Comissão Europeia aprova formulação subcutânea de Entyvio®, vedolizumab, para tratamento de manutenção em doentes adultos com colite ulcerosa ou doença de Crohn activa moderada a grave

  • Aprovação torna o Entyvio o único tratamento de manutenção aprovado na Europa com ambas as formulações intravenosa e subcutânea como opção para doentes adultos com colite ulcerosa ou doença de Crohn
  • Este tratamento adicional permite mais opções para a forma como os doentes na Europa podem receber o biológico seletivo para o intestino
A Takeda anunciou que a Comissão Europeia (CE) concedeu autorização para a comercialização da formulação subcutânea (SC) de Entyvio® (vedolizumab), um biológico seletivo para o intestino para tratamento de manutenção em doentes adultos com colite ulcerosa ou doença de Crohn activa moderada a grave. O Entyvio SC estará disponível como seringa pré-cheia e em caneta pré-cheia.

A colite ulcerosa e a doença de Crohn são duas das formas mais comuns de Doença Inflamatória Intestinal (DII) e afectam mais de dois milhões de pessoas na Europa.1,2 Esta decisão da CE significa que o Entyvio SC está agora aprovado para uso em 27 estados membros da União Europeia e ainda Reino Unido, Noruega, Liechtenstein e Islândia.
 
“Estamos muito entusiasmados com a aprovação da formulação de SC de Entyvio pela Comissão Europeia. Esta aprovação permite aos médicos e doentes adultos escolherem a forma de administração que melhor se adequa a cada doente individualmente,” afirma Sónia Batista, Head da Unidade de Gastrenterologia, Takeda Portugal. “O compromisso da Takeda em tratar as doenças gastrointestinais significa que estamos sempre à procura de inovar para conseguirmos ir ao encontro das necessidades dos doentes que servimos.”
 
A aprovação pela CE foi baseada nos ensaios clínicos de fase 3 VISIBLE que avaliaram a segurança e eficácia da formulação SC de Entyvio enquanto tratamento de manutenção em doentes adultos com colite ulcerosa ou doença de Crohn activa moderada a grave que atingiram uma resposta clínica* à semana 6 após duas administrações de vedolizumab IV nas semanas 0 e 2.3,4,5 Os dados da análise interina do estudo de extensão sem ocultação, ainda em curso, de doentes dos ensaios VISIBLE 1 e VISIBLE 2 foram também considerados.6 

A Takeda acredita no benefício que Entyvio SC pode trazer aos doentes adultos com colite ulcerosa ou doença de Crohn activa moderada a grave e mantém o compromisso de trabalhar com as autoridades reguladoras para tornar real esta importante opção para os doentes o mais rapidamente possível. Além da aprovação na CE, Entyvio SC também foi submetido às autoridades reguladoras a nível mundial. 
 
* VISIBLE 1 – Colite Ulcerosa: A resposta clínica é definida como uma redução de Mayo score ≥3 pontos e ≥30% da linha de base (semana 0) com uma descida acompanhada de sangue rectal de ≥1 ponto ou total ausência de sangue rectal de ≤1 ponto.4
*VISIBLE 2 – Doença de Crohn: A resposta clínica é definida como uma redução a ≥70 pontos no Índex de Atividade da Doença de Crohn (CDAI) da linha de base (semana 0).7 
 
Sobre o programa do ensaio clínico VISIBLE
O programa de desenvolvimento VISIBLE pretende avaliar a eficácia e a segurança de uma formulação subcutânea de vedolizumab como tratamento de manutenção em doentes adultos com colite ulcerosa ou doença de Crohn ativa moderada a grave.
VISIBLE consiste em três ensaios clínicos de Fase III, que envolvem mais de 1.000 doentes com colite ulcerosa e doentes de Crohn e inclui dois estudos aleatorizados, com dupla ocultação, controlados com placebo para avaliar a percentagem de doentes que atinge a remissão clínica à semana 52, e um estudo de extensão aberto para determinar, a longo prazo, a segurança e eficácia do vedolizumab SC. 4,5,6
 
