“Exposição de Camélias e Orquídeas” regressa ao Terreiro do Palácio Nacional de Sintra

- Edição de 2019 é dedicada ao Japão

- Evento conta com visitas guiadas, workshops, espetáculos e demonstrações

- Entrada gratuita

O terreiro do Palácio Nacional de Sintra acolhe, no fim de semana de 9 e 10 de fevereiro, a “Exposição de Camélias e Orquídeas”, organizada pela Parques de Sintra, em colaboração com a Associação Portuguesa de Camélias (APC) e o Clube dos Orquidófilos de Portugal (COP). Antecipando a chegada da primavera, esta colorida mostra anual, de entrada gratuita, visa promover o valor botânico associado às camélias e orquídeas em Sintra e conta com um vasto programa de atividades, como visitas guiadas, workshops, espetáculos e demonstrações.

Como já vem sendo tradição, uma vez que esta é a nona edição da exposição de camélias e a quinta da exposição de orquídeas, será possível observar os melhores exemplares destas plantas trazidos por cada um dos participantes. No dia 9, serão eleitas a melhor espécie de camélia e de orquídea em exposição; a melhor cultivar portuguesa de camélia em exposição; o melhor híbrido de orquídea em exposição; entre outras distinções.

Este ano, o evento é dedicado ao Japão, país com fortes ligações culturais a Portugal, desde há vários séculos, que se refletem, nomeadamente, no gosto pelas várias espécies de camélias e orquídeas oriundas do continente asiático que são cultivadas nas quintas, jardins e casas portuguesas desde o séc. XIX. Para os Samurais, certos tipos de camélias e de orquídeas revestiam-se de grande simbolismo. Refiram-se, a título de exemplo, as “camélias higo”, originárias de Kumamoto. Como prova da devoção ao seu mestre, mas também de fidelidade e de respeito pelos seus antepassados, os Samurais tinham a prática de plantar e cuidar da camélia favorita do parente falecido.

É esta cultura milenar que se celebra nesta edição, onde será possível participar em workshops de bonsai, assistir a demonstrações de técnicas de origami e apreciar a singularidade do teatro de sombras e das artes marciais japonesas. Também as visitas guiadas que integram o programa permitem, por um lado, entender a relação Portugal-Ásia ao longo dos séculos, através de um percurso no Palácio Nacional de Sintra, e, por outro lado, apreciar a beleza poética das camélias em flor no Parque da Pena. Todas as atividades são de entrada livre, mas, em alguns casos, implicam uma inscrição prévia.

O cultivo de camélias e orquídeas em Sintra

A primeira camélia introduzida na Europa deverá ter chegado a Portugal no século XV. Já no séc. XIX, explorou-se o seu potencial de cultivo no exterior, com propósitos ornamentais, e assistiu-se ao desenvolvimento de novas cultivares por colecionadores botânicos privados e viveiristas portugueses. Em Sintra, as camélias assumiram-se, então, como o ex-libris do inverno. D. Fernando II introduziu no Parque da Pena uma coleção fornecida pelos mais prestigiados viveiristas europeus, com destaque para a coleção de cultivares portuguesas produzidas pelo viveirista Marques Loureiro, do Porto.

Em 2014, o estudo e a identificação dos 2258 exemplares de espécies e cultivares existentes no local culminou na classificação do Parque da Pena como Jardim de Camélias de Excelência, pela Associação Internacional de Camélias. O valor botânico e a diversidade da coleção da Vila Sassetti também merecem referência.

No que diz respeito às delicadas orquídeas, é de salientar que, desde muito cedo, despertaram a atenção de colecionadores botânicos, bem como da casa real portuguesa e dos proprietários das quintas de Sintra. Sublinhe-se que importantes viveiristas da Serra de Sintra dedicaram uma importante parte da sua atividade à produção de flor de corte com os conhecidos “sapatinhos” (Paphiopedilum), naturais do continente asiático.

