Grupo José de Mello e Arcus concretizam venda de 81,1% da Brisa

O Grupo José de Mello e o Arcus European Infrastructure Fund 1 LP gerido por Arcus European Investment Manager LLP (Arcus) chegaram hoje a acordo com um Consórcio de investidores internacionais para a venda conjunta de dois blocos acionistas representativos, no total, de 81,1% dos direitos de voto da Brisa, o que valoriza a empresa em mais de 3 mil milhões de euros.

O Consórcio comprador tem experiência acumulada na gestão de empresas de infraestruturas, uma visão de longo prazo nos investimentos que realiza e é constituído por três investidores institucionais, nomeadamente a APG (gestora de ativos da ABP, o fundo de pensões dos funcionários públicos e do setor da educação dos Países Baixos), o NPS (serviço nacional de pensões da República da Coreia) e a SLAM (gestora de ativos da Swiss Life, a maior seguradora do ramo vida na Suíça).

A aquisição será realizada através de um veículo integralmente detido, direta e indiretamente, pelo Consórcio, e conjuntamente controlado pela APG e pelo NPS.

O acordo celebrado configura uma parceria estratégica de longo prazo entre o Consórcio e o Grupo José de Mello, que permanece como acionista de referência da Brisa, com uma posição representativa de 17% dos direitos de voto e com participação ativa na gestão, continuando Vasco de Mello como Presidente do Conselho de Administração.

O Consórcio comprador considera a Brisa uma das principais referências internacionais no setor das infraestruturas e pretende contribuir ativamente para o crescimento e desenvolvimento da empresa, quer nos atuais negócios, quer em novas áreas de negócio.

A concretização deste negócio confirma a robustez e sustentabilidade financeira da Brisa e o seu potencial de crescimento e valorização, reconhecendo também a consistência e o bom desempenho do Grupo José de Mello e do Fundo Arcus.

Ao ser formalizado e anunciado no atual contexto económico de grande adversidade, este negócio, que é um dos maiores investimentos estrangeiros realizados em Portugal nos últimos anos, é também um sinal de confiança de investidores internacionais na economia portuguesa.

Para o presidente do Grupo José de Mello, Vasco de Mello, “esta parceria, celebrada no atual contexto de grande adversidade, é um sinal de confiança em Portugal e na economia portuguesa e representa uma oportunidade única para a Brisa reforçar e acelerar o seu posicionamento na área da mobilidade.”

O Grupo José de Mello foi assessorado pela Rothschild & Co em todo o processo e pelo Caixa – Banco de Investimento nas questões de natureza interna, tendo contado também com a assessoria jurídica dos escritórios Vieira de Almeida & Associados, Clifford Chance e Loyens & Loeff.

A conclusão do negócio está dependente de aprovação das entidades reguladoras competentes e deverá ocorrer no decurso do terceiro trimestre deste ano.

DECLARAÇÕES

Vasco de Mello, Presidente do Grupo José de Mello e da Brisa “O acordo de parceria estratégica de longo prazo agora celebrado vai permitir dar continuidade aos planos de crescimento e desenvolvimento da Brisa, dada a dimensão, experiência e qualidade de gestão das três entidades que integram o consórcio comprador. Esta parceria, no atual contexto de grande adversidade, é um sinal de confiança em Portugal e na economia portuguesa, e representa uma oportunidade única para a Brisa reforçar e acelerar o seu posicionamento na área da mobilidade.”

Jan-Willem Ruisbroek, Chefe da Estratégia Global de Investimento em Infraestruturas na APG “Este investimento na Brisa, realizado em representação do nosso cliente de fundos de pensões ABP, corresponde à nossa estratégia de proporcionar rendimentos estáveis e a longo prazo nos principais ativos de infraestruturas a nível mundial. Esta empresa beneficia de uma rede rodoviária de alta qualidade e muito diversificada e constitui um contributo essencial para o desenvolvimento económico de Portugal. Estamos agora entusiasmados com a perspetiva de trabalhar com o Grupo José de Mello e os nossos parceiros de consórcio, para facilitar a prestação contínua de serviços de elevada qualidade a automobilistas e utentes diários, na ida e regresso dos respetivos trabalhos, e para continuar a inovar no segmento dos serviços rodoviários e de mobilidade.”

Christoph Manser, Chefe do departamento de Investimentos em Infraestruturas da Swiss Life Asset Managers AG “Enquanto investidor a longo prazo, muito nos apraz tornar-nos investidores da Brisa, uma vez que esta representa um ativo de infraestruturas fulcrais de elevada qualidade, com um apelativo rendimento a longo prazo e um potencial positivo que se coaduna na perfeição com a estratégia de investimento que implementamos. Juntamente com os nossos parceiros de consórcio e o Grupo José de Mello, esperamos apoiar a empresa e a respetiva equipa de gestão no contínuo desenvolvimento desta plataforma essencial de transportes em Portugal.”

Jee Kim, Diretor de Investimento em Infraestruturas da National Pension Service “Acreditamos que a Brisa é um ativo de excelência e as suas características de foco em infraestruturas e de geração de caixa são representativas da nossa filosofia de investimento no setor dos transportes. Estamos entusiasmados por trabalhar com os nossos parceiros e em continuar a criar valor nesta plataforma de investimento de elevada qualidade.”