Sobre a Colite Ulcerosa e a Doença de Crohn
A colite ulcerosa e a doença de Crohn são duas das formas mais comuns de doença inflamatória intestinal.2 São doenças crónicas, com recidivas, com inflamação do aparelho gastrointestinal e frequentemente de natureza progressiva. 8,9 A colite ulcerosa envolve apenas o cólon (intestino grosso), enquanto a doença de Crohn pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal, desde a boca ao ânus.10,11 A doença de Crohn também pode afetar a parede intestinal, enquanto a colite ulcerosa envolve o revestimento mais interno do inestino grosso.10,11 A colite ulcerosa normalmente apresenta sintomas de desconforto abdominal, movimentos intestinais livres, que incluem sangue ou pus.10,12  A doença de Crohn apresenta regularmente sintomas de dor abdominal, diarreia e perda de peso.8 A causa da colite ulcerosa e da doença de Crohn não são ainda totalmente conhecidas; no entanto, pesquisas recentes sugerem factores hereditários, genéticos, ambientais, e ou resposta imune anormal a antígenos microbianos em indivíduos geneticamente predispostos.10,13,14 
 
Sobre o Entyvio® (vedolizumab)
O vedolizumab é um medicamento biotecnológico específico para o intestino, aprovado na formulação intravenosa e subcutânea (SC aprovado na Europa e no Canadá). 15,16  É um anticorpo monoclonal humanizado concebido para antagonizar a integrina alfa4beta7, inibindo a ligação da integrina alfa4beta7 à molécula de adesão celular 1 da adressina da mucosa intestinal (MAdCAM-1), mas não à molécula de adesão celular vascular 1 (VCAM-1).17 MAdCAM-1 é preferencialmente expresso em vasos sanguíneos e gânglios linfáticos do trato gastrointestinal.18 A integrina alpha4beta7 expressa-se num subgrupo de glóbulos brancos. 17 Estes glóbulos têm mostrado que desempenham um papel importante na mediação do processo inflamatório da colite ulcerosa e na doença de Crohn.17,19,20  Ao inibir a integrina alpha4beta7, o vedolizumab pode limitar a capacidade de certos glóbulos brancos infiltrarem tecidos do intestino.17 O vedolizumab IV é um tratamento aprovado para doentes adultos com colite ulcerosa ou doença de Crohn ativas moderadas a graves que tenham tido uma resposta inadequada, ou perda de resposta, ou que sejam intolerantes à terapêutia convencional ou um antagonista do fator de necrose tumoral alfa (TNFa). 15,16  O vedolizumab IV tem autorização de introdução no mercado em mais de 60 países, incluindo os Estados Unidos da América e a União Europeia, com mais de 415.000 doentes por ano. 21
 
Sobre a Takeda:
A Takeda é uma empresa biofarmacêutica líder mundial, sediada no Japão, baseada em valores e orientada para a I&D. A Takeda em Portugal foca os seus esforços em quatro áreas terapêuticas: Oncologia, Gastrenterologia, Hemofilia & Plasma e Doenças Raras Genéticas. Também investimos em I&D direcionada para Neurociências e Vacinas. Estamos focados em desenvolver terapêuticas altamente inovadoras que façam a diferença na vida das pessoas, superando fronteiras com novas opções terapêuticas e impulsionando o nosso forte sistema colaborativo de I&D e competências para criar um pipeline robusto e diversificado. Os nossos colaboradores estão empenhados em melhorar a qualidade de vida dos doentes e em trabalhar com os nossos parceiros nos cuidados de saúde em aproximadamente 80 países e regiões. Para mais informação, visite www.takeda.pt 

