FUNDOS DE 350.000 EUROS PARA INVESTIGAÇÃO EM SÍNDROME DE ANGELMAN

•        Abertura de candidaturas para bolsa de investigação em Síndrome de Angelman

•        Prazo de entrega 4 de janeiro de 2019

A Angelman Syndrome Alliance (ASA) apoia a investigação científica em Síndrome de Angelman com fundos até 350.000 Euros, a serem entregues na próxima Conferência Científica Internacional da Síndrome de Angelman.

A Angelman Syndrome Alliance é uma iniciativa de várias associações de pais, de diferentes países, - ASB (Bélgica), ASFA (França), Angelman e.V. (Alemanha), ORSA (Itália), AIA (Irlanda), AV (Países Baixos), Angel (Portugal), Angelman UK (Reino Unido), AVO (Áustria), Fundação Israelita AS (Israel), JASSG (Japão), Espanha ( ASA) e da Fundação Nina (Holanda) - que criaram uma organização internacional com o objetivo de unir forças e fundos para aumentar o apoio financeiro de projetos de investigação dedicados e, assim, intensificar a investigação sobre a Síndrome de Angelman.

A Síndrome de Angelman é uma desordem genética que resulta de uma perda da atividade do gene UBE3A, que codifica a ubiquitina E3 ligase E6-AP. Esta síndrome é caracterizada por um atraso severo no desenvolvimento, dificuldade na fala, distúrbios no sono, convulsões, movimentos desconexos e sorriso frequente.

São convidados a candidatarem-se investigadores, de qualquer país, que submetam projetos a bolsas de investigação cobrindo investigação pré-clínica (básica), bem como investigação translacional, tal como ensaios controlados baseados em mecanismos. Candidaturas para terapias comportamentais não são elegíveis nesta fase.

Os fundos a atribuir terão um limite de 175.000€ por bolsa. A duração deste apoio é flexível mas a duração máxima é de 4 anos. Será efetuada uma avaliação do projeto após a conclusão de 50% da duração prevista da bolsa; o procedimento deverá ser feito através de um relatório científico detalhado dirigido ao Conselho Consultivo Científico e, ainda, um relatório, em termos mais gerais e em linguagem simples, com fotografias, para partilhar com as associações de pais financiadoras.

O processo de candidatura tem duas etapas: em primeiro lugar, deverá ser submetida uma candidatura simplificada através do website da ASA (prazo limite até 4 de janeiro de 2019); depois, até 14 de janeiro de 2019, as candidaturas que passarem a primeira fase serão convidadas a apresentar propostas mais detalhadas (prazo limite 11 de março de 2019). Os candidatos serão informados sobre o resultado a 22 de julho de 2019. Os premiados serão convidados a apresentar uma palestra na próxima conferência científica bi-anual da ASA, que terá lugar no outono de 2020.

O registo para a candidatura pode ser feito através do website da ASA www.angelmanalliance.org. A candidatura simplificada deve incluir o seguinte: 

- Carta de apresentação, incluindo o título da proposta e o nome do investigador principal; 

- Resumo de duas páginas sobre o projeto de investigação proposto, incluindo parágrafos sobre as hipóteses, antecedentes, plano de investigação, metodologia principal e a relevância do trabalho proposto;

-  Visão global do orçamento também deve ser incluída (custos indiretos não poderão ser aplicados).

-      Curriculum vitae do candidato.
Todas as candidaturas devem ser escritas em inglês, usando Times New Roman, corpo de letra 10, com 1,5 de entrelinha.
As propostas que envolvam testes em animais de laboratório deverão ser aprovadas pelas respetivas entidades institucionais competentes, antes da atribuição do financiamento.

Todas as propostas, incluindo cartas de apresentação, devem ser submetidas no website da ASA: angelmanalliance.org

Questões sobre o processo de atribuição da bolsa devem ser dirigidas ao Conselho de Administração da ASA: Manuel Costa Duarte - direccao@angel.pt
Questões relacionadas com investigação sobre Síndrome de Angelman devem ser encaminhadas ao Conselho Consultivo Científico, para: Harald Sitte – harald.sitte@meduniwien.ac.at

Tags:

Sobre nós

Associação Síndrome de Angelman de Portugal criada por um grupo de pais de crianças portadoras de SA que visa ser ponto de convergência e de informação, em Portugal, para portadores do Síndrome de Angelman, seus pais e familiares.

Subscrever