Quais são as 10 autarquias do país com o maior número de queixas dos munícipes?

 

Com as eleições autárquicas à porta, o Portal da Queixa realizou um novo estudo para apurar quais as Câmaras Municipais que mais reclamações receberam durante o último mandato (2017 – 2021) e que motivos mais inquietaram os portugueses. A análise – que incidiu nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto – revela que Lisboa, Porto, Sintra, Oeiras, Vila Nova de Gaia, Loures, Seixal, Cascais, Almada e Matosinhos são os 10 concelhos com o maior número de queixas. Ambiente, Infraestruturas, Licenciamento e Serviços são os principais motivos de reclamação e de insatisfação dos munícipes. As queixas contra as câmaras aumentaram 345% face ao mandato anterior, conclui o estudo.

 

Entre o dia 1 de outubro de 2017 e o dia 31 de agosto de 2021, o Portal da Queixa recebeu um total de 5457 queixas dirigidas às autarquias das Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto, um aumento de 345% em comparação com o período homólogo, o quadriénio 2013-2017. De 1 de outubro de 2013 até 31 de agosto de 2017, foram registadas na maior rede social de consumidores de Portugal apenas 1227 reclamações.

 

O estudo, que teve como incidência os concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML) e da Área Metropolitana do Porto (AMP), permitiu concluir que, nos dez primeiros lugares estão sete municípios da AML e três da AMP. 

Neste TOP 10 das autarquias que registaram um maior número de reclamações, durante o mantado que agora termina, figuram: Lisboa (1543), Porto (414), Sintra (386), Oeiras (348), Vila Nova de Gaia (272), Loures (260), Seixal (250), Cascais (213), Almada (199) e Matosinhos (188).

 

De acordo com a análise do Portal da Queixa, o maior volume de reclamações é um resultado que está relacionado com o facto de estas entidades autárquicas pertencerem às zonas mais urbanizadas do País e que apresentam uma maior densidade populacional. 

 

Na AML, os municípios do Montijo (43), Alcochete (36) e Mafra (19) são os que menos reclamações têm registadas no Portal da Queixa no último quadriénio. Relativamente à AMP, os municípios que registaram menos queixas por parte dos seus munícipes foram: São João da Madeira (8), Vale de Cambra (7) e Arouca e Trofa (os dois com 3 queixas). 

 

Na AMP, o estudo constata a existência de três Câmaras Municipais que, ao longo do quadriénio relativo ao mandato anterior (2013-2017), não receberam qualquer reclamação. Cenário que se alterou no mandato atual. São as autarquias de Paredes, de São João da Madeira e da Trofa

 

De que reclamaram os munícipes?

De acordo com o estudo do Portal da Queixa, os principais motivos de reclamação dos munícipes estão relacionados (38%) com o Ambiente (manutenção e cuidado de espaços verdes, recolha do lixo, limpeza de espaços públicos, pragas, etc.); 30% refere-se a problemas com Infraestruturas (obras públicas, reparações, iluminação das ruas, problemas de sinalização, etc.); 19% das reclamações está relacionada com Licenciamentos (licenças camarárias, fiscalizações, multas, problemas de estacionamento, queixas de ruído, etc.). 

Serviços (problemas com serviços dos municípios, falta de resposta, mau atendimento, etc.); Segurança (segurança rodoviária, sinalização, acidentes, etc.); Habitação (problemas com habitação particular, concursos públicos de habitação, etc.); e Saúde Pública (queixas para problemas de segurança e saúde pública) são outros dos motivos das reclamações dirigidas às autarquias das AML e AMP.

 

No que se refere à performance das entidades autárquicas – na resolução das reclamações reportadas pelos seus munícipes —, o estudo revela que, a autarquia com a melhor pontuação no Portal da Queixa é a Câmara Municipal de Lisboa, ao apresentar um Índice de Satisfação de 77,3 em 100, parâmetro este que indica o cuidado da autarquia lisboeta em prestar um bom serviço de apoio aos seus munícipes. 

Analisando a Taxa de Resposta aos munícipes, destacam-se com 100% apenas quatro autarquias: Lisboa, Sesimbra, Loures e Vila Nova de Gaia.

 

Outras conclusões do estudo:

  • as reclamações efetuadas no Portal da Queixa, entre 2017 e 2021, aumentam em função do grau de urbanização e do poder de compra do concelho, tal como em função do nível de instrução dos seus habitantes. Ou seja, aumentam em função do grau de desenvolvimento das populações;

 

  • as reclamações diminuem nos concelhos onde a percentagem de população sem o ensino secundário é maior. Ou seja, diminuem nos concelhos onde há menos instrução;

 

  • as reclamações aumentam nos concelhos onde há mais população residente: mais natalidade (mais frequente nas zonas mais urbanas); o poder de compre é maior; a densidade populacional é maior (zonas mais urbanizadas); e a população empregada no setor ternário é maior;

 

  • o maior número de reclamações situa-se entre os 35-44 anos (26%), seguido dos 45-54 (24,8%) e dos 55-64 (20,4%). Em conjunto, estas faixas etárias, representam 71,2% das reclamações;

 

  •  56,5% das reclamações são realizadas por homens e 43,5% por mulheres.