Referências
1 Jairath V, Feagan BG. Global burden of inflammatory bowel disease. Lancet Gastroenterol Hepatol. 2020;5:2-3.
2 Baumgart DC, Carding SR. Inflammatory bowel disease: cause and immunobiology. Lancet. 2007;369:1627-1640.
3 Sandborn WJ, Baert F, Danese S, et al. Efficacy and safety of vedolizumab subcutaneous formulation in a randomized trial of patients with ulcerative colitis. Gastroenterology. 2020;158:562-572.
4 Efficacy and safety of vedolizumab subcutaneously (SC) as maintenance therapy in ulcerative colitis. Available at: https://clinicaltrials.gov/ct2/show/NCT02611830. Last updated: January 23, 2020. Last accessed: May 2020.
5 Efficacy and safety of vedolizumab subcutaneous (SC) as maintenance therapy in Crohn's disease. Available at: https://clinicaltrials.gov/ct2/show/NCT02611817. Last updated: November 12, 2019. Last accessed: May 2020.
6 Vedolizumab subcutaneous long-term open-label extension study. Available at: https://clinicaltrials.gov/ct2/show/NCT02620046. Last updated: March 13, 2020. Last accessed: May 2020.
7 Vermeire S, Sandborn W, Baert F, et al. Efficacy and safety of vedolizumab SC in patients with moderately to severely active Crohn’s disease: Results of the VISIBLE 2 study. J Crohns Colitis. 2020;14:SO20-S021.
8 Baumgart DC, Sandborn WJ. Crohn’s disease. Lancet. 2012;380:1590-1605.
9 Torres J, Billioud V, Sachar DB, et al. Ulcerative colitis as a progressive disease: the forgotten evidence. Inflamm Bowel Dis. 2012;18:1356-1363.
10 Ordas I, Eckmann L, Talamini M, et al. Ulcerative colitis. Lancet. 2012;380:1606-1619.
11 Feuerstein JD, Cheifetz AS. Crohn’s disease: Epidemiology, diagnosis and management. Mayo Clin Proc. 2017;92:1088-1103.
12 Sands BE. From symptom to diagnosis: clinical distinctions among various forms of intestinal inflammation. Gastroenterology. 2004;126:1518-1532.
13 Henckaerts L, Pierik M, Joossens M, et al. Mutations in pattern recognition receptor genes modulate seroreactivity to microbial antigens in patients with inflammatory bowel disease. Gut. 2007;56:1536-1542.
14 Kaser A, Zeissig S, Blumberg RS. Genes and environment: How will our concepts on the pathophysiology of IBD develop in the future? Dig Dis. 2010;28:395-405.
15 Entyvio Prescribing Information. Available at: https://general.takedapharm.com/ENTYVIOPI. Last updated: March 2020. Last accessed: May 2020.
16 Entyvio EPAR _ 20/02/2019 Entyvio - EMEA/H/C/002782_ European Medicines Agency - Entyvio _ Annex I Summary of product characteristics. Committee For Medicinal Products For Human Use. Available at: https://www. ema.europa.eu/en/medicines/human/EPAR/entyvio. Last updated: April 2019. Last accessed: May 2020. 17 Soler D, Chapman T, Yang LL, et al. The binding specificity and selective antagonism of vedolizumab, an anti-α4β7 integrin therapeutic antibody in development for inflammatory bowel diseases. J Pharmacol Exp Ther. 2009;330:864875.
18 Briskin M, Winsor-Hines D, Shyjan A, et al. Human mucosal addressin cell adhesion molecule-1 is preferentially expressed in intestinal tract and associated lymphoid tissue. Am J Pathol. 1997;151:97-110.
19 Eksteen B, Liaskou E, Adams DH. Lymphocyte homing and its roles in the pathogenesis of IBD. Inflamm Bowel Dis. 2008;14:1298-1312.
20 Wyant T, Fedyk E, Abhyankar B. An overview of the mechanism of action of the monoclonal antibody vedolizumab. J Crohns Colitis. 2016;10:1437-1444.
21 Takeda Data on File. 2019.

Tags:

Subscrever