RESULTADOS COMERCIAIS MUNDIAIS 2019

O Grupo Renault consolida a posição nos principais mercados e conserva a sua quota de mercado mundial
 
• O Grupo Renault mantém uma quota de 4,25%, num mercado em quebra de 4,8 %. As vendas do Grupo atingiram 3,8 milhões de veículos com uma diminuição de 3,4 %.
• No último trimestre do ano, o Grupo registou um crescimento das vendas, graças ao sucesso do Novo Clio na Europa, do Arkana na Rússia e do Triber na Índia.
• O Grupo consolidou as posições nos mercados mais importantes: na Europa com um crescimento de 1,3%, na Rússia com uma sólida liderança do mercado e 29% de quota, no Brasil com a ascensão da Renault ao 4º lugar do mercado e, na Índia, onde foi a única marca a registar um crescimento nos veículos de passageiros.
• O ano 2020, para o Grupo, ficará marcado pela ofensiva na gama de veículos elétricos com o lançamento do Twingo Z.E. e a comercialização de uma nova oferta de modelos híbridos e híbridos recarregáveis, que será designada por E-TECH.
 
Boulogne-Billancourt, 17/01/2020
 
«As vendas do grupo cresceram, no último trimestre, graças ao sucesso dos novos lançamentos em mercados tão importantes como a Europa, a Rússia e a Índia, onde as vendas da marca registam um forte crescimento. Em 2020, iremos beneficiar do efeito do lançamento dos best-sellers Novo Clio e Novo Captur, e ainda da aceleração da ofensiva nos modelos elétricos e híbridos, nomeadamente, com o Novo ZOE, o Twingo Z.E. e a tecnologia E-TECH.» declara Olivier Murguet, membro do Comité Executivo, Diretor Comercial e das Regiões do Grupo Renault.
 
Em 2019, o Grupo Renault vendeu 3 753 723 veículos em todo o mundo, com uma quebra, face ao ano anterior, de 3,4 % (-130 550 veículos, dos quais -183 000 nos mercados Iraniano, Argentino e Turco), num mercado que, por sua vez, registou um decréscimo de 4,8%.
 
As vendas mundiais de veículos elétricos, do Grupo, aumentaram 23,5% e atingiram as 62 447 unidades. Na China, o Grupo comercializou o Renault City K-ZE em novembro e vendeu 2 658 unidades em 2 meses.
 
No mercado mundial de Comerciais Ligeiros, as vendas do grupo cresceram 0,7% e o volume de vendas obtido constitui um novo recorde. Este resultado deve-se, em grande parte, ao resultado da marca Renault na Europa, onde registou um crescimento das vendas de 3,6%.
 
Na Europa, as vendas cresceram 1,3%, num mercado com uma progressão de 1,2%.
O Clio foi o líder do segmento, enquanto o Captur também liderou a categoria. As vendas do ZOE aumentaram 19,1% e atingiram as 47 027 unidades.
Por seu lado, pelo 7º ano consecutivo, a marca Dacia registou um novo recorde de vendas, com 564 854 veículos vendidos (+10,4 %).
 
Na Rússia, o Grupo Renault liderou com uma quota de mercado de 29% (+1,4 pontos) e um crescimento das vendas de 2,3%, num mercado em quebra de 2,6%.
A marca LADA registou uma progressão de 0,6% (362 356 unidades vendidas) e confirmou a posição de liderança, com uma quota de 20,7% do mercado Russo.
A marca Renault, por seu turno, teve um crescimento de 5,8%, com 144 989 unidades vendidas, graças, também, ao muito bem-sucedido lançamento do modelo Arkana, no segundo semestre.
 
No Brasil, os volumes de vendas aumentaram 11,3% (239 174 unidades) e a quota de mercado atingiu os 9% (+0,3 pontos), o que constitui um recorde. Num mercado que conserva alguma dinâmica (+7,4%), o sucesso do modelo Kwid esteve na base deste novo recorde.
 
Na Índia, a Renault foi a única marca a registar, em 2019, um crescimento das vendas no mercado de ligeiros de passageiros. As vendas cresceram 7,9%, num mercado com uma forte quebra de 11,3%. Este crescimento deveu-se, principalmente, ao lançamento do modelo Triber e ao sucesso do Novo Kwid. A quota de mercado foi de 2,5 % (+0,45 pontos face a 2018). 
 
Para o Grupo, o ano de 2020 será marcado por uma nova etapa da sua ofensiva nos veículos elétricos, com o lançamento do Twingo Z.E. e a introdução da nova oferta de modelos híbridos e híbridos recarregáveis, designada por E-TECH.

Tags:

Sobre nós

Comércio automóvel.

Subscrever