 

Este estudo revela a existência de uma correlação positiva entre a variável em estudo (reclamações) com a caracterização sociodemográfica dos próprios concelhos analisados, evidenciando-se ainda que, a reclamação do consumidor/munícipe realça, de forma muito clara, uma atitude moderna, de maturidade civilizacional e de consciência cívica, atestando o impacto social da nossa plataforma num ecossistema do consumo justo e equilibrado e na literacia digital no seio da sociedade portuguesa.”, sublinha Pedro Lourenço, CEO & Founder do Portal da Queixa by Consumers Trust. 

 

Área Metropolitana de Lisboa: 

Área Metropolitana

Município

Índice Satisfação

Taxa de Solução

Taxa de Resposta

Nº Reclamações 2017 a 2021

Nº Reclamações 

2013 a 2017

Variação

Lisboa

Lisboa

77,3

69,00%

100,00%

1543

204

656%

Lisboa

Sesimbra

59,9

39,30%

100,00%

136

22

518%

Lisboa

Loures

58,7

32,80%

100,00%

260

28

829%

Lisboa

Alcochete

46,8

37,50%

54,50%

36

12

200%

Lisboa

Moita

29,9

33,30%

29,40%

55

17

224%

Lisboa

Barreiro

29,2

30,80%

29,60%

127

52

144%

Lisboa

Mafra

26,2

16,70%

14,30%

19

1

1800%

Lisboa

Setúbal

22,8

16,70%

57,10%

100

24

317%

Lisboa

Amadora

22,6

22,00%

18,80%

160

50

220%

Lisboa

Cascais

17,4

18,20%

16,40%

213

42

407%

Lisboa

Vila Franca de Xira

16,7

20,00%

18,80%

79

17

365%

Lisboa

Seixal

16,1

15,20%

14,30%

250

104

140%

Lisboa

Oeiras

15,35

15,50%

14,90%

348

54

544%

Lisboa

Sintra

15,2

10,50%

9,70%

386

122

216%

Lisboa

Almada

10

8,50%

6,50%

199

52

283%

Lisboa

Odivelas

8,5

8,30%

6,70%

108

23

370%

Lisboa

Palmela

7,7

7,70%

6,70%

75

4

1775%

Lisboa

Montijo

0

0,00%

0,00%

43

14

207%

                   

 

Área Metropolitana do Porto: 

Área Metropolitana

Município

Índice Satisfação

Taxa de Solução

Taxa de Resposta

Nº Reclamações 

2017 a 2021

Nº Reclamações 

2013 a 2017

Variação

Porto

Espinho

54,5

50,00%

85,00%

18

1

1700%

Porto

Valongo

53,4

32,10%

96,90%

107

34

215%

Porto

Vila Nova de Gaia

50,2

17,50%

100,00%

272

98

178%

Porto

Oliveira de Azeméis

37,2

27,30%

42,90%

13

1

1200%

Porto

Santo Tirso

32,6

33,30%

42,90%

18

1

1700%

Porto

Paredes

27,8

13,30%

60,00%

15

0

 

Porto

Maia

19,7

15,80%

12,00%

99

33

200%

Porto

Vale de Cambra

18,8

12,50%

25,00%

7

1

600%

Porto

Matosinhos

18,8

13,30%

13,30%

188

69

172%

Porto

Porto

18,7

18,50%

18,20%

414

126

229%

Porto

Póvoa de Varzim

17,4

3,40%

3,40%

25

4

525%

Porto

Santa Maria da Feira

10

12,50%

11,10%

30

4

650%

Porto

Vila do Conde

9,7

5,30%

5,30%

14

4

250%

Porto

Gondomar

8,9

10,80%

10,00%

86

8

975%

Porto

São João da Madeira

0

0,00%

0,00%

8

0

 

Porto

Trofa

N/A

0,00%

0,00%

3

0

 

Porto

Arouca

N/A

N/A

N/A

3

1

200%

 

 

Sobre o Portal da Queixa:

O Portal da Queixa é visitado por mais de 3 milhões de consumidores por mês e recebe uma média mensal de 15.000 reclamações. Tem mais de 700.000 utilizadores registados e 9.000 marcas estão presentes na plataforma.

A maioria das pessoas procura a plataforma para comunicar diretamente com outros consumidores, marcas e entidades públicas, bem como, para compararem marcas com base no Índice de Satisfação. Mais de 90% dos visitantes do Portal da Queixa, não efetua uma reclamação, pesquisa informações sobre uma marca ou serviço antes de proceder à decisão da compra final. 

O crescimento exponencial e a consolidação do Portal da Queixa como um dos principais influenciadores nacionais em matéria de consumo, permitiu alcançar um novo posicionamento ao internacionalizar a sua plataforma para mercados com Espanha (Libro de Quejas), França (RéclameICI) e África do Sul (Complaints Book), através do lançamento da sua rede global: a  Consumers Trust

 

Tags:

Subscrever

Media

Media