Office Flashpoint: Falta de oferta limita ocupação de escritórios no arranque do ano

Em janeiro foram ocupados cerca de 9.400 m2, num decréscimo de 32% face a 2018, diz a JLL

Em janeiro foram ocupados 9.383 m2 de escritórios em Lisboa, cerca de 22% e 32% abaixo da atividade do mês anterior e do período homólogo respetivamente, de acordo com o Office Flashpoint da JLL referente a este mês. Na perspetiva da consultora, este arranque de ano em desaceleração resulta, sobretudo, da incapacidade da oferta existente em dar resposta à procura.

As empresas continuam muito ativas na procura de escritórios, o problema reside em encontrar os espaços que correspondam aos seus requisitos. Apesar dos anúncios de novos investimentos e do pipeline de nova promoção, o facto é que a área disponível tem vindo a reduzir. Nos últimos 7 anos, entraram em stock uma média de apenas 27 mil m2 por ano, ao mesmo tempo que a carteira de edifícios usados foi sendo reduzida, com a reconversão de muitos imóveis para outros usos e também por obsolescência. Temos hoje um stock de 4,16 milhões m2, com uma taxa de disponibilidade historicamente baixa, nos 6,5%. Ou seja, o parque de escritórios é hoje claramente insuficiente para uma procura que tem crescido em volume e diversidade”, comenta Mariana Rosa, Diretora de Office / Logistics Agency & Transaction Management da JLL.

Tags:

Sobre nós

Empresa de serviços financeiros e profissionais especializada em serviços de imobiliário e gestão de investmento, desenvolvendo a sua atividade nos mercados de escritórios e retalho, nas áreas de agência, investimento, corporate solutions, consultoria e avaliações, gestão de imóveis, arquitectura/obras e research.

Subscrever