PROGRAMA:

Sábado, 9 de fevereiro

10h00 – 18h00 - Exposição e venda de camélias e orquídeas | Terreiro – tenda (entrada livre)

11h00 / 15h30 - Demonstrações de propagação, envasamento e manutenção de orquídeas | Terreiro - tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)

11h15 / 15h45 - Workshop de bonsai (duração 1h00) | Área de estar (gratuito, mediante inscrição prévia. Máx. 10 pessoas por grupo)

12h00 / 16h00 - Demonstrações de técnicas de propagação e poda de camélias | Terreiro - tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)

13h00 / 16h30 - Demonstrações de técnicas de origami | Terreiro - tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)

14h30 - Abertura oficial da exposição e entrega de prémios | Terreiro – tenda (entrada livre)

• Melhor espécie de camélia em exposição

• Melhor cultivar portuguesa de camélia em exposição

• Melhor espécie de orquídea em exposição

• Melhor híbrido de orquídea em exposição

• Melhor expositor de venda de camélias e orquídeas

• Melhor mesa em exposição

14h30 – Visita guiada “Camélias de Excelência” no Parque da Pena | Ponto de encontro: Entrada Portão dos Lagos do Parque da Pena (gratuito, mediante inscrição prévia. Máx. 20 pessoas)

15h00 – Exibição de artes marciais japonesas | Terreiro do Palácio Nacional de Sintra (entrada livre)

Domingo, 10 de fevereiro

10h00 – 18h00 - Exposição e venda de camélias e orquídeas | Terreiro – tenda (entrada livre)

11h00 - Visita guiada ao Palácio Nacional de Sintra: Relação Portugal-Ásia | Ponto de encontro: Entrada do Palácio Nacional de Sintra (gratuito, mediante inscrição prévia. Máx. 20 pessoas)

11h00 / 15h30 - Demonstrações de propagação, envasamento e manutenção de orquídeas | Terreiro - tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)

12h00 / 16h00 - Demonstrações de técnicas de propagação e poda de camélias | Terreiro - tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)

13h00 / 16h30 - Demonstrações de técnicas de origami | Terreiro - tenda (gratuito, limitado à capacidade do espaço)

15h00 - Teatro de sombras “O Rapazinho do Carvão” (p/ maiores de 6 anos, duração 30 min.) | Área de estar (gratuito, limitado à capacidade do espaço)

- Todas as inscrições devem ser feitas até dia 7 de fevereiro, para o email info@parquesdesintra.pt. A inscrição é finalizada após receção de email com a confirmação.

- As atividades no exterior poderão ser canceladas, caso as condições meteorológicas sejam adversas.

- Mais informações sobre o programa em www.parquesdesintra.pt

Sobre a Parques de Sintra - Monte da Lua

A Parques de Sintra - Monte da Lua, S.A. (PSML) é uma empresa de capitais exclusivamente públicos, criada em 2000, no seguimento da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade. Não recorre ao Orçamento do Estado, pelo que a recuperação e manutenção do património que gere são asseguradas pelas receitas de bilheteiras, lojas, cafetarias e aluguer de espaços para eventos.

Em 2017, as áreas sob gestão da PSML (Parque e Palácio Nacional da Pena, Palácios Nacionais de Sintra e de Queluz, Chalet da Condessa d’Edla, Castelo dos Mouros, Palácio e Jardins de Monserrate, Convento dos Capuchos e Escola Portuguesa de Arte Equestre) receberam cerca de 3,2 milhões de visitas, cerca de 80% das quais por parte de estrangeiros. Recebeu, em 2013, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018, o World Travel Award para Melhor Empresa em Conservação.

São acionistas da PSML a Direção Geral do Tesouro e Finanças (que representa o Estado), o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, o Turismo de Portugal e a Câmara Municipal de Sintra.

Tags:

Sobre nós

Empresa de capitais exclusivamente públicos criada em 2000 (decreto-lei nº 215/2000, de 2 de Setembro), na sequência da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade e dos compromissos assumidos com a sua recuperação, conservação e divulgação.

Subscrever