Lisboa vai marchar pela consciencialização da Endometriose

Março é o mês de consciencialização mundial para a Endometriose - uma doença crónica de origem desconhecida e sem cura -, que se estima afetar uma em cada dez mulheres em idade fértil.

Em Portugal, no âmbito do mega movimento mundial WorldWide EndoMarch, a MulherEndo - Associação Portuguesa de Apoio a Mulheres com Endometriose organiza, sexto ano consecutivo, uma marcha pela sensibilização e maior divulgação da doença. A EndoMarcha 2019 realiza-se, em Lisboa, no dia 30 de março.

À semelhança dos anos anteriores, o evento visa representar Portugal numa iniciativa que acontece, simultaneamente, em várias cidades do mundo, com o intuito de reforçar a mensagem para a importância de haver uma maior consciencialização sobre a Endometriose. Por cá, a EndoMarcha já conta com uma grande afluência de participantes – quase 700 inscritos - entre eles, algumas figuras públicas que se unem a esta causa. A marchar pela Endometriose estarão, também, profissionais de saúde do Centro Especializado em Endometriose do Hospital dos Lusíadas que têm desenvolvido um trabalho de parceria com a MulherEndo.

A Endometriose – que se caracteriza pelo aparecimento de tecido do endométrio fora do útero - é uma doença complexa que provoca dores pélvicas crónicas incapacitantes e infertilidade. Ainda se desconhece a sua origem, mas afeta sobretudo as mulheres em idade reprodutiva, entre 10 a 15%. Nas mulheres com infertilidade, essa prevalência aumenta para cerca de 25 a 45%. Apesar dos avanços no tratamento da Endometriose, ainda não existe cura e pouco se sabe sobre as causas. A doença costuma ser diagnosticada entre os 25 e os 35 anos, apesar dos primeiros sinais se manifestarem anos antes, com o início da menstruação.

A Endometriose é ainda pouco falada e conhecida. É uma doença com um diagnóstico, geralmente, demasiado tardio. A falta de informação e o facto de os sintomas serem idênticos às dores menstruais fazem com que muitas mulheres vivam anos sem saber que sofrem desta condição, inclusive, por verem as suas queixas desvalorizadas clinicamente. Mas a Endometriose existe, é real, leva órgãos, sonhos e vidas. Em Portugal, estima-se que, cerca de 240 mil mulheres em idade fértil sofram da doença. Por isso, a EndoMarcha vai ao encontro da necessidade de maior divulgação e desmistificação da doença no nosso país e, em todo o mundo, onde se estima que a Endometriose afete 176 milhões de mulheres.”, refere Susana Fonseca, presidente da MulherEndo.

As inscrições para a EndoMarcha 2019 são gratuitas. O início da marcha está marcado para às 15h00, na Praça do Comércio e dura sensivelmente 30 minutos em caminhada lenta (aproximadamente 4km). O programa contempla ainda discursos de profissionais de saúde, especialistas em Endometriose, bem como, a partilha de testemunhos.

Em Portugal, a WorldWide EndoMarch conta com o apoio e patrocínio da Adidas, da Clínica de Fertilidade Lisboa – IVI, do espaço VivaFit Benfica, do Hospital dos Lusíadas (Lisboa), da Emílio Azevedo Campos S.A, da Guerin – Car Rental Solutions e da Enterprise Rent-A-Car.  

 

Sobre a Endometriose:

O que é? A Endometriose é uma doença crónica, benigna, que se caracteriza pelo crescimento de tecido endometrial (glândulas e estroma) fora do seu local habitual que é a cavidade uterina.

Quais são as causas da Endometriose? A origem da Endometriose ainda não é plenamente conhecida e é, por isso, motivo de controvérsia.

Como se manifesta? De um modo geral, a Endometriose provoca o aparecimento de sintomas, sendo que em 80% dos casos a dor é a principal manifestação da doença. Em 20% dos casos, a Endometriose associa-se a infertilidade podendo também ser, embora mais raramente, assintomática.

Como se diagnostica? A história clínica e o exame médico são importantes no diagnóstico da Endometriose mas, na ausência de endometriomas (lesões localizadas de Endometriose), são poucos os métodos de diagnóstico não invasivos capazes de detetar a doença. Desses, a ecografia e a ressonância magnética são os mais eficazes.

Como se previne? Não é possível prevenir o desenvolvimento de Endometriose, mas essa possibilidade pode ser diminuída através de uma redução dos níveis de estrogénios no organismo.

 

Sobre a MulherEndo:

A MulherEndo – Associação Portuguesa de Apoio a Mulheres com Endometriose, foi fundada em 2013, dando continuidade ao trabalho até então desenvolvido pelo Grupo de Apoio, com o mesmo nome, que durante três anos trabalhou no sentido de divulgar esta doença ainda muito desconhecida no nosso país. A MulherEndo tem por objetivo principal promover e fomentar o apoio, a reabilitação e/ou recuperação física e psicológica da mulher com Endometriose através da informação e cooperação direta.

Tags:

Sobre nós

Agência de Comunicação.

Subscrever

Media

Media