FAMALICÃO: JOVENS RESIDENTES CONVERTEM TORRES DO EDIFÍCIO DAS LAMEIRAS NO MAIOR PROJETO DE ARTE URBANA DO MINHO

As quatro torres do Edifício das Lameiras, complexo localizado numa das principais artérias do centro de Vila Nova de Famalicão e onde habitam mais de 1000 pessoas, serão convertidas, até à próxima sexta-feira, 17 de agosto, naquele que se tornará no maior projeto de arte urbana realizado na região do Minho. 

Sob a orientação do Centro Artístico A CASA AO LADO, o projeto conta com o apoio do Município de Vila Nova de Famalicão e prevê a pintura de murais em que, na parte superior de cada uma das quatro torres, estarão representadas quatro personalidades históricas nacionais com ligação à cidade - Bernardino Machado, ex-presidente da República, os escritores Camilo Castelo Branco e Júlio Brandão e o historiador Alberto Sampaio.

Cada torre está a ser pintada com a colaboração de grupos de 12 jovens, dos 6 aos 25 anos de idade, num total de 48. Duas torres estão a ser intervencionadas por jovens moradores das Lameiras e a participação na pintura dos murais nas outras duas torres é aberta a toda a comunidade. 

"O objetivo deste projeto passa pela inclusão de jovens moradores nas Lameiras, permitindo-lhes usufruir de experiências artísticas, conhecer outras realidades e deixar a sua marca na zona onde residem. Estes jovens não têm qualquer experiência no campo artístico, mas vão certamente sentir orgulho na sua área de residência e na diferença artística que este projeto trará para a cidade", sustenta Ricardo Miranda, diretor artístico d'A CASA AO LADO.

Além de participarem na pintura dos murais, a marca dos jovens residentes nas Lameiras vai também ficar eternizada pela representação dos seus próprios rostos no interior das diversas torres, cada uma com 18 metros de altura e seis metros de largura.

"A dimensão deste projeto vai, naturalmente, produzir um forte impacto urbanístico na cidade de Famalicão e temos a ambição de o ver integrado nos roteiros turísticos da arte urbana social. Queremos que esta zona das Lameiras, que já foi sinónimo de exclusão social, passe a ser um cartão de visita da cidade e um polo de atração turística, quer a nível regional, como no país", considera Ricardo Miranda. 

Fundada em 2005, pelos artistas plásticos Ricardo Miranda e Joana Brito, A CASA AO LADO é um centro artístico que desenvolve a sua atividade tendo como foco a aprendizagem, a experimentação e a sensibilização artística.

 

DOWNLOAD DO PRESS-RELEASE EM FORMATO EDITÁVEL (WORD): em anexo;

LINK PARA DOWNLOAD DE FOTOGRAFIAS:https://we.tl/6DGQ5TK9mD;

Notas para o Editor:

SOBRE O COMPLEXO HABITACIONAL DAS LAMEIRAS: 

O Complexo Habitacional das Lameiras, ou Edifício das Lameiras, constitui um núcleo urbano da cidade de Vila Nova de Famalicão, sendo constituído por 290 habitações. 

O início da sua construção remonta a 1978. Na altura, a construção deste Aglomerado Habitacional em pleno centro urbano da cidade de Vila Nova de Famalicão, foi motivo de muita discussão pública. No entanto o Edifício foi mesmo construído e com ele toda a polémica então gerada.

Só no primeiro semestre de 1983 é que o Edifício passou a ser habitado, se bem que, já nos últimos dias de 1082, três famílias tenham sido alojadas, ainda sem água nem luz. Pela Páscoa de 1983, já o Edifício estava, na sua grande maioria habitado. O Edifício nunca foi inaugurado, porque as autoridades de há 35 anos atrás estavam cientes de que a construção tinha sido de má qualidade e uma inauguração naquela altura iria revoltar os moradores.

De imediato os residentes foram notando uma série de lacunas nos materiais de construção civil utilizados. Muitos deles receberam as casa com fissuras nas paredes, penetração de humidades e portas de interior colocadas no exterior. As crianças eram mais de 500 em idade escolar. Não havia escola que as acolhesse a todas, sendo muitas delas discriminadas só por morar nas Lameiras.

Em 1983 morar nas Lameiras era motivo de exclusão, quer nos estudos, quer no emprego. Hoje, viver neste lugar é viver numa comunidade com um percurso de vida e objectivos comuns. 

SOBRE A CASA AO LADO: 

Situada no centro de Vila Nova de Famalicão, o Centro Artístico A CASA AO LADO procura o envolvimento em projetos que, partindo de uma educação/formação artística de base, permitam assegurar o cunho artístico interventivo nas comunidades, consagrando a sua marca e primando pela autenticidade.

A CASA AO LADO desenvolve as suas valências de ensino, experimentação e intervenção numa ação intergeracional promotora do conhecimento e sensibilização artística articulada à responsabilidade social, focando diferentes temáticas e disciplinas das artes plásticas e visuais. 

Para tal, trabalha com formadores de áreas específicas, como o desenho, pintura, joalharia, cinema de animação, decoração de interiores, conservação e restauro, fotografia, ilustração, realização de cinema, vídeo, multimédia, entre outros. 

 

Tags:

Sobre nós

Consultora de comunicação especializada.

Subscrever

Media

Media