NOVA GAMA DACIA Bi-Fuel: O LÍDER DE MERCADO RENOVA INTEIRAMENTE A SUA OFERTA.

Desde 2013 que a Dacia definiu a oferta de motorizações bi-fuel (gasolina + GPL) como uma aposta estratégica e, desde 2016, que assumiu a liderança do mercado Português neste tipo de oferta. Aliás, a Dacia é a única marca a oferecer uma gama completa equipada com motores bi-fuel. Esta oferta é agora inteiramente renovada com a introdução, na generalidade dos modelos, do moderno e tecnológico motor TCe 100 ECO-G.

A Dacia iniciou, em 2013, a oferta de motorizações bi-fuel na gama e, desde 2016, que é líder incontestada do mercado Português nesta oferta. Em 2019, 56% dos automóveis bi-fuel vendidos em Portugal, ostentavam a marca Dacia.

À cada vez mais vasta oferta de tipos de propulsão disponíveis no mercado, a Dacia contrapõe o facto de ser a única marca a oferecer uma gama completa de motorizações bi-fuel (com exceção do modelo Dokker), que se constitui como uma verdadeira alternativa às tradicionais motorizações a gasolina e diesel.

A nova gama bi-fuel da Dacia tem por base um motor desenvolvido com as mais recentes tecnologias: o TCe 100, cuja comercialização se iniciou, aliás, na gama da Renault, com o Novo Clio. Um bloco três cilindros turbo, com 999 cc de cilindrada, 100 cavalos, que é referência no seu segmento de potência em desempenhos e consumos.

Mas esta renovação da oferta bi-fuel da marca traz uma outra novidade muito significativa. Para além dos “tradicionais” modelos Sandero, Logan, e Logan MCV, o novo motor TCe 100 ECO-G passa agora a estar disponível também no seu mais icónico modelo: o Duster.

A enorme experiência do Grupo Renault na tecnologia (todas as versões bi-fuel, independentemente de serem da marca Renault ou Dacia são montadas em fábrica) é a melhor garantia que não são feitas quaisquer cedências em matérias tão importantes como qualidade, fiabilidade (os planos de manutenção e as garantias são em tudo idênticas às versões a gasolina ou diesel) e segurança. Aliás, neste aspeto, sublinhe-se que o motor TCe 100 Bi-Fuel é equipado com válvula de retenção, limitador de enchimento a 80%, limitador de fluxo, electroválvula e válvula de segurança.

Gama Dacia bi-fuel equipada com um motor da última geração
ECO-G foi a designação escolhida pela Dacia para diferenciar todas as versões bi-fuel (GPL e gasolina), sendo de sublinhar que é a única marca do mercado que (com exceção do Dokker), oferece versões GPL em todos os modelos: Sandero, Logan, Logan MCV, Duster e Lodgy, embora este último recorra ao bloco de 1.598 cc de cilindrada e 110 cavalos de potência.
Com custos de utilização e emissões de CO2 sem paralelo no mercado, o novo motor 1.0 turbo de três cilindros, TCe 100 ECO-G, passa a estar disponível nos modelos Sandero (versões Stepway incluídas), Logan , Logan MCV (incluindo a versão Stepway) e Duster. Um bloco que surge associado a uma caixa manual de 5 velocidades e que proporciona um elevado prazer de condução, graças aos generosos 100 cavalos de potência e 170 Nm de binário logo às 2000 rpm – mais 10 Nm que a versão equivalente a gasolina, sublinhe-se! Números que asseguram uma resposta pronta às solicitações do acelerador e uma acrescida vitalidade numa alargada faixa de regimes.
As emissões de CO2 também são mais reduzidas, com uma descida de 10% quando comparadas com a versão a gasolina.
 
