Fruta desidratada é um bom snack?

Nos dias de hoje existem imensas opções para fazer uma alimentação saudável de forma prática. Para tal é essencial que façamos uma escolha consciente de todos os produtos pela leitura correta dos rótulos. Ler o quadro nutricional e verificar os valores de açúcar e de gordura é importante, mas deve ser acompanhada também pela leitura atenta da lista de ingredientes. Procurar escolher os produtos que tenham apenas ingredientes que nos sejam familiares e naturais é uma mais valia para uma escolha alimentar saudável.

Um dos alimentos ideias para comer entre as refeições é a fruta, ao natural. No entanto, no mercado existem muitas alternativas aos snacks que são à base de fruta – é o caso da fruta desidratada. Um pacote de fruta desidratada é fácil de transportar pois, normalmente, está disponível em pequenas embalagens e tem uma textura crocante e estaladiça. Do ponto de vista nutricional, por sofrer o processo de desidratação (ou seja, retirar toda a água dos frutos), estabiliza-se a atividade microbiológica o que evita que se estrague com mais facilidade e aumenta a catividade antioxidante mas, por outro lado, poderá haver uma perda substancial de nutrientes comparativamente a uma fruta ao natural. Quanto ao facto de ser ou não um snack saudável depende do que é adicionada à fruta desidratada. Caso na lista de ingredientes estiver escrito apenas a fruta desidratada, por exemplo, “Maçã desidratada (100%)” então é uma boa alternativa a ter em conta. Ainda assim, muitas vezes, são adicionadas substâncias e ingredientes que pouco ou nada acrescentam à fruta, antes pelo contrário, como é o caso da adição de açúcar, sal ou até mesmo farinhas. Se for esse o caso então deixa de ser um snack interessante a nível nutricional. Quanto ao nível energético por porção de fruta desidratada, este vai depender do tipo de fruta em causa, mas varia entre as 65 e 80 kcal.

Quando comparado com outros produtos como bolachas (muito utilizadas na hora do lanche), batatas fritas (pela sua textura estaladiça) e bolos de pastelaria (uma das primeiras opções quando o lanche é passado numa pastelaria) podemos concluir que a fruta desidratada, apenas, é uma opção muito mais saudável. Desde à quantidade e natureza do açúcar (que na fruta desidratada é açúcar naturalmente presente e não adicionado), até à quantidade de sal que, em 100g de batatas fritas chega a atingir 2g, enquanto que em 100g de fruta desidratada nem chega às 0,1g. O sabor é discutível porque gostos não se discutem, como se costuma dizer, mas poderá sempre adicionar a fruta desidratada a outro alimento como queijo fresco, adicionar mesmo no seu iogurte ou então misturar com frutos secos, flocos de aveia e levar ao forno e fazer a sua granola caseira.

Dito isto, a fruta desidratada (sem qualquer adição de outra substância) é, de facto, um bom snack, mas não a faça como a fonte exclusiva de fruta na alimentação. Os nutrientes presentes na fruta natural fazem parte da base da alimentação saudável e devem ser consumidas entre 3 a 4 peças de fruta por dia.

Catarina Sofia Correia

Nutricionista Clínica Tejo Saúde, Parceira Fitness Hut - Grupo VivaGym

Número de cédula: 2653NE

Tags:

Sobre nós

Ginásio.

Subscrever

Media

Media