NorteShopping recebe tradicional Concerto de Reis da Banda Sinfónica Portuguesa

Para dar as boas-vindas a 2020, no próximo dia 4 de janeiro, na Praça da Indústria (Piso 0), o NorteShopping vai ser palco do já tradicional Concerto de Reis. Em parceria com a Casa da Música, esta atuação da Banda Sinfónica Portuguesa reúne melodias festivas que prometem contagiar os visitantes do Centro a juntar-se à música, celebrando o Ano Novo e o Dia de Reis.
 
Numa tradição que já conta oito anos, o Concerto de Reis no NorteShopping, é já um programa de família imperdível nesta época festiva. A partir das 16h00 a Banda irá surpreender os visitantes do Centro, com pequenas atuações de cerca de 10 minutos, convidando-os para assistirem aos concertos de entrada livre, com duração de 20 minutos que vão acontecer na Praça das Indústrias em 3 momentos – às 17h00; às 18h00; e às 19h00.
 
Sob a Direção Musical de Francisco Ferreira, a Banda Sinfónica Portuguesa, com 50 músicos em palco, apresenta um reportório variado, onde se destacam temas clássicos de Giuseppe Verdi e Johann Strauss.
 
Ficha técnica do Concerto de Reis:
Francisco Ferreira – direção artística e musical
 
Programa:
Giuseppe Verdi: Abertura da “Forza del Destino”
Aram Kachaturian (Arr. José Schyns): “Gayaneh Suite” – Sabre Dance; Dance of the young maidens; Mountaineers’ dance; Gopak; Lullaby; Lezghinka
Camille Saint-Saëns: “Danse Bacchanale”
Gerónimo Giménez: Intermedio de la “Boda de Luis Alonso”
Julius Fucik: The Florentiner March”
Johann Strauss: “El Danubio Azul”
 
 
Sobre a Banda Sinfónica Portuguesa:
Com sede na cidade do Porto, a Banda Sinfónica Portuguesa teve o seu concerto de apresentação no dia 1 de Janeiro de 2005 no Rivoli – Teatro Municipal do Porto, onde também gravou o seu primeiro CD, tendo entretanto recebido um importante apoio por parte da Culturporto e mais tarde da PortoLazer na divulgação e expansão do seu projecto. Em Abril de 2010, lançou o álbum A Portuguesa com obras exclusivamente de compositores portugueses, num concerto realizado no auditório da Faculdade de Engenharia do Porto. Tem vindo a gravar regularmente outros trabalhos, nomeadamente Traveler (2011), Hamlet (2012), Oásis (2013), Grand Concerto pour Orchestre d’Harmonie (2014), Sinfónico com Quinta do Bill (2015), Trilogia Romana (2015) e Porto (2016),estando em fase final de edição um novo trabalho, gravado em 2017, exclusivamente dedicado a música de cinema.
A partir de Janeiro de 2007, a BSP é convidada pela Fundação Casa da Música a apresentar-se regularmente na Sala Guilhermina Suggia, onde tem vindo a interpretar regularmente um conjunto de obras originais de compositores portugueses e estrangeiros, sendo responsável pela execução de mais de 30 obras em primeira audição. Possibilitou, na maior parte dos seus concertos, a apresentação de talentosos solistas nacionais e internacionais, destacando-se nomes como Pedro Burmester, Sérgio Carolino, Mário Laginha, Elisabete Matos, Jean-Yves Fourmeau, Vicente Alberola, Pierre Dutôt, Vincent David, Vicente Alberola e Horácio Ferreira, entre outros. Algumas apresentações contaram ainda com a participação de vários coros do Grande Porto e com grupos como Vozes da Rádio, Quinta do Bill, Quarteto Vintage, European Tuba Trio, etc.
Maestros internacionalmente reputados como Jan Cober, Douglas Bostock, José Rafael Vilaplana (Maestro Principal Convidado da BSP), Alex Schillings, Rafa Agulló Albors, Henrie Adams e Eugene Corporon dirigiram­ a BSP com enorme sucesso, tendo considerado este projecto extraordinário e de uma riqueza cultural enorme para Portugal. Tem vindo a receber até ao momento as melhores críticas, não só do público em geral como também de prestigiados músicos nacionais e estrangeiros. Foi dirigida também por maestros portugueses como Fernando Marinho, Luís Carvalho, Avelino Ramos, António Costa, Alberto Roque, Pedro Neves, João Paulo Fernandes, Hélder Tavares e José Eduardo Gomes.
Obteve o 1º Prémio no II Concurso Internacional de Bandas de La Sénia na Catalunha (Espanha, 2008), na 1ª secção, e igualmente o 1º Prémio na categoria superior (Concert Division) do 60º aniversário do World Music Contest em Kerkrade (Holanda, 2011), com a mais alta classificação alguma vez atribuída em todas as edições deste concurso que é considerado o “campeonato do mundo de bandas”.
Realizou concertos nos principais teatros de norte a sul do país, no Teatro Monumental de Madrid (RTVE) e nas cidades de Pontevedra, Corunha, Ávila, Llíria e Lleganés, e participou nos Certames Internacionais de Boqueixón e Vila de Cruces (Espanha). Em 2014 realizou a sua primeira tournée intercontinental pela China, com cinco concertos nas cidades de Hangzhou, Jiangyin, Shaoxing, Ningbo e Jiaxing. Foi convidada a participar, em Julho de 2017, no 18º Festival do World Music Contest em Kerkrade e na 17ª Conferência Mundial da World Association for Symphonic Bands and Ensembles em Utrecht (Holanda), na qualidade de orquestra de referência do panorama internacional.
Os objectivos da BSP passam também pela iniciativa pedagógica de levar a cabo masterclasses de instrumento com professores de reconhecido mérito artístico, bem como Cursos de Direcção de Banda (contando já 16 edições) orientados pelos prestigiados maestros Marcel van Bree e Jan Cober (Holanda), Douglas Bostock (Inglaterra), José Rafael Vilaplana (Espanha) e Eugene Corporon (EUA).
A Banda Sinfónica Portuguesa é uma Associação cultural sem fins lucrativos, apoiada pela Direcção-Geral das Artes, no âmbito dos projectos sustentados. A direcção artística está a cargo do maestro Francisco Ferreira.
 
