Hábitos alimentares da Família Real e as “artes da mesa” em debate no Palácio de Queluz

- Evento conta com a participação de especialistas na área

- Iniciativa no âmbito do projeto “A Place at the Royal Table”

- Decorre a 8 de novembro e tem entrada livre

Como foi a alimentação da Família Real ao longo dos séculos? De que forma contribuiu para a encenação do poder régio? Que novos produtos chegaram à corte na sequência da evolução histórica? Quando foi introduzido o consumo do chocolate? E do ananás? O Palácio Nacional de Queluz, um dos locais que testemunhou estas vivências na segunda metade do século XVIII e inícios do século XIX, é o cenário escolhido para debater o tema dos hábitos da Família Real à mesa, no próximo dia 8 de novembro, num colóquio de entrada livre.

O evento conta com vários especialistas e visa destacar o vasto universo da alimentação e das “artes da mesa” como parte integrante essencial do património cultural e como elemento determinante para a compreensão histórica. É este o grande propósito do projeto “A Place at the Royal Table” (“Um Lugar à Mesa Real”), desenvolvido pela ARRE – Associação das Residências Reais Europeias, no contexto do Ano Europeu do Património Cultural 2018, no âmbito do qual surge esta iniciativa, a última de sete realizadas pela Parques de Sintra nos Palácios Nacionais de Sintra, Pena e Queluz, ao longo do presente ano.

O Palácio Nacional de Queluz, que foi palco privilegiado de inúmeras refeições Reais, acolhe assim um encontro que explora diversas vertentes desta temática, nomeadamente: a mesa enquanto espaço político, de poder e de representação pessoal; a introdução dos produtos exóticos vindos do “Novo Mundo”; a etiqueta e o cerimonial; a decoração das mesas e os objetos nelas expostas. O evento termina com uma sugestiva degustação de chocolate, o gosto invulgar que tanto seduziu as cortes europeias, a partir de finais do séc. XVII.

O colóquio é de participação gratuita, mediante inscrição até dia 5 de Novembro, e prevê a possibilidade de reservar almoço.

Inscrições em:

https://www.parquesdesintra.pt/programacao-cultural/coloquio-um-lugar-a-mesa-real/
 

PROGRAMA

9h00-9h30        Acolhimento

 

9h30-9h45        Apresentação e boas-vindas

 

9h45-10h30      Novos alimentos, novos sabores na mesa dos Reis de Portugal (séculos XV-XIX)

David Felismino, CHAM – Universidade Nova; Museu da Saúde

 

10h30-10h45     Coffee-break

 

10h45-11h15     Os Mundos do Chocolate

Odete Estêvão, Presidente do Cacau Clube de Portugal

 

11h15-11h45     O Chocolate: a nova moda da corte e da aristocracia

Miguel Crespo e Conceição Coelho, Conservadores do Palácio Nacional de Queluz – Parques de Sintra

 

11h45-12h15     O Jardim Botânico de Queluz e o cultivo do Ananás, o “fruto coroado”

Nuno Oliveira, Diretor Técnico para o Património Natural – Parques de Sintra

 

12h15-13h00     Visita ao Jardim Botânico

 

13h00-14h30     Almoço

 

14h30-15h00     Visita à Sala das Merendas e Sala de Jantar do Palácio de Queluz

 

15h00-15h45     A evolução dos hábitos da mesa nos séculos XVIII e XIX

Ana Marques Pereira, investigadora das artes da mesa e da História da Alimentação

 

15h30-16h15     Ramilletes para uma rainha. Centros para a mesa de D. Carlota Joaquina

Cristina Neiva Correia, Conservadora do Palácio Nacional da Ajuda

 

16h15-16h45     O que se comia na Real Quinta de Queluz

Virgílio Gomes, gastrónomo e investigador da Alimentação

 

16h45-17h00     Encerramento

 

17h00-18h00     Degustação de chocolate
 

Sobre a Parques de Sintra - Monte da Lua

A Parques de Sintra - Monte da Lua, S.A. (PSML) é uma empresa de capitais exclusivamente públicos, criada em 2000, no seguimento da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade. Não recorre ao Orçamento do Estado, pelo que a recuperação e manutenção do património que gere são asseguradas pelas receitas de bilheteiras, lojas, cafetarias e aluguer de espaços para eventos.

Em 2017, as áreas sob gestão da PSML (Parque e Palácio Nacional da Pena, Palácios Nacionais de Sintra e de Queluz, Chalet da Condessa d’Edla, Castelo dos Mouros, Palácio e Jardins de Monserrate, Convento dos Capuchos e Escola Portuguesa de Arte Equestre) receberam cerca de 3,2 milhões de visitas, cerca de 80% das quais por parte de estrangeiros. Recebeu, em 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017, o World Travel Award para Melhor Empresa em Conservação.

São acionistas da PSML a Direção Geral do Tesouro e Finanças (que representa o Estado), o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, o Turismo de Portugal e a Câmara Municipal de Sintra.

www.parquesdesintra.pt / www.facebook.com/parquesdesintra / https://www.instagram.com/parquesdesintra/

Tags:

Sobre nós

Empresa de capitais exclusivamente públicos criada em 2000 (decreto-lei nº 215/2000, de 2 de Setembro), na sequência da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade e dos compromissos assumidos com a sua recuperação, conservação e divulgação.

Subscrever