Errata - Navigator mantém redução parcial de produção durante junho garantindo rendimento dos trabalhadores

Empresa antevê recuperação das vendas até final do ano

Navigator mantém redução parcial de produção durante junho garantindo rendimento dos trabalhadores

A The Navigator Company, que apresentou hoje os resultados financeiros relativos ao primeiro trimestre, vai continuar a garantir a totalidade do rendimento de todos os seus trabalhadores apesar de ter hoje decidido renovar, até ao final de junho, a redução parcial de produção de papel UWF (papel de impressão e escrita) anunciada no mês passado, provocada por uma diminuição de encomendas, abrupta e sem precedentes, registada desde o final de Março.

Apesar de serem visíveis os primeiros sinais de retoma da procura os mesmos são ainda ténues e não permitem retomar a produção aos níveis anteriores.

Num contexto de redução das vendas de papel de impressão e escrita a produção integrada de pasta foi ajustada de acordo com as necessidades de laboração das máquinas de papel, sendo que a Fábrica de Pasta de Aveiro, que alimenta a fábrica de Tissue e produz a pasta para mercado, continua a operar dentro da normalidade

Por seu lado, no tissue, as Fábricas de Aveiro e de Vila Velha de Rodão funcionam igualmente sem restrições nas suas operações.

O Conselho de Administração da Navigator decidiu também propor aos Accionistas que os resultados líquidos referentes a 2019, no montante de 168 milhões de euros, fossem transferidos para reservas livres.

A Navigator tomou também a decisão de recorrer ao regime do lay-off simplificado durante o mês de junho, sendo o número de colaboradores afectados pelo lay-off de 1.201, dos quais apenas 97 em lay-off integral, com efeitos a partir de 1 de junho.

De realçar que, no que diz respeito a Equivalentes a Tempo Inteiro, estarão em lay-off menos de 13% do universo total de trabalhadores da Empresa que garante a todos os colaboradores a totalidade do rendimento.

Recuperação progressiva das vendas até final do ano

A suspensão parcial da produção de papel foi realizada num contexto de abrandamento da atividade que levou a diversas paragens por parte dos produtores de papel em todos os continentes. Graças à excelente posição na carteira de encomendas que detinha em março, a Navigator conseguiu adiar esta opção até ao limite possível, sendo que este ajuste possibilitou um maior equilíbrio entre a oferta e procura, minimizando o risco de maior acumulação de stocks na cadeia de abastecimento.

A procura por papel de impressão e escrita é fortemente afectada num contexto de paralisação social, nomeadamente com o fecho de escolas, comércio e escritórios e o dinamismo do mercado deste papel no futuro próximo está dependente, como a maioria dos setores económicos, do sucesso da retoma da atividade económica que se crê acontecer progressivamente a par com os programas de desconfinamento e regresso à normalidade possível. 

Deste modo, estima que o efeito na procura global de UWF seja mais forte no segundo trimestre e com maior incidência nos mercados chave na Europa e nos Estados Unidos, antevendo-se uma recuperação progressiva até ao final do ano.

A procura por papel de escritório beneficiará particularmente da reabertura das escolas e universidades, do regresso dos trabalhadores aos escritórios e do ressurgimento do setor dos serviços. Noutro prisma, a procura por papel folio e bobinas dependerá do relançamento dos setores de edição e publicação e do sector de promoção e publicidade (impressão comercial).

Navigator apoia Comunidades e mantém Gabinete de Crise

A Navigator está a acompanhar em permanência a evolução desta situação pública de emergência sanitária, tendo implementado, logo no final de fevereiro, um plano de contingência que tem por base as indicações da Direção-Geral de Saúde, tendo criado também um Gabinete responsável por gerir e acompanhar a evolução da propagação do Covid-19, com reporte directo e reuniões regulares com a Comissão Executiva do Grupo.

