RESULTADOS DA SONAE CAPITAL IMPACTADOS PELA PANDEMIA COVID-19

1. PRINCIPAIS DESTAQUES DO 1º SEMESTRE DE 2020:

  • Vendas consolidadas beneficiam da integração da Futura Energía Inversiones
  • EBITDA das unidades de negócio foi positivo em 6,9M€
  • Resultado líquido foi de -14,6M€, penalizado pelo ambiente decorrente da COVID-19
  • Investimento ascendeu a 12,8M€, com destaque para a central de cogeração a biomassa na Energia, a implementação do plano de expansão no Fitness e as remodelações na Hotelaria
  • Solidez financeira reforçada, contando com 81,3M€ em liquidez e linhas disponíveis
  • Negócios retomam actividade de forma progressiva

2.MENSAGEM DO CEO DA SONAE CAPITAL, MIGUEL GIL MATA

“Tal como antecipávamos, o segundo trimestre do ano revelou-se extremamente desafiante para a Sonae Capital. Os segmentos de Fitness, Hotelaria e Tróia Operações viram as suas operações suspensas durante a maior parte do trimestre e os segmentos de Engenharia Industrial e Activos Imobiliários viram, e certamente continuarão a ver, a sua actividade afectada pelo clima de incerteza, à escala global. O segmento de Energia, o mais resiliente do nosso portefólio, não registou impactos directos materiais.

Assumindo desde o início que há variáveis que não conseguimos controlar, nomeadamente a ausência de receitas decorrente da suspensão das operações, focámos-nos em incrementar os níveis de resiliência, actuando ao nível dos custos operacionais e retendo algumas decisões de investimento. Em paralelo, continuámos a trabalhar no sentido de reforçar a liquidez da Sonae Capital pelo que contamos, a 30 de Junho de 2020, com 81,3M€ em cash e linhas de crédito disponíveis, o que permite perseguir os nossos objectivos estratégicos e assegurar um nível de conforto suficiente para enfrentar cenários mais adversos.

As operações suspensas retomaram a actividade essencialmente a partir de Junho. Fruto do empenho das nossas equipas, que têm demonstrado uma capacidade de adaptação sem igual, preparámos as operações para o “novo normal” de forma escrupulosa, garantindo a segurança e bem-estar de todos e dando passos firmes para continuarmos a sobressair em algumas das nossas frentes de actuação. A retoma não será imediata e vai continuar a colocar-nos à prova, mas todo o nosso percurso ao longo dos últimos meses faz-me estar convicto de que esta pandemia será mais um dos desafios que a Sonae Capital irá superar no decurso da sua história.”

3. ANÁLISE CONSOLIDADA

A pandemia Covid-19 impactou de forma significativa a generalidade das empresas a nível mundial, sendo que a Sonae Capital não foi excepção. A declaração de Estado de Emergência em Portugal entre os meses de Março e Maio implicou a suspensão de várias operações, nomeadamente nos segmentos de Fitness, Hotelaria e Tróia Operações, o que se refletiu nos resultados operacionais e financeiros do primeiro semestre de 2020. O mês de Junho foi marcado pelo arranque progressivo da generalidade das operações, ainda que fortemente condicionado pela pandemia.

Dando seguimento a um plano de acção iniciado durante o primeiro trimestre do ano, a principal prioridade do Grupo continuou a ser o bem-estar e segurança dos seus colaboradores, clientes, fornecedores e da comunidade em geral.

Considerando as limitações decorrentes da suspensão temporária de várias operações, foram realizados esforços no sentido de proteger os níveis de resiliência, nomeadamente através do reforço de medidas de optimização e redução de custos operacionais, da revisão do plano de investimentos e do reforço da liquidez.

Assim, o Volume de Negócios consolidado ascendeu a 136,8 M€ no primeiro semestre de 2020 (1S20), aumentando 72,8% face aos 79,2M€ verificados no período homólogo de 2019. O Volume de Negócios das Unidades de Negócio situou-se em 129,3M€, registando um aumento de 91% face ao valor de 67,7M€ registado no período homólogo de 2019. Este desempenho beneficiou do contributo do negócio de Trading e Comercialização, no segmento de Energia, que foi impulsionado pela integração da Futura Energía Inversiones, empresa espanhola adquirida no terceiro trimestre de 2019.

O EBITDA das Unidades de Negócio foi positivo em 6,9M€ no 1S20 e o EBITDA consolidado em 5,3M€, sustentados pelas várias acções de optimização levadas a cabo pelas operações no sentido de mitigar, na medida do possível, o impacto da pandemia nas principais linhas de custos operacionais.

Apesar do crescimento das vendas e dos esforços de optimização implementados, o Resultado Líquido situou-se num valor negativo de 14,6M€, penalizado pelo ambiente decorrente da COVID-19.

A Sonae Capital continuou a desenvolver a sua estratégia, com o Investimento bruto a situar-se em 12,8M€ no primeiro semestre de 2020, em virtude dos investimentos em curso no segmento de Energia, nomeadamente na fase final do desenvolvimento da central de cogeração de Biomassa em Mangualde, no plano de expansão do segmento de Fitness e na remodelação das instalações do Porto Palácio Hotel e Aqualuz Tróia.

Ao nível da solidez financeira, no final do mês de Junho a Sonae Capital dispunha de liquidez e linhas de crédito no montante de 81,3M€, o que permite encarar os tempos de incerteza que prevalecem com confiança reforçada.

(Comunicado integral e fotografias de Miguel Gil Mata em anexo)

Tags:

Sobre nós

Long-Living Investment Company, focada na criação sustentada de valor económico, social e ambiental, identificando e desenvolvendo negócios de elevado potencial, integrando-os num ecossistema de recursos e competências de gestão, e perspetivando a sua autonomização.

Subscrever

Media

Media