serviço de arrendamento por meio do seu portal imobiliário online: portalnow.com.

 

Mercado de arrendamento: uma tendência concorrida 

O mercado de locação tem crescido nos últimos anos, apoiado por grandes empresas que procuram oportunidades e alternativas de negócios que lhes permitam obter bons retornos com menores riscos.

Um exemplo disso são as grandes carteiras de ativos já construídos que necessitam de uma gestão profissional para maximizar a rentabilidade ou o chamado “Build to Rent”, que já é um vetor de investimento em Espanha com mais de 6.000 casas desenvolvidas em dois anos e que está a ter o seu reflexo em Portugal com o início de grandes operações.

Dados de diferentes consultoras destacam que cerca de 15% do total de imóveis do mercado português passarão a fazer parte do mercado de arrendamento, o que reflete o interesse por este tipo de ativo.

Subscrever