O plano de contingência delineado pela Navigator destina-se essencialmente a defender a saúde de todos os colaboradores e da comunidade em geral, bem como assegurar a continuidade das operações. 

O Grupo lançou também diversas iniciativas de apoio às populações nos concelhos onde opera, nomeadamente co-doando equipamento de radiologia digital ao hospital da Figueira da Foz, doações recorrentes de diverso material de proteção aos hospitais de Setúbal e de Aveiro e oferta de papel de apoio ao estudo a 3600 crianças de famílias carenciadas.

Sobre a The Navigator Company

A The Navigator Company é um produtor integrado de floresta, pasta e papel, tissue e energia, cuja atividade está alicerçada em fábricas modernas de grande escala, com tecnologia de ponta e que constituem uma referência de qualidade no setor. 

A produção de pasta e papel por parte da The Navigator Company é feita através da utilização de florestas que são plantadas exclusivamente para esse efeito. Todos os anos os nossos viveiros dão vida a mais de 12 milhões de plantas. Estes viveiros, os maiores da Europa, produzem 135 espécies diferentes de árvores e arbustos, grande parte, não tendo viabilidade económica, e que são financiadas pela Navigator com o objetivo e manter a diversidade e de garantir a continuidade da espécie.

As florestas sob gestão da The Navigator Company em Portugal, por exemplo, tinham, em 2019, um stock de carbono, excluindo o carbono no solo, equivalente a 5,3 milhões de toneladas de CO2. Este montante é o equivalente às emissões que seriam geradas por 1,5 milhões de carros a percorrer uma distância equivalente ao perímetro do planeta Terra.

A The Navigator Company assumiu formalmente o compromisso de atingir a neutralidade carbónica em 2035, antecipando em 15 anos as metas estabelecidas pela União Europeia e por Portugal. A Companhia tornou-se, assim, a primeira empresa portuguesa, e uma das primeiras a nível mundial, a definir este ambicioso objetivo, para o qual alocou um investimento total de €158 milhões, dos quais €24 milhões já efectuados em 2019.

Este compromisso é o culminar de uma estratégia de sustentabilidade que já havia sido distinguida, no início de 2019, com a classificação pelo Carbon Disclosure Project (CDP) de líder global no combate às alterações climáticas, alcançando um lugar de destaque na lista “A” desta organização. A The Navigator Company foi reconhecida pela sua atuação, em 2018, na redução de emissões, diminuição dos riscos climáticos e desenvolvimento de uma economia de baixo impacto de carbono, sendo a única empresa portuguesa a obter a classificação máxima, integrando o lote das únicas cinco empresas a nível mundial do sector de pasta, papel e floresta que receberam esta distinção.

A Empresa é a terceira maior exportadora portuguesa, representa aproximadamente 1% do PIB nacional e 2,4% das exportações nacionais de bens, sendo a que gera o maior Valor Acrescentado Nacional. Em 2019, a The Navigator Company teve um volume de negócios de € 1,68 mil milhões. Cerca de 91% dos produtos do Grupo são vendidos para fora de Portugal e têm por destino aproximadamente 130 países.

Com uma atividade florestal verticalmente integrada, o Grupo dispõe de um Instituto de Investigação Florestal próprio, referência mundial no melhoramento genético do Eucalyptus globulus. Gere em Portugal Continental uma vasta área florestal, 100% certificada pelos sistemas internacionais FSC® (FSC C010852) e PEFC™ (PEFC/13-23-001). Dispõe de uma capacidade instalada de 1,6 milhões de toneladas de papel, de 1,6 milhões de toneladas de pasta (80% integradas em papel), 120 mil toneladas de tissue produto acabado, e 2,5 Twh anuais de eletricidade, sendo responsável por cerca de 4% da produção de energia de Portugal e de 52% da energia produzida a partir de biomassa.

Tags:

Sobre nós

Empresa ligada à indústria da pasta e do papel, bem como à produção de energia elétrica e de energia a partir da biomassa.

Subscrever