Jerónimo Martins investe 10 milhões de euros em Portugal em prémio anual para colaboradores das lojas e centros de distribuição

  • Prémio extraordinário anual, referente ao desempenho colectivo em 2019
  • Valor do prémio aumenta 5%, face ao ano anterior, para os 500 euros
  • 71.500 colaboradores do Grupo, nos três países, vão receber este prémio
  • Em Portugal, o prémio é atribuído a cerca de 21 mil colaboradores, num investimento de 10 milhões de euros

O Grupo Jerónimo Martins aumentou para 500 euros o valor do prémio extraordinário anual, atribuído aos colaboradores das operações (lojas e centros de distribuição). Este prémio - cujo valor é igual em Portugal, na Polónia e na Colômbia - pretende reconhecer o trabalho e partilhar a satisfação pelos resultados obtidos em 2019 e será atribuído a aproximadamente 71.500 colaboradores, no conjunto dos três países.

Em Portugal, 80% dos colaboradores elegíveis vão receber o prémio, num total de quase 21 mil pessoas, o que representa um investimento de cerca 10 milhões de euros.

O Conselho de Administração de Jerónimo Martins aprovou a proposta do seu Presidente, Pedro Soares dos Santos, no sentido de aumentar o valor deste prémio em cerca de 5% face ao ano anterior. Esta percentagem é superior à do crescimento das vendas das Companhias em Portugal, que registaram, em 2019, uma subida de cerca de 3% face a 2018.

O Grupo Jerónimo Martins emprega actualmente mais de 115.000 colaboradores, 30% dos quais em Portugal onde, no ano passado, criou cerca de 1.300 postos de trabalho.

Este prémio, pago em Portugal pelo 14º ano consecutivo, acumula com a remuneração variável mensal em vigor e com os vários programas e acções de apoio aos colaboradores nas dimensões da saúde, da educação e do bem-estar familiar, nas quais, em 2019, o Grupo investiu, só no nosso país, mais de 3,6 milhões de euros.

Na área da saúde, em Portugal, foram alocados 820 mil euros a iniciativas como, entre outras, os programas SOS Dentista e SOS Dentista Júnior, que permitiram que mais de 3.500 colaboradores e 45 crianças e jovens tenham concluído os seus tratamentos dentários. Outros exemplos são o Programa Mais Vida, uma parceria com a Fundação Champalimaud e com a Cruz Vermelha Portuguesa para apoiar colaboradores e familiares directos com doença oncológica, e o protocolo com o Grupo Lusíadas, que permite o acesso a consultas de especialidade a preços mais competitivos. Este protocolo foi, no ano passado, alargado aos colaboradores reformados e aos pais dos colaboradores, estendendo-se, assim, significativamente o universo populacional apoiado.

Na educação, área em que foi investido mais de um milhão de euros, destacam-se iniciativas como a atribuição de 87 bolsas de estudo a colaboradores e/ou seus filhos que não tenham tido acesso a bolsa estatal. Foram ainda atribuídas dez bolsas de mestrado. Como forma de incentivar a progressão nos estudos, a iniciativa Aprender e Evoluir, desenvolvida ao abrigo do programa público Qualifica, permite a conclusão do 9.º ou 12.º anos de escolaridade em tempo de trabalho. No ano passado, beneficiaram desta possibilidade mais de 370 colaboradores, em Portugal.

Finalmente, e no que diz respeito à dimensão de bem-estar familiar, foram consumidos cerca de 1,7 milhões de euros em Portugal, dos quais mais de 930 mil euros canalizados para o Fundo de Emergência Social, que apoiou 971 colaboradores nas áreas da alimentação, saúde, educação, aconselhamento jurídico e orientação financeira.

Tags:

Sobre nós

Grupo empresarial português de distribuição alimentar e indústria, presente em Portugal, Polónia e Colômbia.

Subscrever