Sobre o Maestro Francisco Ferreira:
Francisco Ferreira tem um percurso artístico que o tem vindo a destacar com uma carreira multidisciplinar. É diplomado em Saxofone pelos Conservatórios de Música do Porto e de Limoges (França) e Escola Superior de Música de Lisboa com as mais altas classificações.
Teve o mérito de desenvolver em Portugal uma importante classe de saxofone, na área do clássico, com imensos alunos premiados em concursos nacionais e internacionais. Tem vindo a dedicar-se igualmente ao desenvolvimento das orquestras de sopro, o que o levou a trabalhar direcção de orquestra com Jan Cober, Marc Tadue, Eugene Corporon, Douglas Bostock e José Pascual Vilaplana, concluindo em 2007 o Mestrado em Direcção de Orquestra no Conservatório Real Holandês em Maastricht.
Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e do Instituto Camões, premiado pela Fundação Eng.º. António de Almeida e vencedor do Concurso “Ouvir e Falar” da responsabilidade do Maestro António Vitorino d’Almeida, apresentado pela RTP. Apresenta-se regularmente em concertos na Europa, Ásia e Brasil. Tocou a solo com a Orquestra Sinfónica do Porto, Orquestra Clássica do Porto e da Madeira, Banda Sinfónica Portuguesa, Banda da Polícia de Segurança Pública de Lisboa, de Curitiba (Brasil) e Banda Municipal da Corunha (Espanha), e ainda com a Orquestra Portuguesa de Saxofones. É frequentemente convidado para integrar júris de concursos nacionais e internacionais de saxofone e de bandas.
Como maestro, dirigiu imensas formações de sopro e percussão nomeadamente as Bandas Sinfónicas da Guarda Nacional Republicana (Lisboa), da Covilhã e do Conservatório de Música do Porto, Orquestras de Sopros do Inatel, do Algarve e Filarmonia de Vermoim, Orquestra da União Europeia, Banda Sinfónica Portuguesa, Rundfunk-Blasorchester Leipzig (Alemanha), Banda Sinfónica de Tatuí (São Paulo, Brasil), Orquestra de Sopros da Grã-Canária, Banda Municipal de Santa Cruz de Tenerife e Vitória (Gasteiz e Pontevedra, Espanha), entre outras.
Nesta área, foi vencedor do 1º prémio do II Concurso Internacional de La Sénia (Espanha) e World Music Contest em Kerkrade (Holanda) na categoria superior, este com a mais alta classificação de todas as edições, na qualidade de maestro titular e director artístico da Banda Sinfónica Portuguesa, cargos que ocupa desde a sua fundação.
É Director Pedagógico da Academia de Música de Costa Cabral (Porto) e Maestro Titular e Director Artístico da Banda Sinfónica Portuguesa.
 
Sobre o NorteShopping
Inaugurado em outubro de 1998, o NorteShopping, reconhecido pela sua dimensão, diferenciação e caráter inovador, é líder na sua área de influência. Inspirado na temática da Indústria, as peças presentes na sua decoração, assim como a sua dimensão, fazem com que seja o único Centro do norte do país onde se pode encontrar uma enorme variedade de produtos e serviços. Atualmente dispõe de mais de 240 lojas, numa Área Bruta Locável (ABL) de 55.675 m2, que garantem uma oferta comercial completa onde se podem encontrar marcas de prestígio, nacionais e internacionais, algumas das quais disponíveis só neste Centro.
Dispõe, também, de uma zona de restauração com mais de 50 espaços, oito salas de cinema, estacionamento gratuito, serviço VIP de estacionamento personalizado (Mr. Parking), recreio infantil (NorteLand) e Health & Fitness Club (Solinca). A sua localização estratégica constitui um fator diferenciador para quem o visita, já que conta com o apoio de uma vasta rede de transportes públicos e com uma estação de metro (Sete Bicas) que permite uma fácil deslocação para os principais pontos da cidade do Porto. O Centro conta, ainda, com um espaço para Exposição de Arte (Silo – Espaço Cultural), da autoria do Arquiteto Souto Moura, e que tem atraído, desde a sua inauguração em 1999, bastantes visitantes e, em particular, turistas. A par da experiência única de compras e de lazer que oferece aos seus clientes, o NorteShopping assume a responsabilidade de dar um contributo positivo para um mundo mais sustentável, trabalhando ativamente para um desempenho excecional nas áreas ambiental e social. Todas as iniciativas e novidades sobre o Centro podem ser  consultadas no site www.norteshopping.pt, na mobile app (IOS e android) e na página de FaceBook em https://www.facebook.com/centronorteshopping.
 

Tags:

Subscrever

Media

Media