Takeda inicia desenvolvimento de terapia derivada de plasma para o COVID-19

*    Globulina hiperimune policlonal anti-SARS-CoV-2 (H-IG) está a ser desenvolvida para tratar indivíduos infectados e de alto risco com COVID-19
*    Explorar o potencial de redirecionar produtos e moléculas já comercializados para tratar potencialmente o COVID-19

A Takeda iniciou o desenvolvimento de uma globulina hiperimune policlonal anti-SARS-CoV-2 (H-IG) para tratar pessoas de alto risco com COVID-19, enquanto está a estudar se os medicamentos que atualmente comercializa e tem em pipeline podem ser eficazes para doentes
infectados. O SARS-CoV-2 é o vírus que causa o COVID-19.

As globulinas hiperimunes são terapêuticas derivadas de plasma que já demonstraram ser eficazes no tratamento de infecções respiratórias virais agudas graves e podem ser uma opção de terapêutica para o COVID-19. Como líder em terapêuticas derivadas de plasma e com mais de 75 anos de experiência no desenvolvimento de produtos derivados de plasma, a Takeda possui a experiência necessária para pesquisar, desenvolver e fabricar um potencial H-IG policlonal anti-SARS-CoV-2, que na Takeda é referido como TAK-888.

"Como companhia dedicada à saúde e ao bem-estar das pessoas em todo o mundo, faremos o possível para enfrentar a nova ameaça de coronavírus", disse Inês Nobre Guedes, Medical & Regulatory Country Head da Takeda.

"Identificámos ativos e capacidades relevantes em toda a empresa e esperamos poder expandir as opções de tratamento para doentes com COVID-19 e para os profissionais de saúde que cuidam deles".

"As terapias derivadas do plasma são medicamentos essenciais, que salvam vidas, dos quais milhares de pessoas com doenças raras e complexas dependem todos os dias em todo o mundo", disse Pedro Sá, Head Hematology da Takeda, unidade de negócios de terapias derivadas de plasma. "A nossa herança, combinada com a nossa escala, experiência e capacidades, posiciona a Takeda numa posição única para desenvolver todo o potencial de terapias derivadas de plasma, como o TAK888".

Atualmente, a Takeda está em conversações com várias agências reguladoras e de saúde nacionais e parceiros de assistência médica nos EUA, Ásia e Europa para avançar rapidamente a pesquisa do TAK-888. Isto requer acesso à fonte de plasma de pessoas que recuperaram com sucesso do COVID-19 ou que foram vacinadas, assim que haja vacina. Esses doadores convalescentes desenvolveram anticorpos para o vírus que podem potencialmente mitigar a gravidade da doença em doentes com COVID-19 e possivelmente preveni-lo.

O H-IG funciona através da concentração de anticorpos específicos para patógenos do plasma recolhido de doentes recuperados ou doadores vacinados no futuro. Ao transferir os anticorpos para um novo doente, pode ajudar o sistema imunológico dessa pessoa a responder à infecção e aumentar a sua probabilidade de recuperação. Como é improvável que o plasma necessário para o TAK-888 venha dos doadores atuais de plasma, a Takeda vai inicialmente produzir a terapêutica numa área separada e isolada dentro das suas instalações de fabrico na Geórgia, e o seu desenvolvimento e produção não terão impacto negativo na capacidade da Takeda de produzir as suas outras terapêuticas derivadas de plasma.

A Takeda também está a explorar se os medicamentos e as moléculas que comercializa podem ser candidatos viáveis ??ao tratamento eficaz do COVID-19. Estes esforços estão numa fase inicial, mas têm prioridade na empresa neste momento.

Um grupo de trabalho interno de especialistas em saúde pública, vacinas, terapias derivadas de plasma e I&D vai continuar a procurar oportunidades para alavancar a nossa experiência e extensa rede de parceiros globais para trabalhar para o COVID-19. COVID-19 é a doença causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2), que pode causar pneumonia e resultou em mais de 3.000 mortes em todo o mundo desde a sua recente descoberta. Até o momento, não existem vacinas ou terapias aprovadas para prevenir ou tratar o COVID-19.

Sobre as terapias derivadas de plasma

As terapias derivadas de plasma são essenciais para o tratamento de doentes com uma variedade de doenças raras, com risco de vida, complexas e genéticas, para as quais existem poucas ou nenhuma outra opção de tratamento. O plasma é a parte líquida clara do sangue que permanece após a remoção dos glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. O plasma tem vários componentes com diferentes usos clínicos. Os produtos de plasma existem há aproximadamente 80 anos, e investigação na indústria farmacêutica está em desenvolvimento para avaliar o potencial valor terapêutico do plasma em novas doenças.

Sobre a Takeda

A Takeda é uma companhia farmacêutica mundial, orientada para a investigação e desenvolvimento, empenhada em proporcionar melhores cuidados de saúde e um futuro melhor aos doentes, convertendo a ciência nos medicamentos que mudam a vida das pessoas. A Takeda centra os seus esforços de I&D na Oncologia, Gastrenterologia, Doenças Raras Metabólicas e Hemofilia & Plasma. Está focada em desenvolver terapêuticas altamente inovadoras que façam a diferença na vida das pessoas. Os seus colaboradores estão empenhados em melhorar a qualidade de vida dos doentes, desenvolvendo atividade em mais de 80 países e regiões.
 

Tags:

Subscrever