A filosofia Dacia no ADN
Propor soluções fiáveis, económicas e com preços imbatíveis é uma estratégia que está, desde sempre, inscrita no ADN da Dacia.
Quando comparadas com as versões equivalentes a gasolina, as variantes bi-fuel TCe 100 ECO-G têm uma diferença de preços de apenas 250€ (450€ no Dacia Duster).
Tendo por base os custos de combustíveis atualmente praticados, são necessários menos de 10.000km para amortizar a diferença de preço e apenas 20.000 km no caso de um Dacia Duster.
Ou seja, em média, um ano de utilização será suficiente para amortizar a diferença de custo de aquisição de um automóvel bi-fuel, já que os custos de manutenção, que os clientes da Dacia tanto valorizam, são equiparados aos das versões a gasolina equivalentes.
 
Autonomia acrescida
A instalação de dois depósitos de combustível autónomos e a capacidade de alternar entre o consumo de GPL e de gasolina, permite aumentar significativamente a autonomia dos modelos Dacia ECO-G. Com os dois tanques atestados (por uma questão de segurança, o depósito de GPL só pode ser cheio até um limite máximo de 80% da sua capacidade), a autonomia pode chegar ou até superar os 1.000 km. A somar a este facto, a disponibilidade total de gasolina e o número crescente e disseminado de postos de abastecimento com GPL, permite afirmar que a capacidade de percorrer distâncias de um Dacia ECO-G é interminável.
 
Anos de experiência acumulada
Em Portugal, a Dacia oferece versões a GPL desde 2012 e conta com a gama mais abrangente do mercado. Não é assim de estranhar que a experiência acumulada se traduza em importantes mais valias para os clientes que levaram a marca a uma incontestada liderança do mercado.
A integração diretamente na fábrica de todo o sistema de GPL e a presença de um motor preparado de raiz para trabalhar com este combustível alternativo, reforçam a segurança dos clientes na aquisição e simplificam a vida nas questões das garantias e operações de manutenção. 
A segurança do próprio sistema também foi estudada ao detalhe, de forma a garantir os elevados padrões a que habituou o Grupo Renault.
O depósito de GPL é construído em aço de alta resistência e colocado no local destinado à roda de reserva (não roubando espaço à mala), devidamente afastado do depósito de gasolina. Todo o sistema é protegido por válvulas que evitam o retorno do combustível, nomeadamente um limitador de fluxo, uma válvula solenoide e uma outra válvula de segurança.
Este reforçado sistema de proteção garante a integridade e invulnerabilidade do conjunto em caso de acidente. É por este avanço tecnológico e reforço dos sistemas de segurança que os automóveis a GPL já podem estacionar em parques fechados e subterrâneos.

Simplicidade é a palavra de ordem
A Dacia assegurou que a alternância entre os dois tipos de combustível (GPL e gasolina) é muito simples e intuitiva, podendo ocorrer de forma manual, através de um comutador instalado no habitáculo, ou automática, quando o sistema deteta que um dos depósitos estiver. Para controlar o nível de GPL, todos os Dacia estão equipados com um indicador específico.
Sempre que for atestar, o processo também decorre de forma simples e célere, não demorando mais de dois minutos.

O GPL (Gás de Petróleo Liquefeito) visto à lupa:
 
O GPL: o que é?
O GPL é uma mistura de propano e butano (que respeita uma norma europeia: EN589). A sua combustão emite menos monóxido de carbono, hidrocarbonetos e óxidos de azoto do que um motor a gasolina. Além disso, o GPL apresenta ainda outra grande vantagem: emite, em média, menos 10% de CO2 que uma motorização a gasolina equivalente.
 
O GPL: como funciona?
Na Europa e na maior parte do mundo, o sistema de injeção de GPL é uma tecnologia que se associa aos motores a gasolina. A sua utilização requere um reservatório específico, capaz de resistir à pressão necessária para manter o GPL no estado líquido, e uma ligeira modificação do circuito de alimentação do motor.

Tags:

Sobre nós

Comércio automóvel.

Subscrever

Media

Media