PROJETO “RECICLE MAIS PAGUE MENOS”

MAIA É O PRIMEIRO MUNICÍPIO DO PAÍS A INDEXAR TARIFA À PRODUÇÃO DE RESÍDUOS

O Município da Maia é o primeiro do país a indexar a tarifa de pagamento da gestão de resíduos indiferenciados à sua produção. O projeto “recicle mais, pague menos” arranca em maio e abrange na primeira fase 3.500 fogos e perto de 10.000 pessoas.
 
Com este projeto pioneiro a nível nacional, os munícipes da Maia passarão a pagar o valor justo pelos resíduos que colocam no contentor do indiferenciado, o que significa que, quanto mais reciclarem, menos pagam.
Em todo o país, quanto mais se gasta de água, mais se paga pela gestão dos resíduos. Na Maia, quanto mais se reciclar, menos se pagará. Não só o modelo tarifário é mais justo, como se incentiva a reciclagem e a utilização dos ecocentros.
 
Até ao final do ano, os munícipes abrangidos vão conseguir perceber a diferença entre a fatura atual, indexada ao consumo de água, e a fatura virtual, que vão passar a receber, que revelará a tarifa que pagariam calculada através do novo modelo. No início de 2022, o novo método de cálculo tarifário entrará efetivamente em vigor para 3500 habitações, cerca de 10 000 pessoas. Até ao final de 2024 o sistema deverá abranger todos os munícipes.
 
Durante a primeira fase, que permitirá aos consumidores controlar e perceber como a sua mudança de hábitos de reciclagem pode influenciar a sua fatura de tratamento de resíduos, a Maiambiente irá destinar a instituições de solidariedade a diferença entre a tarifa efetivamente cobrada e a tarifa que resultaria do novo método de cálculo.

Hoje, na apresentação do projeto, António Silva Tiago sublinhou que “o ambiente é inequivocamente uma das mais importantes marcas distintivas da Maia moderna, que ousou inovar e apostar com arrojo numa nova geração de políticas para a sustentabilidade ambiental”.
 
Para o presidente da Câmara Municipal da Maia, “temos feito este percurso orientados por uma visão estratégica, científica e tecnologicamente bem apoiada, que foi pioneira. Prova disso mesmo é o facto da Maia se ter tornado num exemplo inspirador de boas práticas, que tem merecido o reconhecimento, mas também o interesse de municípios e instituições nacionais e internacionais que nos demandam para ver, in loco, as soluções e processos que concretizamos e temos em funcionamento para assegurar a nossa sustentabilidade ambiental”.
 
O autarca agradeceu “a comunidade de trabalho da Maiambiente”, deixando “uma palavra especial à comunidade concelhia da Maia, com quem fizemos juntos este caminho de consolidação da estratégia municipal para o ambiente, rumando à tão almejada sustentabilidade integral do território concelhio”.

Tags:

Media

Media