INFORMAÇÃO CORPORATIVA

Sobre a Brisa

A Brisa é uma concessionária de autoestradas com portagem líder na Europa (com uma extensão total da rede de 1.575 km) e a maior plataforma rodoviária em Portugal, representando cerca de 57% do total da distância percorrida em território nacional e cerca de 43% da rede rodoviária com portagem do país. Todos os anos, mais de 7,5 milhões de automobilistas usam as autoestradas Brisa. A Brisa, que compreende 5 concessões com um total de 21 autoestradas, é a espinha dorsal do sistema rodoviário português: percorre 12/18 regiões portuguesas, estabelece a ligação Porto-Lisboa (a principal rota empresarial nacional) e Este-Oeste (com dois importantes acessos a Espanha e à rede rodoviária transeuropeia).A maior concessão é a Brisa Concessão Rodoviária (BCR), que compreende uma rede de 11 autoestradas com uma extensão de 1.100 km. A Brisa detém uma participação de 70% na BCR. Mais informação: www.brisa.pt

Sobre o Grupo José de Mello

Herdeiro de um legado histórico com mais de 100 anos, o Grupo José de Mello é um grupo económico com uma estrutura acionista de base familiar e nacional, sendo um dos maiores grupos empresariais portugueses. Com uma intervenção diversificada na economia e uma presença significativa e criadora de valor nos setores de atividade em que atua, o Grupo José de Mello desenvolve uma estratégia de negócios orientada para o futuro, apoiada numa cultura própria baseada na promoção da Sustentabilidade e nos valores da Competência, Inovação e Desenvolvimento Humano. Mais informação: www.josedemello.pt

Sobre a APG

A APG é a maior gestora de fundos de pensões dos Países Baixos; com aproximadamente 3 000 colaboradores, a APG presta consultoria executiva, gestão de ativos, administração de pensões, comunicação sobre pensões e serviços para empregadores. A APG presta estes serviços em nome de fundos (de pensões) e empregadores nos sectores do ensino, governo, construção, limpezas e lavagem de janelas, associações de habitação, empresas de eletricidade e serviços públicos, organizações de emprego protegido e especialistas médicos. A APG gere aproximadamente 533 mil milhões € (fevereiro de 2020) em ativos de pensões para fundos de pensões nestes setores. A APG trabalha para acerca de 22.000 funcionários, proporcionando a pensão para uma em cada cinco famílias dos Países Baixos (cerca de 4,7 milhões de participantes). A APG tem delegações em Heerlen, Amesterdão, Bruxelas, Nova Iorque e Hong Kong. A APG tem sido um investidor ativo em infraestruturas desde 2004, contando até à data com investimentos na ordem dos 15,0 mil milhões € e gerindo 35 participações diretas em empresas em carteira. Os investimentos da APG incluem ativos na eletricidade e outros serviços essenciais, telecomunicações e infraestruturas de transportes. A equipa de Infraestruturas Globais da APG inclui 35 profissionais do investimento. Mais informação: www.apg.nl/en

Sobre o NPS

O National Pension Service foi criado como um fundo de reserva para financiar e executar o Plano nacional de Pensões e para pagar prestações em conformidade com a Lei Nacional de Pensões da República da Coreia. O Plano Nacional de Pensões consiste num sistema de providência social criado para estabilizar e promover a subsistência e o bem-estar na Coreia, pagando pensões por velhice, invalidez e morte. No final de 2019, o NPS registava aproximadamente um total de fundos de 570 mil milhões €, gerido em nome de 22,3 milhões de clientes. O NPS é um investidor ativo em infraestruturas com uma carteira de compromissos em matéria de infraestruturas no valor de 17,7 mil milhões € (em dezembro de 2019) e investimentos diretos de 7,6 mil milhões €. Mais informação: www.nps.or.kr

Sobre a Swiss Life Asset Managers

A Swiss Life Asset Managers conta com mais de 160 anos de experiência na gestão de ativos do Grupo Swiss Life. O facto de possuir um historial em seguros exerceu uma influência fulcral na filosofia de investimentos da Swiss Life Asset Managers, que se orienta por princípios como a preservação de valor, um desempenho sustentável e consistente e uma abordagem responsável ao risco. É desta forma que criamos as bases para os nossos clientes traçarem planos sólidos e de longo prazo - com autodeterminação e confiança financeira. A Swiss Life Asset Managers disponibiliza esta abordagem, já comprovada, a outros clientes na Suíça, França, Alemanha, Luxemburgo e Reino Unido. À data de 31 de dezembro de 2019, os ativos sob gestão para terceiros clientes ascendem ao valor de 83,0 mil milhões de francos suíços. Juntamente com mandatos de seguros para o Grupo Swiss Life, os ativos totais sob gestão na Swiss Life Asset Managers situam-se nos 254,4 mil milhões de francos suíços. A Swiss Life Asset Managers conta com uma equipa em exclusividade nas infraestruturas, composta por 14 profissionais de investimentos, centrados em investimentos diretos de capital em infraestruturas nos países da OCDE. À data de 31 de dezembro de 2019, a equipa encontrava-se a gerir compromissos na ordem dos 5,1 mil milhões € em nome de entidades do Grupo Swiss Life e de terceiros. A equipa concluiu 25 investimentos diretos em infraestruturas, na Europa e na América do Norte, nos sectores das energias renováveis, eletricidade, serviços essenciais regulamentados, transportes e comunicações.
Mais informação: www.swisslife-am.com

Tags:

Sobre nós

Empresa de prestação de cuidados de saúde em Portugal.

Subscrever